Coluna

Séries Britânicas – Parte 2

Existem várias séries por aí que não tem o reconhecimento que merecem, e isso não acontece só com as produções da Grã-Bretanha. MAS, para completar nossas indicações e apresentar para vocês ótimas séries não tão conhecidas, a equipe do WT está de volta para a tristeza dos hipsters, com a segunda parte do TopTop: Séries Britânicas. Na primeira parte, vocês viram as séries mais famosinhas, e nessa parte aqui são aquelas quase impossíveis de conhecer alguém que já ouviu falar. Leia e aproveite nossas dicas, ainda mais se você for um daqueles que gostam de conhecer as coisas awesome antes de todo mundo.

Ah, seguindo a mesma linha da primeira parte, as séries não estão em ordem de preferência porque, sinceramente, nem Ethan Hunt conseguiria essa proeza (sim, essa foi uma piadinha citando Missão: Impossível). Então segue aí a lista em ordem alfabética, porque somos umas fofuras mesmo.


Beaver Falls, por Thanny
Beaver Falls é uma série que você tem que assistir sem esperar NADA. O plot gira em torno de Flynn, o bonitão, Barry, o virgem bobão, e A-Rab, o apelido já o define, que saíram da Inglaterra para trabalhar num acampamento de férias na Califórnia, EUA. Para eles, esse trabalho seria moleza, regado com muita bebida, festas e garotas loucas para transar, mas nem tudo que mostram nos filmes americanos é verdade. Eles ficam responsáveis por um grupo mimado de pré-adolescentes gordinhos que sofrem bullying e vão ver que esse verão dos sonhos não será fácil pra ninguém.
Descobri BF durante as férias de Misfits e acabei viciando, mas como tudo que é bom, dura pouco, a série que melhorava a cada episódio acabou rápido demais. Se não me engano, uma temporada só tem seis míseros episódios. E tirando todos os clichês que são bastante aparentes no início, você acaba se surpreendendo com a qualidade do drama e comédia que se entrelaçam no roteiro. Os personagens são bastante carismáticos e divertidos, vale a pena gastar 40 minutinhos e conferir essa belezinha nas horas vagas. Diga sim às guilty pleasures da equipe!

Lost in Austen, por Sam
Quem nunca se imaginou dentro de um filme/série/livro que ama? Amanda Price é uma dessas: com um trabalho entediante e um namorado que não é romântico, ela usa seu livro preferido, Orgulho e Preconceito, para escapar da realidade. Até que um dia a própria Elizabeth Bennet aparece no banheiro da casa de Amanda. E aí a jovem do século XXI descobre um portal que a leva para a casa dos Bennet, e acaba conhecendo todos os personagens de seu tão amado livro. A personagem principal da minissérie é quase uma personificação de milhares de fãs por aí, exceto que, nesse caso, ela está realizando o sonho de muitas. As confusões em que Amanda acaba se metendo são engraçadíssimas, e os personagens são muito bem interpretados, mesmo aqueles que são, na verdade, diferentes do que foram descritos no livro. Elliot Cowan se tornou meu Mr. Darcy preferido, e Tom Riley é um lindo como Mr. Wickham. ~Elenco~ é um outro motivo pra você assistir a minissérie, que também conta com Alex Kingston, Gemma Arterton e Hugh Bonneville. Com doses certas de romance e cenas engraçadas, Lost in Austen agrada tanto a fãs de Jane Austen quanto quem nunca leu Orgulho e Preconceito (acredite em mim).

Luther, por Sam
Luther é uma daquelas séries que de dão uns tapas na cara de tão realistas que são. O DCI John Luther (o incrível Idris Elba) é um homem possessivo, obsessivo, que às vezes acaba ficando muito violento e perdendo controle, mas sua determinação e dedicação ao seu trabalho são indubitáveis. Afastado após ser acusado de quase matar um seqüestrador que investigava, Luther está de volta à polícia de Londres, e vai contar com a ajuda de Justin Ripley (Warren Brown) e de sua equipe para solucionar os mais violentos casos. Luther é um drama psicológico, então sua trama pode ser um tanto perturbadora para alguns. Luther é uma série tão profissional, mas tão profissional, que por vários momentos o espectador se pega esquecendo a realidade, de tão vidrado com as tramas e dramas que a produção pode trazer. As atuações são incríveis, principalmente a dos tantos criminosos dos episódios, a do ator principal e a de Ruth Wilson, que aqui é a psicopata mais linda do mundo, Alice Morgan. Se você gosta de serial killers, psicopatas e séries policiais de qualidade, Luther é a melhor recomendação. Se não gosta, Luther ainda assim é a melhor recomendação.

