Televisão

The Yard

O mundo das crianças não é aquela inocência que aparenta ser. Ou você acha que elas estão livres da corrupção, ganância, violência, sedução, traição? The Yard (O Pátio, em tradução livre), minissérie produzida pela HBO Canadá, faz analogias sensacionais entre o mundo vivido pelas crianças no colégio com o mundo adulto. E caro leitor (a), você verá que ser criança não é nada fácil!

Quer saber como funciona aqui? Olhe por aí. Esse é o pátio, esse é o nosso mundo. Ele pertence a todos nós. Tem os esportivos que lutam por espaço com as que pulam corda, e os nerds, os idiotas, as meninas populares, e as não populares, os indecisos, todos cuidando da própria vida. Brincando do que querem brincar. E para que isso aconteça sem problemas, eles precisam de um líder. Que no momento, sou eu. – Nick


Nick (Quintin Colantoni) é um garoto de 12 anos que lidera o grupo dos mocinhos no colégio junto com Adam (Devan Cohen), J.J. (Alex Cardillo), Johnny (Shemar Charles) e Suzi (Keana Bastidas). Eles dominam o pátio, mantendo a paz e a ordem, enfrentando a gangue liderada por Frankie (Daniel Lupetina) que pratica o bullying. Contando assim, você não imagina o grau de rivalidade entre as duas gangues. Eles agem como verdadeiros chefes da máfia, é simplesmente genial!

Não se deixe enganar. Só porque é uma série com crianças, não quer dizer que é para crianças. “The Yard” tem uma linguagem um tanto pesada, com bastante palavras com F. A narrativa segue o estilo de um documentário. O drama principal, do que acontece no intervalo, é intercalado com cenas de entrevistas com as crianças, feitas pelo documentarista Paul Gross (um dos produtores executivos da minissérie). O que dar um ar de comicidade a cada episódio. O mais hilário é o Adam, por ser o mais novo do grupo interpreta com mais inocência as situações vivenciadas.

Tiro meu chapéu para a criatividade do roteiro e pela metáfora criada. As crianças dão um show de atuação e os personagens são únicos! E digo com toda certeza, que é boa do início ao fim. Triste é saber que só tem seis episódios.

Ao assistir essa série, garanto que você irá recordar de várias experiências divertidas e nostálgicas da infância. E claro, dará boas risadas!

Criada por Michael Mabbott e David Eddie, a minissérie é produzida por Paul Gross e Frank Siracusa, através da produtora Whizbang Films, em parceria com a Astral e Corus Entertainment. A produção teve o auxílio da Canada Media Fund, Rogers Cable Network Fund, The Canadian Film or Video Production Tax Credit e The Ontario Media Development Corporation, com distribuição da Entertainment One. Ainda não tem previsão para ser exibida na TV brasileira.

You Might Also Like

5 Comments

  • Reply
    Rafaela Regis
    25/10/2011 at 12:15 am

    Hahahaha!!!
    Ja tinha ouvido falar dessa serie.. mas nunca tinha parado para “ver” porque quando vi q tinha criança imaginei que era uma dessas series bem lesinha sabe!

    Mas agora O.o vou atras dela!

    Hahahaha adorei: ” A diferença entre os corpos das garotas e dos garotos e que os corpos das garotas não sabem peidar” hahahaha

    =*
    Rafaela Regis recently posted..Divulgação… – Jardim de Escuridão – Bianca CarvalhoMy Profile

  • Reply
    Juliana
    25/10/2011 at 1:13 pm

    hahahahahaha NOSSA, nunca ia imaginar uma série protagonizada por crianças – e crianças mesmo! Nunca tinha ouvido falar dela, mas parece ser muito legal *-*
    Adorei o gif hahahahahaha

    Beijooo!

    Ju
    julianagiacobelli.com
    Juliana recently posted..Resenha – Minha Alma Para LevarMy Profile

  • Reply
    Juh Claro
    26/10/2011 at 11:16 am

    Nunca ouvi falar nessa série, Thanny, mas parece ser bem interessante, hein? Procurarei na internet depois para dar uma conferida.
    Adoro crianças e acho a maioria delas ótima, são normalmente muito inteligentes.

    Adorei o post :*
    Juh Claro recently posted..Meme Literário de Um Mês #25My Profile

  • Reply
    Silvana Freire
    26/10/2011 at 4:27 pm

    Conheci a série no Baixando Facil e qdo li a sinopse soube q mesmo tendo crianças com protagonistas vivendo situações “adultas” ambientalizadas no universo infantil ela não me inspirou a ver…
    Por pura vontade de não quebrar minhas lembranças de criança…Bobas e inocentes…
    O mundo já está adulto demais e isso reflete nessa série q se fosse falar de crianças simples e “normais” fazendo bagunça no patio não despertaria a curiosidade de ninguem pois em mim não despertou nem sendo a pioneira no assunto …

    Mas o post está otimo. Cheio de informações sobre a produção!

    • Reply
      thanny
      28/10/2011 at 12:11 pm

      Oi, Silvana
      Você chegou a assistir a série? Porque quando falo que há essa metáfora entre o mundo infantil e adulto, não é dessa forma que você está pensando. São situações que acontecem no pátio que podem ser comparadas a situações mais complicadas, como o “tráfico” de sanduíches de manteiga de amendoim, como eles fariam isso sem ser pegos? o que fariam com as crianças que tinham alergia? qual o valor justo a ser cobrado? As crianças continuam inocentes, vale super a pena. /smile

      Beijos!

    Leave a Reply

    CommentLuv badge