Evento

Ribeirão Preto Anime Fest – 29 e 30 de julho de 2017

E o Ribeirão Preto Anime Fest – RPAF aconteceu, e eu estive lá com credencial concedida pelo evento para cobertura aqui pro Who’s Thanny.

Foram aprovados dois convites pra gente, pros dois dias do evento, mas somente eu, Hypia, da equipe que escreve aqui tinha possibilidade de ir. Obviamente só um dos convites seria usado por mim; convidei minha prima Bruna – que tem blog e faz vídeos no YouTube – pra usar o outro, mas ela já tinha comprado o ingresso dela, e ofereci pra outro amigo meu, o Pedro – que também tem canal no YouTube – e infelizmente ele também não poderia ir. Não achei ninguém com quem eu tenho amizade que pudesse me acompanhar, então o segundo convite acabou não utilizado.

Cheguei ao local mais ou menos dez horas da manhã do sábado; por estar com convite de imprensa me deixaram entrar antes da abertura dos portões pro público em geral, que seria às 11 horas, enquanto tinha praticamente só o as pessoas da organização lá dentro. A parte boa disso: chance de circular pelo evento, conhecer as lojas, salas temáticas e os espaços todos o mais livremente possível, de um jeito que em eventos maiores é meio impossível. Ah, falando em conhecer evento antes do restante do público, se alguém aí quiser me presentear com um convite da Spoiler Night da Comic Con Experience eu não vou reclamar.

Curiosidade: praticamente junto comigo tinha chegado uma das desenhistas que estaria no Artist’s Alley, a Noah Rissatti, que achei uma fofíssima; lá dentro também tive a oportunidade de interagir com a M.C. Scuracchio, outra fofura – inclusive comprei uns adesivos de artes dela. Tinha mais gente legal lá, e vocês podem conferir um pouquinho mais aqui. O trabalho dos outros artistas também é muito legal.

Tanto no sábado quanto no domingo assisti a todas as apresentações de coreografias de k-pop – e achei TODAS as apresentações bastante boas – se eu fosse precisar avaliar, ia achar bem difícil escolher uma “melhor” pra premiar.

Galera que se apresentou no sábado:

Pessoal que se apresentou no domingo:

Vi parte dos desfiles do concurso de cosplay no sábado, e vi tanto os desfiles quanto as apresentações no domingo. É uma das principais atrações do evento – junto com as palestras.

Alguns dos cosplays que vi e achei mais legais:

Pausa para nostalgia com esses cosplays de personagens de W.I.T.C.H.:

Antes que eu me esqueça, tem um negócio que aconteceu no domingo e achei muito legal: o cosplay da minha prima foi escolhido como melhor do desfile naquele dia!

(a Bruna é a que está do lado da Harley Quinn)

Sobre as palestras: gostei das escolhas de convidados; achei todo mundo que subiu naquele palco pra dar entrevista muito de acordo com a proposta do evento e imagino que uma boa parte do público lá goste daquela galera. Achei bem bacana colocarem aquele pessoal pra falar sobre criação de conteúdo pra internet e experiência de trabalho online, porque muito do que foi discutido é bem importante pra quem tenta a sorte nessa área – e olha que só acompanhei parte dos diálogos.

Amei que a Haru Jiggly e a Diana Zambrozuski falaram sobre problemas que mulheres online enfrentam entre o público de videogames e que não acontecem com homens, e junto com o Gordox compararam a diferença entre o tipo de tratamento que elas recebem e como ele é tratado nas mídias sociais. Achei a forma que dialogaram muito clara, mesmo sem usar a palavra “machismo” nem meia vez pra descrever os problemas que expuseram. Talvez tenha sido a melhor estratégia fazer essa exposição do jeito bem didático que foi, pra tentar abrir possibilidades de diálogo não agressivo sobre como mulheres são tratadas, não só online mas em qualquer espaço em que a gente esteja.

Tinha várias salas temáticas bem legais: uma que pra mim se destacou bastante foi o Cecirelle Café; o Espaço Centurion tinha muito jogo bem legal, e uma das coisas que pensando melhor agora eu considero que fui bem burra de ter deixado passar a oportunidade de experimentar foi o VRocket Realidade Virtual; as outras salas também estavam bem legais – k-pop, Just Dance e todas as outras.

Tinha bastante gente lá no evento, e mesmo assim praticamente não senti em qualquer momento sensação de “sufoco”. Minha aposta é que por terem organizado o evento com dois dias, uma boa parte das pessoas optou por visitar somente uma das datas, e achei que ficou bem arejado – se o público do evento inteiro fosse concentrado num dia só aí sim a experiência talvez ficasse piorada. O domingo me pareceu ter mais público que o sábado, muito provavelmente por conta do show da banda The Kira Justice, que eu gostaria muito de ter ficado lá pra ver mas acabei precisando ir embora antes.

Gostei bastante das lojas; a organização dos estandes de vendas de produtos tava de um jeito que mesmo com vários vendendo produtos parecidos – por exemplo, canecas, camisetas, bottons, chaveiros ou colares – não achei cansativo porque não eram exatamente as mesmas opções em cada loja, e tinham lojas de outros produtos, por exemplo, produtos relacionados a jogos, action figures ou peças de cosplay, entre lojas parecidas, o que deixava mais interessante de olhar tudo. Dentro da capacidade do evento, achei as oportunidades pra comprar coisas até bem boas; bastante coisa tinha preços que achei até justos, nem baratos nem caros, por ser em um evento desse tipo – inclusive a loja de quadrinhos, fora da quadra onde estavam os estandes.

Adorei ter participado desse evento, mesmo não tendo assistido ao show da banda The Kira Justice, que era a atração principal. Quem sabe não fica pra uma outra oportunidade?

Agradeço muito por terem disponibilizado os ingressos, e também agradeço a Thanny pela paciência enquanto ela me ajudava com os últimos detalhes, e por me deixar representar este site e contar aqui sobre esse evento.

Postagens Relacionadas:

You Might Also Like

No Comments

Leave a Reply

CommentLuv badge