Robin Hood, por Geo
Outra série da BBC e num formato muito semelhante a Merlin: destinada à família, sem sangue, sexo ou outros elementos que usualmente vemos em séries da HBO ou Showtime. Pelo título vocês já sabem do que se trata, então devo deixar as introduções de lado. Confesso que eu não me agradei muito da série no início e comecei a vê-la pelo Harry Lloyd, o detestado Viserys Targaryen de Game of Thrones, mas acabei me apegando, principalmente por ter conhecido outro ator que hoje é meu favorito: Richard Armitage, quem interpreta o vilão emocionalmente instável Guy of Gisborne. Ver a série ficou fácil depois de começar a aproveitar a interpretação de ambos meus xodós e eu até ignoro o fiasco que foi o roteiro da series 3.

Spaced, por Sam
ALERTA, ALERTA, ALERTA DE SÉRIE GENIAL!!!!! Não to exagerando, juro. Spaced é ~a~ série genial. Também, não é pra menos, já que foi criada por Simon Pegg e Jessica Hynes, e tem Edgar Wright (diretor de Scott Pilgrim Contra o Mundo, Chumbo Grosso, Todo Mundo Quase Morto…) na direção. E, meus amigos, dessa mistura não poderia sair coisa mais incrível. Daisy é uma escritora, Tim é um cartunista, e ambos tem 20 e poucos anos, e estão tentando ganhar a vida em Londres. À procura de um lugar para morar, eles se encontram, e decidem fingir que são casados para conseguir o único apartamento que eles podem pagar. E daí, amigos, é só se segurar na cadeira e ser feliz, porque é, e eu repito, GENIAL. A série tem uma legião de fãs até hoje, e suas referências à cultura pop são usadas como referência. Fora que Simon e Jessica são ótimos, e que o estilo de Edgar se faz presente a todo tempo. Ok, não tenho mais o que falar. Aproveite minha dica, porque Edgar Wright + Simon Pegg = WHOA THIS IS SO AMAZING I CAN’T EVEN.

Strike Back, por Geo
Eu disse que o Richard Armitage virou meu favorito! Eu disse! Depois de me aventurar com Robin Hood, decidi conhecer mais dos trabalhos do ator, como North&South, Spooks e… Strike Back! Ele participa apenas da primeira temporada, de seis episódios, e um episódio da segunda temporada, a qual me recusei a acompanhar por motivos… que vocês vão saber se assistirem. Contando também com Andrew Lincoln de The Walking Dead, a série acompanha John Porter, um ex-soldado abalado pelas suas missões no Iraque que volta a ativa com a esperança de terminar o que não havia acabado da última vez. Durante as três missões que realiza, Porter acaba revelando detalhes de sua última ida ao Iraque, a qual acabou matando seu melhor amigo, que ele nem poderia imaginar.

The Fades, por By
Alô você que gosta de distopias! Dica quente! The Fades é uma série da BBC de seis episódios lançada ano passado, que conta a história de Paul, um garoto capaz de ver as almas dos mortos que não conseguiram fazer a assenção. O apocalipse está chegando e muitos pontos de assenção estão fechando sem motivo aparente e ele precisa arranjar um jeito de ajudar essas almas. Mais importante que isso, uma nova categoria de “fantasmas” surgiu na Terra: os Fades, que comem carne humana e voltam a ter um corpo sólido. O início talvez pareça muito lento, mas não se deixe enganar: a série é muito boa e bem estruturada. Criada pelo ex-roteirista de Skins Jack Thorne, a série ainda tem Lily Loveless (Naomi, gen 2), Dan Kaluuya e Joe Dempsie (Posh e Chris, gen 1) no elenco. INFELIZMENTE foi cancelada, por pura falta de sacanagem da BBC, mas antes de descansar em paz, recebeu duas indicações aos BAFTAs. Se você gosta de apocalipse, terror e/ou está louco para ver Joezinho interpretando um vilão e tanto, vale a pena conferir.

The IT Crowd, por Sam
Se você gosta de The Big Bang Theory, acha que nerds/geeks (não sei a diferença, 1bj) são uns lindos, mas nunca assistiu The IT Crowd, corre antes que eu possa te meter porrada. Seríssimo. Tendo cenário no departamento de Suporte Técnico (IT, em inglês) das Indústrias Reynholm, a série conta as peripécias e aventuras nas quais Moss, nerd e antissocial por natureza, Roy, nerd e irlandês, e Jen, que não sabe nada sobre computadores, acabam se metendo, e sobre essa amizade estranha que eles acabam construindo. Eu já disse umas 51684651 vezes o quanto amo séries que saem do lugar comum, e The IT Crowd é a campeã dessas. Só de assistir o piloto se vê quão engraçada a produção é, tirando sarro de tudo, e como eles conseguem criar coisas doidas sem parecer tosco. E é engraçadíssima, daquelas que você se pega rindo durante 15 minutos da mesma piada, o que acontece toda hora, e você morre de rir mesmo da tão repetida frase “Hello, IT, have you tried turning it off and on again?”. Os personagens secundários também são ótimos, e o elenco é lindo, e The IT Crowd é vida, e tenho dito.

