Literatura

Nuvens de Ketchup, Annabel Pitcher

Annabel Pitcher me surpreende mais uma vez. Após seu romance de estreia, Minha irmã mora numa prateleira (resenha aqui), somos apresentados ao incrível Nuvens com Ketchup que também fala sobre morte, mas de uma forma tão delicada, por mais tensa que seja a situação, que a autora deve ser especialista nisso.

Nuvens de Ketchup (1) - whosthanny.com
Através de cartas endereçadas a Stuart Harris, um presidiário no corredor da morte, conhecemos a história de Zoe Collins, moradora da Avenida da Ficção (obviamente nome e endereço falsos, porque né). Ela narra tudo sobre sua vida, até coisas que podemos julgar desnecessárias, mas tudo porque ela precisa urgentemente de alguém para conversar, alguém que a escute e compreenda o que fez, porque sabemos logo no início que Zoe fez algo muito muito ruim e a culpa está a consumindo por completo.

Quase como um diário, suas cartas contam tudo, desde o nascimento da sua irmã mais nova, das brigas constantes do pais por causa de dinheiro ou do avô paterno, da irmã que sofre bullying, de como conheceu o Garoto de Olhos Castanhos e Max. Sua amiga Lauren advertiu que começar a mentir era se meter num terreno escorregadio, mas no início parecia algo inofensivo, pela primeira vez ela estava livre da mãe superprotetora e estava vivendo.

“Por mais incrível que o universo seja, não acho que alguém consiga olhar para ele por tanto tempo sem ficar entediado, a menos que seja o Stephen Hawking.”

Com algumas ilustrações e piadas nerds da Zoe, o livro torna-se mais leve. A narração, assim como no primeiro livro da autora carrega aquela ingenuidade da protagonista, sendo que desta vez estamos lidando com uma adolescente, não com uma criança, por isso demorei um pouco para me acostumar. Zoe é realmente única e nos conquista desde a primeira página. Aspirante à escritora, ela faz companhia pra Stuart até o dia de sua sentença ser executada.

Nuvens de Ketchup - whosthanny.com

A cada carta, uma nova parte de sua história é revelada e porquê ela se sente tão culpada. Ficamos presos, conectados, precisando ouvir o desabafo dessa garota e o que ela poderia ter feito de tão ruim para se sentir assim e, por esse motivo é impossível parar de ler cada palavra.

Quando o desfecho de Zoe é revelado, podemos sentir nas costas o peso que ela carrega, não entrarei em detalhes para não contar spoilers. Mas é muito triste ver o desenrolar de tudo e não poder fazer nada. Porque sim, o livro é tão bem escrito que você consegue se sentir próximo dos personagens a esse ponto.

Annabel Pitcher tem um jeitinho de escrever histórias tristes, sobre luto, sem que elas se tornem muito depressivas, digo, você se emociona aqui e ali, mas não fica se sentindo mal como a protagonista. Livros assim são importantes e merecem ser lidos. Não para que a gente aprenda que mentir é errado, mas que se sentir culpado é uma coisa que ocorre a quase todos e que devemos aprender a não nos odiar por isso e deixar a culpa ir embora com tudo de ruim que ela nos trás, pois isso pode nos destruir por completo.

informações

Cortesia da editora.
Título: Nuvens de Ketchup
Autor: Annabel Pitcher
Tradutor: Petê Rissatti
Número de Páginas: 232
Edição: 1 – 2015
ISBN: 978-85-7980-213-3
Editora: Rocco Jovens Leitores
Preço: R$ 29,50 (Compre com desconto aqui)
Classificação: ★★★★☆

You Might Also Like

No Comments

Leave a Reply

CommentLuv badge