Literatura

O Reino da Bela, A. N. Roquelaure (Anne Rice)

A queridíssima excelente autora da saga Crônicas Vampirescas, Anne Rice, resolveu em 2015 lançar mais um livro pra saga inspirada no conto da Bela Adormecida, que ela assina como A. N. Roquelaure: Beauty’s Kingdom, que saiu traduzido como O Reino da Bela, pela editora Rocco, no ano passado.

Lá em 2009 ou 2010 descobri que a Anne Rice tinha publicado na década de 1980 uma série erótica (se quiser, pode chamar de pornográfica mesmo) inspirada no conto da Bela Adormecida. Em algum momento nos últimos anos a Editora Rocco decidiu publicar versão em português desses livros – Os desejos da Bela Adormecida, A punição da Bela e A libertação da Bela. E em abril de 2015 ela resolveu publicar um quarto livro – O reino da Bela.

Sinopse dessa belezinha:

O conto de fadas A Bela Adormecida ganha mais uma versão adulta pelas mãos de Anne Rice, que assina a obra como A. N. Roquelaure. Em O reino da Bela, a autora volta aos personagens da trilogia erótica Os desejos da Bela Adormecida, A punição da Bela e A libertação da Bela, para mostrar o que aconteceu com a princesa condenada a dormir por cem anos e despertada por um príncipe, de quem se tornou escrava sexual. O universo que mistura dor, prazer e subserviência, presente nos volumes anteriores da saga, está mais vivo do que nunca.

Vinte anos depois dos fatos narrados em A libertação da Bela, que termina com a princesa deixando o reino de Bellavalten ao lado de seu amado príncipe Laurent, os leitores encontram o casal ainda unido, mas um pouco entediado após permitir que o filho Alcuin governasse em seu lugar. Porém, o passado lembrado com carinho por Bela e Laurent pode não estar mais tão distante: a notícia da morte da rainha Eleanor chega com um convite para que os dois ocupem o trono de Bellavalten, desde que assumam o compromisso de manter o regime de servidão sexual que conhecem tão bem.

Antes de responder se aceitam ou não a proposta, Laurent e Bela decidem passar a noite separados e entregues aos próprios desejos, sentindo na pele as lembranças da época de escravidão em Bellavalten. Enquanto Laurent se encanta com a dominação e os métodos rígidos de Lady Eva, Bela divide a cama com o príncipe Alexi, de quem havia sido amante há muitos anos. É o suficiente para que o casal real perceba que ainda tem muito a contribuir para aprimorar as técnicas que tornaram Bellavalten uma lenda entre os reinos.

Dividido em três partes, O reino da Bela abusa do sadomasoquismo para contar as aventuras sexuais de personagens sem pudor. Nobres ou plebeus, homens e mulheres, dominadores ou dominados: todos se entregam ao prazer, sem restrições de raça, sexo ou condição social. No que depender de Bela e Laurent, o legado de Bellavalten não se perderá. É a versão nada inocente de Anne Rice para a ideia de “viveram felizes para sempre”.

fonte da sinopse: http://www.rocco.com.br/livro/?cod=2773

Queria esclarecer um negócio: acho a Anne Rice uma autora EXCELENTE. Mas sabem daqueles ditados sobre “se não está quebrado, não conserte”, “em time que está ganhando não se mexe” ou outras máximas com mais ou menos o mesmo sentido? Então, foi o que pensei quando cheguei ao final da leitura deste livro.

Gostei sim da leitura, tem bastante coisa interessante – por exemplo, um ou outro momento com conteúdo sobre alguns assuntos que achei bem atuais que eu não vou detalhar e que eu acho que teria sido maravilhoso ter algo sobre na trilogia original – mas, por favor, não me xinguem de herege pelo que vou dizer agora: Sabe quando uma pessoa que não é, sei lá, a sua avó tenta fazer aquela receita que você ama e por mais que essa pessoa use exatamente os mesmos ingredientes e modo de fazer NÃO. FICA. IGUAL? Então, foi a impressão que eu tive enquanto lia esse nova história dessa coleção. Mesma autora, mesmo universo, personagens que a gente já conhece e obviamente outras caras novas, mas mesmo assim, ainda que eu tenha gostado da dose de modernização, senti falta de perceber uma “atmosfera” de conto de fadas pra adultos que os três livros originais me passaram.

Considero Anne Rice uma autora ótima, a escrita dela é maravilhosa, mas esse talvez seja o livro do qual menos gostei dessa série – muito provavelmente por conta da minha expectativa quando comecei a ler livro, que era de encontrar algo que me passasse a mesma vibe dos outros três, o que pra mim não aconteceu. Talvez o “jeitão” da coisa esteja um pouco diferente mesmo, ou talvez seja por já terem se passado sete anos desde que li a trilogia original e de lá pra cá eu ter passado por muitas mudanças, e eu ter visto o livro de um jeito diferente seja somente reflexo da minha mudança de perspectiva sobre um monte de coisas. Achei o livro longe de ser ruim, e eu gostaria que a escritora falasse mais sobre essa saga em entrevistas – pelo menos eu cheguei a encontrar bem poucas declarações dela sobre esse material, gostaria de ter encontrado mais.

Pra quem – maiores de 18 anos, por favor – gosta de leituras com conteúdo sexual, essa série é uma escolha ótima. Não gostei de terem colocado algo parecido com “Se você gostou de 50 tons de cinza, você vai amar estes” em capas de uma edição estrangeira que vi em fotos, não porque não possa ser válido pra atrair público que de fato vá gostar de ler esta saga, mas porque apesar de terem temas em comum esta coleção aqui é infinitamente superior, pelo menos na minha opinião, não dá pra comparar muito. Protagonistas com características desenvolvidas de um jeito que achei bem melhor, também achei as cenas de sexo escritas muito melhor, um universo que eu achei muito mais rico que o da outra série.

informações

Título: O reino da Bela
Autor: A. N. Roquelaure (Anne Rice)
Tradução: Alyda Sauer
Número de Páginas: 600
Edição: 1ª, 2015
ISBN: 978-85-325-3035-6
Editora: Editora Rocco
Preço: R$ 49,50
Classificação: ★★★★☆

You Might Also Like

No Comments

Leave a Reply

CommentLuv badge