The Mighty Boosh, por Sam
COME WITH IS NOW ON A JOURNEY THROUGH TIME AND SPACE. TO THE WORLD OF THE MIGHT BOOSH… Da série “Cara, isso é tão ridículo que é awesome”, TMB também pode ser definida como minha amiga Sue falou: “Você acha que já viu algo nonsense até assistir The Mighty Boosh”. E é isso aí mesmo. Escrita e estrelada por Julian Barratt e Noel Fielding, a série é uma mistura de nada com coisa nenhuma. E eu falo sério. Os personagens principais são Howard Moon (Barratt) e Vince Noir (Fielding), amigos que são totalmente diferentes. Enquanto ninguém se lembra da existência de Howard, um grande amante de jazz, Vince é um daqueles caras impossíveis de não se notar: primeiro porque ele é “feito de raios de sol”, e segundo porque seu estilo é, no mínimo, extravagante. Outros personagens fixos são o shaman Naboo, o gorila (sim, um gorila, e sim, ele fala) Bollo, e Bob Fossil que… Bem, é Bob Fossil. E os atores também fazem outros personagens ao longo dos episódios, é uma maravilha. Como fã incondicional de The IT Crowd, minha felicidade é ver que, além de Noel, outros atores do elenco aparecem em Mighty Boosh, como o incrível Richard Ayoade e o awesome Matt Berry. Você que gosta de coisas inusitadas, preciso dizer que, em TMB, saem uns monstros DO NADA, rolam umas musiquinhas super aleatórias, CRIMPS, tramas que te fazem rir de tão estúpidas que são, a lua fala e é tudo muito tosco. Mas é um tosco sem a menor vergonha, que acaba divertindo. É uma das poucas que consegue sair do lugar comum mesmo se passando num lugar comum (a primeira temporada se passa num zoológico, a segunda no apartamento de Naboo, e a terceira numa boutique). Ok, minha dica tá dada. TMB é meu bebê, TMB é amor.

Zen, por Geo
Três episódios, uma hora e meia cada um; o mesmo formato de Sherlock e também da BBC. A série Zen permaneceu desconhecida depois de ter seus três capítulos exibidos em 2011, mas eu, como uma fã ávida de Rufus Sewell, venho aqui divulga-la. É uma série muito boa, realmente, um drama policial inspirado nos livros de Michael Dibdin e ambientado na bela Itália, especialmente nos cenários maravilhosos de Roma. O personagem principal é Aurelio Zen, um detetive veneziano, como várias vezes é dito na série, honesto demais para seu próprio bem. Seus métodos erráticos e éticos demais muitas vezes colocam-no em problemas e pessoas que não são nada como ele cercam-no em um jogo de mentiras e tramoias enraizadas até na Igreja Católica. Isso tudo e uma pitada de comédia e romance.

E aí? Você conhecia alguma dessas séries ou ficou feliz com nossas dicas super divas? Hein, hein?

Postagens Relacionadas:

You Might Also Like

6 Comments

  • Reply
    Mareska
    May 16, 2012 at 9:08 pm

    IT CROWD *O*

  • Reply
    Babi Lorentz
    May 17, 2012 at 2:46 am

    CADÊ MISFITS NESSA LISTA? Hahaha, eu adoro!
    Enfim, dessas, a que mais quero assistir é Lost in Austen.
    Beijão.
    Babi Lorentz recently posted..Adaptando Livros: Entrevista com o VampiroMy Profile

  • Reply
    Raíssa
    May 17, 2012 at 2:25 pm

    Lost In Austen é tão fofo! :3 As outras eu realmente não conhecia, apesar de já ter ouvido falar de algumas aí… :) Uma série britânica que eu queria muito assistir é Life on Mars e Ashes to Ashes. :D Só pq são músicas do David Bowie, hahaha!

    adorei o post!

    bjs!
    Raíssa recently posted..O Espetacular Homem-Aranha: Novos Pôsteres e Preview de 4 minutos!My Profile

  • Reply
    Andreza
    May 17, 2012 at 6:29 pm

    Adoro The IT Crowd!! Muito engraçado mesmo!! /grin
    Andreza recently posted..Just for fun and nothing elseMy Profile

  • Reply
    Who's thanny? » Blog Archive » Luther
    June 29, 2012 at 1:25 pm

    […] Todos eles e cada um deles, até os que não aparecem tanto. Eu provavelmente já citei isso no TopTop de Séries Britânicas, mas repito: os atores são tão profissionais que até dói. O maior destaque vai para o […]

  • Leave a Reply

    CommentLuv badge