coluna category image

Hot Topic – Marvel by Her Universe.

Se muitos já piraram com o lançamento do filme Os vingadores 2: Era de Ultron, muitas de vocês vão pirar com a notícia que vos trago! A Ashley Eckstein fundadora da Her Universe se uniu à Hot Topic (aquela loja MARAVILHOSA!) e juntas criaram uma coleção com os designs ganhadores de uma promo que rolou na Comic Con de San Diego em 2014. Ganhando assim todo o nosso amor e nosso coração!

colecao-de-roupas-marvel-by-her-universe-11

Completamente inspirada nos Vingadores, essa é a primeira coleção oficial criada pelos ganhadores do concurso Geek Couture (aquele que eu citei ali em cima!).

Hot-Topic-Her-Universe-Marvel-04212015-970x545

As peças ficaram num estilo bem vintage! Completamente femininas, vestidos com a cintura marcada e com decotes que ficam bem em quem tem tanto muito, como pouco busto.

Black-Widow-dress-Hot-Topic1

 

Só posso dizer que a Ashley, a Amy Beth Christenson e o Andrew MacLaine (vencedores do concurso) fizeram um trabalho lindo! Só achei que a coleção ficaria ainda mais legal se tivessem apostado também nos outros vingadores que acabaram ficando de fora como o Hulk e o Gavião Arqueiro. A coleção começou a ser vendida no site da Hot Topic desde 12 de maio e a boa notícia é que: eles estão entregando no Brasil. Agora preparem as carteiras! Os preços vão de $40 a $80 dólares. Outch!

Captain-America-dress-Hot-Topic

Minhas peças favoritas foram o vestido e a jaqueta da viúva negra e a jaqueta MARAVILHOSA do homem de ferro. Já quero! E a de vocês?

O mais legal é que se você quiser dá pra acompanhar pelo site da Hot Topic o processo de criação da coleção em pequenos episódios e ainda mais: Tá rolando um concurso lá onde você pode postar através do seu instagram o look que você usou quando foi assistir o filme, podendo ganhar a coleção inteira. Não é legal? Passa lá!

literatura category image

Dois Garotos de Beijando, David Levithan

IMG_0983

Todas as vezes que dois garotos se beijam, o mundo se abre um pouco mais.

Dois Garotos de Beijando, do autor David Levithan, foi o primeiro livro que li em que os protagonistas são gays. O primeiro, apesar de ter Will&Will na estante, do mesmo ator, escrito em parceria com John Green. O caso é que no Brasil são poucos livros que abordam esse tema e menos ainda os que têm uma capa como esta. Isso é um plano para a sociedade “engolir” essa história de aceitação aos homossexuais? Claro que não. Li isso pelo Facebook e achei ridículo. Não é possível que existam gays nos livros? Que mal tem isso? A minoria também não pode ser representada na literatura? Como já foi dito, nós precisamos de diversidade.

“[…] todas as pessoas nascem iguais, independente de quem beijam ou com quem transam, independentemente dos sonhos que têm e do amor que distribuem.”

Narrado em 3ª pessoa no presente, por uma geração que morreu em decorrência da Aids, Dois Garotos de Beijando acompanha a história Harry e Craig, dois jovens de 17 anos que estão decididos a quebrar o recorde de 32 horas se beijando para entrar no Livro dos Recordes. Enquanto isso, conhecemos Cooper, Neil e Peter, o casal de cabelos coloridos Ryan e Avery, todos lidando com seus próprios problemas.

“O amor é tão doloroso como podemos desejar para alguém? E o amor é tão essencial; como podemos atrapalhar o progresso dele?”

A leitura provoca algumas reflexões intrigantes e, espero que muitos, que não fazem parte do grupo que acha tudo isso natural, tenham empatia com os personagens e tragam isso para a vida além das páginas do livro. Porque a história, apesar de ter muitos floreios do autor e citações lindas, é bastante próxima da realidade, tanto que foi baseada em fatos reais. Você facilmente pode se ver naquela cena, ou algum amigo ou parente, e certas partes são de partir o coração. Dá vontade de abraçar cada um e dizer que tudo vai ficar bem.

