Televisão

The Walking Dead

(Eu tinha que estar estudando! Mas…)

twd9

Estava em uma conversa com os amigos da faculdade pelo WhatsApp. Eis que alguém veio questionar sobre essa série. Percebi que o preconceito que eu tinha com ela antes de começar a assisti-la era o dessa minha amiga e pensei: “Tenho que tirar isso da cabeça das pessoas!”.

The Walking Dead é uma série excelente! Sim é uma série de zumbis. Sim, ele (Rick Grimes) usa um chapéu de caubói e eventualmente tem uma mulher espadachim badass (Michonne!!). Mas também tem diálogos e situações bastante verossímeis.

Vamos começar do começo: baseada nos quadrinhos, a história se passa nos arredores de Atlanta e a primeira temporada inicia com um tiroteio, onde um policial é ferido (bastante Mad Max feelings). Algum tempo depois ele acorda e o mundo está desértico. Ou praticamente. Desértico de pessoas vivas. Ainda cambaleante e fraco, Rick Grimes (Andrew Lincoln) é salvo por Morgan (Lennie James) e finalmente entendemos um pouco do que aconteceu com o mundo. Mas logo eles se separam, porque Rick tem que procurar a sua família: Lori (Sarah Wayne Callies) e Carl (Chandler Riggs).

Ele os encontra e junto com eles está o melhor amigo e parceiro de Rick, Shane (Jon Bernthal) e um grupo de sobreviventes vivendo em uma clareira numa montanha. Ali, no começo, são todos assustados, frágeis, homens da era tecnológica que precisam de um xerife para ajuda-los a sobreviver e manter a paz. A partir dai, o problema não são os zumbis, mortos, são os vivos, como sempre.

A sociedade está acabada. Entretanto, o que esse grupo tenta resgatar, ao menos manter, é a civilidade. As características dos piores lados dos seres humanos se afloram quando postos numa perspectiva menor e com o zoom no máximo. Temos um retrato da sociedade, sob as piores condições possíveis: pessoas tentando sobreviver, às vezes, ao custo de outras.

É a era das cavernas! É a lei do mais forte. Inicia-se então a construção de laços que veremos até a última temporada em andamento (a 6ª). Aquele primeiro grupo da clareira, da primeira temporada, se transforma em uma família, moldada pelo meio, tought love, que está decidida a sobreviver junta.

twd8

Rick é o retrato do herói americano. Desde o seu acidente de trabalho, onde sua única preocupação era com a família, a sua vontade de proteger a todos que encontra, de se arriscar para salvar o próximo, de tomar decisões duras pelo bem de todos. A transformação de Rick ainda não terminou, mas quando olho bem para ele, vejo o monstro maravilhoso surgir de dentro daquela casca do príncipe encantado. Nesse momento ele já é um anti-herói bastante crível e coerente. O mundo acabou, os heróis têm que ter formas diferentes. E ele vai suprir todas as expectativas, coberto de sangue.

Acompanhamos também a evolução de personagens, construção e desconstrução de caráter: (vou listar alguns por ordem de aparecimento na série)

Glenn (Steven Yeun) era um menino, daqueles entregadores de pizza. E o crescimento  dele foi espetacular (inclusive físico, olha!). Ele é forte, destemido e apaixonado. Foi o motivo pelo qual eu fiz a lista “top 5 dos que não podem morrer” (tenho uma dessa pra GoT também. Mas calma, não é naquele nível de “eu-te-amo-e-você-morre”).

twd5twd7
Daryl (Norman Reedus) era um outcast, underdog, perfeito azarão, que se descobriu dentro da “família”. Ele é um personagem excelente, consistente, é o protetor de todos, o justo, que se sacrifica pelos outros. (Top 5, acho que em primeiro lugar!)

Carol (Melissa McBride), a dona de casa submissa, que sofre violência doméstica. Dócil, ingênua, (às vezes digna de pena), vai se mostrando resiliente a tudo e endurece como aço, até demais (Arya Feelings). Outra mulher badass, que também está no meu top 5.

Michonne (Danai Gurira) estava desconstruída. Ela era quase um animal quando encontrou Andrea (Laurie Holden), e pouco a pouco, junto do grupo, transformou-se em uma das líderes e apoiadoras de Rick. (top 5!)

Muitos outros personagens são especiais para a série, Maggie, Beth, Hershel, Sasha… São tantos!

A AMC está de parabéns! Cheguei a comentar, naquela minha conversa com essa minha amiga, que eu acho que eles fazem apostas, tipo StandUp Comedy: “Qualquer tema! Qualquer tema e eu transformo em ouro!”. São fucking zombies! E eles conseguem fazer algo excelente sair do meio disso. Vide Breaking Bad  e Into de Badlands (cara, espadachins e feudalismo, oi?! Esperando a segunda temporada…)

A premissa é a óbvia: é um vírus descontrolado (ainda não sabemos quem é o responsável, pois estamos vendo do ponto de vista de Rick e sua “família”), que contaminou a humanidade a nível global e arrasou com toda a civilização humana. Mas os contextos em que esses personagens são inseridos, as pequenas ironias de fim de mundo… vou dar dois pequenos exemplos (tenho medo de spoiler): 1) em determinado momento eles vão morar dentro de uma prisão; 2) a luta de humanos versus zumbis vira a diversão do sábado à noite (gladiadores feelings?, UFC feelings?). É o apocalipse zumbi e o problema são os humanos! O roteiro é afiado, os diálogos são selvagens…

twd

Não é a toa que a série ganhou um spin off (prequel), Fear the Walking Dead, que eu ainda não assisti, mas irei, assim que a minha vida adulta chata permitir.

Então, se até agora eu não te convenci de que The Walking Dead é uma série que vale a pena ser assistida, eu não sei mais o que é preciso.

You Might Also Like

No Comments

Leave a Reply

CommentLuv badge