Literatura

Quadrinhos Nacionais – Parte I

Ando um pouco sem tempo para postagens, pois persisto na tentativa desesperada de ingressar no mestrado e essas coisas chatas que a vida acaba nos impondo e blablabla (eikkkkkkkkkkkkkkkk dramaaaaaaaaa). Mentirinha, gosto demais da minha área e do meu objeto de pesquisa, mas enfim vamos ao que interessa. Diferente de resenhar uma obra específica venho aqui fazer uma indicação de três quadrinhos, com mini releases. E para ser ainda mais diferente essa postagem será única e exclusivamente com autores/artistas NACIONAIS. (aplausos) Diferentemente do que andam falando por aí que vivemos um momento diferenciado na produção em quadrinhos nacional, gostaria de dizer que a mesma sempre foi repleta de diversidade e de várias abordagens inusitadas e interessantes, o que podemos observar hoje é uma maior facilidade tanto na publicação, como no consumo das mesmas.

Quadrinhos nacionaisCréditos da imagem: http://ambrosia.virgula.uol.com.br/

As obras não são todas especificamente deste ano, mas eu as li esse ano e quero dividir essa experiência com vocês. São obras que demonstram bem a diversidade que é o mundo dos quadrinhos nacionais, assim como os próprios quadrinhos. HQ’s ou Comics vão muito além das estórias e narrativas de super-heróis e isso é o que torna a coisa muito, mas muito legal: a diversidade. Tem obras pra gregos e troianos, pra quem gosta de herói e pra quem não gosta também.(aplausos efusivos) E acredito que essa divisão d experiências seja a base das sociabilidades práticas e porque não das virtuais?! Vivemos em um mundo mediatizado pelas redes sociais e espaços virtuais, o que é bom mas é ruim também às vezes. Mas deixemos isso de lado para outro momento e vamos aproveitar o “lado bom” disso nesse exato momento. Todos dizem amém?! Amém!

1) Dora – Bianca Pinheiro

Dora foi escrita e desenha pela Bianca Pinheiro, que eu particularmente considero uma das artistas mais inventivas dessa nova safra de quadrinistas nacionais. Essa obra foi lançada este ano e foi financiada por crowdfunding (financiamento coletivo). O gênero narrativo da trama transita entre o horror e o thriller. O grande diferencial presente aqui é que as personagens protagonistas são mulheres, o que garante um sentido/significado muito maior a trama apresentada.

dora2

A estória iniciasse a partir do interrogatório da mãe de Dora na delegacia, onde sua filha é acusada de 15 mortes. A partir das acusações feitas pelo delegado e dos depoimentos e rememorações da mãe de Dora somos inseridos nos acontecimentos que desencadearam a Dora, uma menina aparentemente tranquila que talvez tenha cometido o crime capital de não sorrir nunca e não utilizar da linguagem verbal para se expressar (isso é sarcasmo), o título de monstro moral. É muito interessante perceber a relação entre Dora e sua mãe, assim como é impossível não se criar uma empatia com as personagens. Tudo isso em preto e branco, apresentado em 128 páginas muito bem aproveitadas. Bianca é autora da webcomic “Bear” (tem resenha do volume I aqui) que recentemente teve dois volumes lançados pela Editora Nemo. Vocês ainda ouvirão falar e muito dessa jovem, anotem aí!

dora

2) Encruzilhada – Marcelo D’Salete

Encruzilhada foi lançada em 2011 através de uma parceria entre a Editora Leya e a finada Barba Negra. Marcelo D’Salete nos apresenta aqui uma trama quase que exclusivamente visual, onde os diálogos servem apenas para inserir o leitor no problema maior presente na trama. São 6 histórias independentes que em determinado momento se cruzam,  demonstrando assim os caminhos cruzados da vida ou as encruzilhadas. O foco narrativo das tramas é o cotidiano, as socializações mais corriqueiras, as situações mais comuns (que são totalmente diferente de naturais ou corretas). Esse é o grande trunfo dessa Graphic Novel: ela te faz estranhar a realidade que lhe é dada como incontestável! Confesso que ler essa obra foi uma espécie de soco no estômago por a mesma centrar-se na desconstrução de estereótipos, assim como na denúncia da violência que praticamos ao reproduzi-los ou nos negarmos a aceitar que os reproduzimos.

 encruzilhada

Marcelo D’Salete mora em São Paulo e é pesquisador da arte afro-brasileira. Também tem alguns trabalhos como ilustrador de livros infanto-juvenis e e tem diversas histórias suas publicadas em revistas em quadrinhos no Brasil, Angola, Portugal e Eslovênia. O seu trabalho mais recente se chama “Cumbe” e centra-se no período escravocrata brasileiro. Futuramente estará por essas terras blogueiras em uma resenha individual (i promise). Mensagem Final: LEIAM MARCELO D’SALETE!

71_dsalete2

3) Parafusos, Zumbis e Monstros do Espaço – Juscelino Neco

Coisas engraçadas ocorreram à respeito desta Graphic Novel. 1) a capa mais o título me chamavam muita atenção; 2)o Juscelino Neco é de João Pessoa e eu não sabia, descobri lendo as infos (hahaha). Essa HQ foi lançada em 2013 pela Editora Veneta e o Juscelino teve como madrinha “quadineira” a Laerte.

zumbi-veneta

Parafusos, zumbis e monstros do espaço conta as desventuras de Dolfilander (olha essa referência) que após conseguir colocar um parafuso no meio da testa e consequentemente uma aposentadoria por invalidez se vê inserido em tramas de dominação global com aliens loucos, zumbis famintos, primatas super inteligentes, muito sangue e sandices. É uma bela homenagem aqueles filmes de terror que formaram o caráter da geração 80/90. Roteiro com situações exageradas e uma arte bem “rústica” pra fechar aquele climinha de publicação de fanzine, rechiadíssimo de “easter reggs”, o que torna o processo de leitura mais instigante. Olha, foi uma baita surpresaaaaaaaa!

zumbis2Juscelino Neco recentemente lançou um álbum pela Editora Veneta: Zumbis para Colorir. Ele falou que vem obra nova esse ano e esperemos e nos divertimos!

PS: Prometo que depois que passar essas coisas eu volto com mais regularidade.

Postagens Relacionadas:

You Might Also Like

3 Comments

  • Reply
    Patricia Moreira
    October 6, 2015 at 9:38 pm

    Não conhecia nenhum desses quadrinhos, mas gostei muito da sinopse de Dora. Já marquei aqui e pretendo ver se consigo ler!

    • Reply
      Icaro Yure
      October 13, 2015 at 3:50 am

      Olá, Patricia

      Que bom que tu curtiu a sinopse de “Dora”. A ideia de falar dos quadrinhos nacionais é justamente essa de divulgar muita coisa que vem sendo produzida e não é muito divulgada, além do meio especializado. Fica atenta que ainda virão mais listas. Abraço

  • Reply
    Links Radioativos #5 | Abraço Radioativo
    February 8, 2016 at 11:08 am

    […] já que eu e o Jean estamos com um projeto que vocês conhecerão em brave. Tem também a parte 1 para vocês […]

  • Leave a Reply

    CommentLuv badge