Literatura

Trilogia Princess Ai, Stuart Levy e Courtney Love

Princess Ai é a protagonista de uma coleção de mangás, com roteiro de Stuart Levy – que assina como D.J. Milky, com a colaboração de Courtney Love, além de Ai Yazawa e Misaho Kujiradou, que participaram do processo de produzir essa coleção.

Sinopse, em tradução livre do site da Tokyopop:

Rock and roll. Anjos. Gangsters. E uma garota chamada Ai com amnésia em quem crescem asas e que se torna a próxima sensação pop. Este é o mundo de Princess Ai, uma colaboração de Courtney Love e Stu Levy (que assina como D. J. Milky). Em alguns pontos, a história é baseada em experiências próprias da Love enquanto líder da própria banda Hole e enquanto parte de todo o turbilhão em torno fenômeno grunge-pop Nirvana. Mas a realidade certamente não se passa exatamente da mesma maneira.

O ambiente não é Seattle, mas Tóquio. E Ai não é totalmente o que parece ser: ela parece humana, mas na realidade ela é metade humana e metade “Dougen” – uma espécie alienígena que lembra várias feras dos mitos e lendas humanos, incluindo anjos. Enquanto a história acontece, Ai começa a se lembrar de coisas sobre a vida dela antes de se encontrar vagando pelas ruas de Tóquio. Ela é ajudada por Kent, um jovem de origem americana e japonesa mestiço que é aspirante a músico profisional, e por Nora, um Dougen da própria dimensão de Ai que lhe enviou a este mundo para protegê-la de uma guerra entre humanos e Dougen no seu próprio mundo.

Os traços distintos de cada personagem neste mangá foram feitos por Ai Yazawa, uma artista de excelência de mangás cujas histórias frequentemente orientadas para moda (Nana, Paradise Kiss) são hits shoujo de grande sucesso. O mangá em si foi desenhado por Misaho Kujiradou, uma jovem talentosa com o senso certo para o estilo goth-loli.

Uma história que se passa no mundo da música e estrelas idolatradas no Japão requer a própria música, e o mangá Princess Ai se destaca por de fato realmente ter uma trilha sonora. Stu Levy (que assinou como D. J. Milky) escreveu as letras, e juntamente com Ben Chan (como b_nCHANt_d) colaborou na música. Uma série de videoclips foram produzidos para as músicas, e estão disponíveis no YouTube. “Broken Leash” apresenta animações incríveis criadas pelo excelente estúdio Satelight, e “Bleeding Heart” apresenta figurinos desenhados por marca gótica Baby the Stars Shine Bright e a marca lolita Angelic Pretty (com aparição especial da modelo / designer Maki-chan no vídeo). A dubladora Popular Tara Platt estrela como Ai-chan, e Yuri Lowenthal faz uma aparição como, é claro, Van Von Hunter!

A série principal tem três volumes – Destituição, Iluminação e Evolução. Existem outros materiais extras, mas, foco na série principal aqui.

A Princess Ai é praticamente uma alter-ego da Courtney Love, e a equipe que criou esse mangá nem tentou fazer segredo disso; até nos próprios comentários dos autores/agradecimentos a inspiração tá assumida sem arrependimentos. Sei pouco sobre a biografia da cantora, e ainda assim consegui enxergar um monte de referências a ela e à trajetória dela – o comportamento e personalidade da Ai lembram muito da Courtney, e tem algumas passagens que parecem obviamente inspiradas em acontecimentos reais.

Falar de Courtney Love sem falar de Kurt Cobain é um pouco difícil, já que os dois se influenciaram bastante, além de terem estado juntos por um bom tempo. Um personagem chamado Kent me lembrou bastante do artista falecido, e se a caixa em forma de coração da Ai não é uma referência direta à música Heart-shaped box, eu não sei o que é. Tem mais coisas que lembram da outra metade desse casal e do Nirvana, e seria estranho é se não tivesse.

O visual de cada personagem tá muito bem desenvolvido, e as personalidades ficaram bem marcadas no jeito que cada um se veste. Gostei do ritmo da trama, nem muito acelerado e nem arrastado demais, dentro do espaço da trilogia. O relacionamento da Ai e do Kent também ficou bem representado, de um jeito fofo sem ser meloso, e tá divertido de ler.

Gostei da quantidade de espaço que tudo o que colocaram teve – romance, mundo da música e a mitologia de Ailândia; fiquei bem contente, porque seria incrivelmente fácil que algum desses três temas se destacasse demais, e tá bacana.

Gostei muito das músicas de verdade que fizeram, e de vídeos curtos com trechos do mangá; lembram bastante o estilo de música da Courtney, e é o tipo de som que eu costumo ouvir. E eu ficaria bastante contente se produzissem ainda mais sobre a Princess Ai, apesar de achar pouco provável que aconteça.

informações

Título: Princess Ai – Destituição (vol. 1), Iluminação (vol. 2) e Evolução (vol. 3)
Autores: D.J. Milky (Stuart Levy), Ai Yazawa, Misaho Kujiradou e Courtney Love
Tradutora: Tatiana Öri-Kovács
Número de Páginas: 192 (vol. 1); 192 (vol. 2) e 208 (vol. 3)
Edição: Primeira edição, 2006
ISBN: Vol. 1 – 7898122650721; Vol. 2 – 7898122650813; Vol. 3 – 7898122650820
Editora: Conrad Editora/Tokyopop
Preço: 12,00 cada
Classificação: ★★★★★

You Might Also Like

No Comments

Leave a Reply

CommentLuv badge