TopTop: Quatro relacionamentos que NAY e quatro que YAY

Edição especial de Dia dos namorados! (Também conhecido como: demoramos mas chegamos)
Amar é…

O mundo é um local confuso. As pessoas são estranhas.

Tá bom que isso não é novidade pra ninguém, mas fica difícil deixar de reparar quando tantos relacionamentos esquisitos estão sendo mostrados para nós e ainda tem gente que acha a coisa mais normal/romântica/perfeita do mundo.

Quer dizer, quê?

Porque a nossa equipe tem andado such lost, much confused, wow, nesse dia dos namorados resolvemos trazer para os leitores cinco relacionamentos que não fazem muito sentido em nossa cabeça pelos mais diversos motivos (NAY) e outros três que são definição de “amar é…” aos nossos olhos (YAY!).

Aperte os cintos.

CASAIS NAY:

  1. Octavia e qualquer personagem masculino em The 100

Talvez a gente tenha obrigação de falar de Octavia Blake. Octavia Blake, o bebê clandestino que não devia ter nascido, que cresceu escondida num buraco no chão do pequeno apartamento compartilhado com a mãe e o irmão mais velho, Bellamy. Octavia, cujo primeiro contato com outros seres humanos além de sua família, com mais ou menos 15 anos de idade, foi no fatídico dia em que foi descoberta – gerando a demissão de seu irmão e a expulsão de sua mãe. Octavia, que desde então continuou isolada, agora em uma cela de prisão. Dito isto, vale lembrar que Octavia também é lindíssima e boa batedora de boca. Tais características contam muito ao seu favor quando ela e o irmão, junto dos cem, chegam à terra. O primeiro a reparar nela é o geek Jasper (s2), que logo no primeiro episódio faz de tudo para conseguir impressioná-la. Tá, até aí tudo bem. Mas no segundo episódio, quando Octavia acha que Jasper está morto/morrendo, Bell coloca um de seus homens de confiança, Atom, tomando conta dela. E é claro que Atom se apaixona e envolve com ela num espaço de dois episódios até o momento de sua inevitável morte.

Nesse ponto, Jasper já está bem de saúde de novo e ela o está ajudando a se recuperar do trauma – sem romance. Ufa. Aquela bitoquinha de agradecimento não conta. O que conta é que não muito tempo depois, Octavia é perseguida por alguém, se machuca e é resgatada por esse mesmo alguém que a assustou: um grounder caladão (e bonitão, obviamente) que sabe desenhar – inclusive o belo rostinho dela – e faz questão de mantê-la acorrentada sem dizer uma palavra do porquê, chegando ao ponto de ela achar que eles não falam a mesma língua. É só um par de episódios depois, quando Octavia consegue ajudá-lo a escapar da prisão torturosa onde Bellamy imprisionou o grounder que ele revela seu nome: Lincoln. A partir daqui já dá pra imaginar onde a história chega.

His Sister's Keeper

A quantidade de gente shippando Linctavia é uma coisa impressionante. Impressionante porque assim: gente, ceis esqueceram que ele ficou stalkeando a menina? Ceis esqueceram que ele era obcecado por ela, que a manteve presa (mesmo que para mantê-la em segurança) sem dizer uma única palavra, sendo que ele poderia muito bem ter SIMPLESMENTE DITO A DROGA DO MOTIVO DELA PRECISAR FICAR ESCONDIDA? Não pode se, gente, não pode se. Quer dizer, not cute. Pfvr para.

Porque olha, não é porque a Octavia foi escrita de um jeito todo estranho (essa menina devia ter sérios problemas sociais, gente, ELA CRESCEU NO BURACO DO CHÃO!!!) que sua vida amorosa pode ser esquisita também, vamos combinar né? Roteiristas, um pouco de sentido, por favor.

  1. Mae/Justin (Tabuleiro dos Deuses)

Uma palavra sobre esse ship: TÉDIO! Não dá pra engolir Mae/Justin e isso é extremamente decepcionante vindo de Richelle Mead, a criadora de um dos mais encantadores casais da literatura YA. Rose/Dimitri tem tudo: química, espontaneidade, amor pra dar e vender. O casal principal de Tabuleiro dos Deuses, no entanto, é empurrado contra nossa garganta e, Deus, por quê? POR QUÊ?

Não dá, simplesmente não dá.

