Literatura

Quadrinhos Nacionais – Parte 3

Fazia muito tempo que não lia quadrinhos e pegando esse “recesso” de final de ano resolvi ler uma porção de coisas que tava com vontade a algum tempo e indicar algumas dessas melhores leituras.

MANUAL DE SOBREVIVÊNCIA À VIDA ADULTA – Brendda Costa Lima

brendda

Tá aí um quadrinho curto e muito bem escrito e desenhado pela Brendda Costa e lançado este ano. Ele tem uma pegada autobiográfica, contando sobre as esperanças e desilusões próprias a vida adulta com muita acidez, humor e um toque aqui e ali de fantasia. Apesar de ser explicitamente sobre a Brendda e sua relação com a vida adulta, não tem como não nos identificarmos com algumas situações (caso você tenha mais de 20 anos e tenha descobrido que ser adulto é muito mais difícil do que os “besteiróis” nos dizem ser). Indico muito mesmo! Possui 32 páginas apenas,  foi lançado pela Netuno Press e você pode adquirir mandando inbox para a fanpage do selo.

Tem  como saber mais sobre o trabalho da Brendda como ilustradora e desenhista acessando aqui.

CARNAVAL DE MEUS DEMÔNIOS – Guilherme Petraca

carnavalpetreca

Guilherme Petraca consegue nos entregar uma obra que não possui diálogos, onde a narrativa é estabelecida pelas imagens. Bastante bonita e introspectiva “Carnaval de meus demônios” vem cheia de simbolismos e com uma identidade visual muito forte. Eu poderia tentar fazer uma sinopse do que eu entendi a partir da experiência com o que me foi apresentado nessa Graphic Novel, mas acho que isso acabaria obliterando as outras várias possibilidades interpretativas das imagens que são apresentadas pelo autor em sua primeira narrativa mais extensa. Este trabalho é um belo exemplo das possibilidades narrativas que são apresentadas no universo dos quadrinhos. Indico e muito!

Essa Graphic foi lançada em 2015 pela Balão Editorial, contêm 64 páginas e pode ser adquirida aqui.

 9 HORAS – Magenta King

9-horas-c5e501652a846ab5bd9c09fa82a9bc6a-640-0

A Graphic Novel “9 Horas” passa-se no Japão e parte quando um casal resolve passa férias lá. Até aí nada de novo se no meio do caminho eles não encontrassem um Tengu que os coloca em um jogo de realidades alternativas com todos os tipos de animais fantásticos, personagens da cultura pop e loucura.  Os dois personagens só possuem 9 horas por dia para descansar em um hotel cápsula e depois é só aventura e insânia.

O traço do Magenta King casa muito bem com a narrativa, tem aquela coisa meio sketchbook mas cheio de identidade e que te dá uma sensação lendo a Graphic Novel de viagens oníricas. E tem referência demais aqui: mechas, samurais, mitologia japonesa, Paul Pope, Bill Muray, astroboy e adjacências. Muita informação que leva um tempo para ser assimilada, mas que vale à pena.

“9 horas” foi lançado em 2015 de forma independente e possui 164 páginas. Tem uma porrada de extra onde o autor explica processo de criação e de onde buscou as referências. Caso haja interesse você pode adquirir por aqui.

You Might Also Like

No Comments

Leave a Reply

CommentLuv badge