“Você gasta tanto tempo e tanto esforço tentando se manter firme. E então, tudo desmorona de qualquer jeito.”

Demorei para me acostumar com a narração em 3ª pessoa, a falta de capítulos separados, a tantos personagens aparecendo e dando a vez a outros sem muita cerimônia do autor. Mas desde a primeira página percebi que este livro seria uma leitura diferente, que felizmente se tornou especial, e, por isso tornar-se difícil de falar sobre.

A Galera Record ousou em trazer a diversidade que tanto pedimos e somos gratos por isso, que outras editoras façam o mesmo e que o amor seja compartilhado, que a compreensão entre para as casas de famílias, que mais “Você é gay. E eu te amo.” seja dito para filhos e filhas por seus pais. A mudança começa por nós, devagar, mais um dia chegaremos lá.

“Este é o poder de um beijo: Ele não tem o poder de matar você. Mas tem o poder de trazer você à vida.”

informações

Cortesia da editora para resenha.
Título: Dois Garotos se Beijando
Autor: David Levithan
Tradutor: Regiane Winarski
Número de Páginas: 224
Edição: 2015
ISBN: 9788501102096
Editora: Galera Record
Preço: R$ 19,90 (Compre aqui)
Classificação: ★★★★½

cinema-2 category image

Cobain: Montage of Heck (2015)

Nirvana é uma das minhas bandas preferidas, e Kurt Cobain é dono de uma das personalidades famosas mais incríveis de que tenho notícia. As notícias sobre dois filmes sobre ele foram um presentão.

Vai ter documentário sobre o Kurt Cobain sim, e se reclamar vai ter dois.

Um dos documentários chama-se Soaked in Bleach – esse não saiu ainda, e estou na torcida pra que lancem logo. O outro chama-se Montage of Heck, que já tá lançado e vi assim que tive a chance.

KCMOH

Courtney Love, que é viúva do músico, e Frances Bean Cobain, filha dos dois, participaram da produção desse filme, que ficou muito bem feito. Fãs são o público alvo, e também é interessante pra quem curte o tipo de música que a banda fazia.

Ver as entrevistas é impactante de um jeito que às vezes você não esperava. Pelo menos pra mim, a diferença entre ler sobre e ver as pessoas na tela enquanto contavam foi gigante. Faltou entrevista do Dave Grohl, que pelo que vi divulgado não deu tempo de incluir antes do filme ser distribuído. E dá pra notar que tem muito mais nessa história do que mostraram. Tem muita polêmica que não foi explorada, e esse foi um dos poucos “defeitos” de Montage of Heck. Não só a pergunta “foi realmente suicídio?” ficou de fora, mas parece é que ninguém realmente sabia direito o que se passava na cabeça do Kurt e isso poderia ter ficado mais destacado. Daí a gente aguarda Soaked in Bleach.

A colagem de fotos, animações e trechos de filmagens foi de explodir a cabeça. Uma ou outra cena faz muito mais sentido pra fãs – por exemplo, um monte de temas que ele usava pra desenhar, escrever e compor estavam representados, mas não necessariamente explicados. O trabalho que fizeram de animar trechos de diários e ilustrações que ele tinha desenhado ficou bem do jeito que eu imagino que ele gostaria.

Os trechos com gravações ainda inéditas eram partes que, quando anunciaram, fizeram a galera ficar bem curiosa. Arrisco dizer que esses áudios foram um dos principais motivos pra esse documentário ter sido feito – ao mesmo tempo serviu pra mostrar um pouco da biografia do artista, e soltar essas gravações. E o filme continua interessante mesmo assim.

ficha técnica

Título original: Cobain: Montage of Heck
Direção: Brett Morgen
Elenco: Don Cobain, Jenny Cobain, Kim Cobain, Kurt Cobain, Courtney Love, Tracey Marander, Krist Novoselic, Wendy O’Connor
Roteiro: Brett Morgen
Trilha sonora: Jeff Danna
Duração: 145 min .
País: Estados Unidos
Gênero: Documentário
Trailer: (x)
Classificação: ★★★★☆