  1. Sterek (Teen Wolf)

teen-wolf-derek

Maior exemplo pra sempre de “não, né gente”, Sterek é ambíguo. Ao mesmo tempo que sim, tudo bem, suas cenas/interações são sempre ótimas, cheias de uma tensão cômica que chega a quase ser sexual, fica meio difícil enxergar romance entre os dois personagens. Respeito? Às vezes. Provocação? Sempre. Romance? Não, né gente. Sterek não foi feito pra ser e nem será – isso o criador e os roteiristas já deixaram bem claro.

Sterek é aquele crackship que saiu do controle. Boa parte de seus fãs faz um grande alarde (para não dizer bullying) por causa deles, floodando inclusive as redes sociais dos envolvidos no show e aporrinhando a vida de quem torce por outros casais. Quaisquer personagens femininas que se tornam potenciais interesses amorosos tanto para Stiles quanto para Derek recebe um hate imediato de tal forma que chega a ser ridículo. Eles arranjam os maiores argumentos sobre como os personagens não deveriam se envolver emocionalmente com fulana e ciclana, mas então concluem com um “Já se for com o Derek/com o Stiles” e aí você já sabe que a pessoa é meio doida, porque não né gente.

O maior problema não é ter um casal gay em Teen Wolf. Deus sabe que adoramos as interações de Stiles e Danny e todos os romances em que Danny se envolve (Dethan s2). O problema é que mesmo que Sterek desenvolvesse um romance em algum ponto de suas vidas, não deixaria de se tornar mais um desses novos “novos adultos” que vemos por aí: abusivo. Derek é violento e a maioria das cenas em que os dois participam envolve Stiles apanhando de alguma forma, ou sendo forçado a ajudar contra sua própria vontade. Não dá pra encontrar tensão sexual quando Derek está ameaçando partir Stiles em dois caso ele não faça o que está sendo mandado. Sério, Sterek pode ser um bom bromance. Levou três temporadas (praticamente quatro porque né) para Derek começar a respeitar Stiles; como eu disse, as interações entre eles são muito boas, geralmente ditam o tom de comédia do show, mas romance? Não, né gente.

  1. Franky e qualquer personagem na 6a temporada de Skins

Skins.S06E04.Franky.720p.WEB-DL.AAC2_.0.h.264.ECI_.mkv_snapshot_12.25_2012.02.15_21.39.33

Nós conhecemos a 3a geração de Skins através dos olhos de Franky Fitzgerald, uma garota artística, excêntrica e única cuja conexão com pessoas se dava em níveis diferentes da maioria. Seu jeito adorável é desconstruído na 6a temporada quando ela descobre o efeito que tem sob os homens. Começando com Matty, um relacionamento construído desde a temporada anterior, Franky conseguiu destruir cada uma das pessoas com quem se envolveu. O primeiro estava no acidente que colocou a doce Grace num coma que futuramente a levou à morte. Depois dele, veio o perigoso Luke, que também tinha sua parcela no acidente do episódio de abertura. É fácil dizer que, na verdade, foi Franky quem saiu destruída desse “romance”, mas o encontro com Luke só fez com que ela chegasse como A WREEEEEEEEEEECKING BALL na vida de Nick, irmão de Matty. Ela se envolveu e abandonou o menino num espaço de três episódios alegando estar cansada dele e levando consigo a grávida Mini numa desventura ao tentar sair de Bristol.

Nem o adorado ship Minky sobreviveu bem na 6a temporada. No final do episódio que as personagens compartilham, Mini chega à conclusão que Franky não é uma pessoa que lhe fará muito bem. Ela tem sua mãe, sua bebê, seu namorado e Franky está tentando afastá-la de tudo isso. Me diz que isso não é fucked up? Franky foi escrita muitíssimo mal na 6a temporada, basicamente por causa de seus relacionamentos NAY, se tornando um dos maiores desapontamentos da série.

CASAIS YAY:

  1. Will Smith e Jada Pinket-Smith

 

Talvez a família preferida de todos, os Smiths são aqueles que a gente diz “no dia em que eles se separarem, pode ter certeza que não existe amor em Hollywood”.

will_smith

  1. Emma Stone e Andrew Garfield

Sabe aquele casal fofo e talentoso que você olha e querabraçar e guardar dentro de um potinho de tanto amor? Juntos há mais de 3 anos,Emma Stone e Andrew Garfield, ou Stonefield, é o casal mais fofo e talentoso do momento. Asintonia deles é tão perfeita que se um dia (e eu espero que nunca) terminarem,meu mundinho frágil vai se quebrar em mil pedaços.

Eles SEMPRE parecem estar incrivelmente apaixonados um pelo outro, seja for a como dentro das telas,adoram elogiar e incentivar o trabalho um do outro e não tem vergonha de demonstrar afeto um pelo outro durante entrevistas. Aliás, parece que os dois resolveram juntar os trapos e se casar em breve, e se isso for verdade, já estamos esperando os dois povoarem esse mundo com mini Andrews e Emmas para nossa alegria.

 

(essa imagem, i can't)

  1. O Rei e o Rei: Beyoncé e Jay-Z

Não é preciso dizer muito e é fácil sacar que os Reis que formam o casal mais poderoso do mundo são Bey e Jay. Juntos há mais de dez anos, seu relacionamento é quase um negócio (seguindo o padrão Brangelina de influência). Fortes defensores de seus ideias, BFFs da família presidencial dos Estados Unidos, filantrópos e, acima de tudo, humanos (such a brave thing, to be human nowadays), os queridinhos universais são um bom exemplo de que o romance não morreu.

rs_560x415-140126185349-1024.beyonce-jayz.cm.12614_copy

  1. Sydney/Adrian (Bloodlines)

No início eu não estava animada para esse casal. Parecia forçado, nonsense e, ugh, ainda estava de ressaca por Adrian/Rose (vamos, por mais que Romitri seja um amorzinho, eu ainda via um futuro para Rose e Adrian). Acontece que, enquanto eu lia e o relacionamento entre os dois ia se desenvolvendo, todo o encanto se tornou simplesmente irresistível. Sydney abriu muito mais seu coração e passamos também a conhecer muito mais de Adrian, a ver faces que ficaram escondidas em VA justamente por Rose não ter a capacidade necessária para decifrá-las.

the-fiery-heart-trailer-richelle-mead

Foi só aí que, bem, vi que Rose e Adrian não tinham futuro algum. E que Sydrian era só o que havia no meu coração (mesmo que meus sentimentos quanto à série Bloodlines sejam um tanto controversos).

 

 

 

 

Playlist: Cara, você tem problema

E aí, ficou faltando algum casal NAY? E casal YAY? Comenta ali embaixo!

You Might Also Like

4 Comments

  • Reply
    Marcelle
    15/06/2014 at 7:10 pm

    Eu shippei a Franky na 6ª temporada com o Nick e a Mini u.u e só não shippei com o Luke por ele ser o causador da morte da Grace e por aquela última transa bizarra que ele virou o rosto da Franky, mas as outras foram tão boas que mesmo eu detestando ele e falando pra Franky “como você pode ficar com o assassino da Grace?” eu meio que entendia ela kk E shippei muito Minky, queria que tivesse dado certo naquele episódio, elas não pareciam só amigas, cara. E olha que eu sou a que mais acha ridículo gente que quer shippar tudo e não pode acredtar numa simples amizade, Minky foi meu primeiro, e até agora único, ship que nunca chegou a se realizar, mesmo que no final não terminasse junto (isso também é crackship?)

  • Reply
    Mareska
    23/06/2014 at 1:49 pm

    Não tenho problema com Sterek (gente, eu shippo Loki e Darcy e eles nunca tiveram nem cena juntos, sem contar que eu shippo pessoas QUE NEM SÃO DA MESMA SÉRIE LOL), eu tenho problema com OS SHIPPERS de Sterek porque pelo que vejo pelo tumblr a maioria esmagadora deles é delusional, mal educada e insuportável. Sem contar que a maior parte do bullying com as personagens femininas vêm deles, então já viu.
    Mareska recently posted..Links da semana #3My Profile

  • Reply
    Axwell
    22/01/2015 at 9:01 am

    Aquele momento em que você fica sem acompanhar uma série e depois descobre algo bombástico! Sterek?! OMG. Preciso de ar para respirar.
    Axwell recently posted..“Harry Potter e a Pedra Filosofal” vai ganhar versão ilustrada em 2015My Profile

    • Reply
      Byzinha
      22/01/2015 at 2:27 pm

      Amigo, Sterek não existe, é ilusão dos fãs. Eles nunca em momento algum tiveram algum romance, eles mal têm cenas juntos! O que tem de bombástico nisso?

    Leave a Reply

    CommentLuv badge