Coluna

Novas séries: O tempo de se apaixonar #4

Por Sammy, Byzinha, Jully

novas séries

A gente sabe, ninguém tem tempo de assistir mais nada. Mas existem algumas novas séries que simplesmente fazem a gente esquecer a promessa de não pEGAR NADA NOVO, PLMDDS para ver e simplesmente nos apaixonamos.

Como malvadas que somos, estamos aqui mais uma vez para fazer você querer aumentar sua agenda e se afogar em séries de TV que vão arruinar sua vida. Preparado?

The Affair

A nova aposta da Showtime possui uma forma diferente de fazer as coisas: contando a história de Alison e Noah, o affair que acaba acontecendo entre eles e um mistério que vai sendo desvendado devagarinho, a série usa o ponto de vista dos dois protagonistas em cada episódio – mas não te diz em quem você deve acreditar. Sim, é a bela história do narrador não confiável. Os segredos se encontram muitas vezes nos detalhes, e The Affair é tão interessante que é difícil não criar teorias sobre quem está falando a verdade. As atuações de Ruth Wilson e Dominic West são ponto forte também, além da bela existência de Joshua Jackson para nos agraciar. Adorei logo no piloto, mas o ritmo lento pode não ser indicado pra todo mundo. Com 7 episódios exibidos até agora, The Affair já foi renovada para a 2ª temporada, mas não tem estreia prevista no Brasil.

Gotham


Aproximadamente 40 segundos. Foi o necessário para me fazer cair de amores por Gotham. O cold opening com a jovem Selina Kyle ditou o tom da nova série da FOX baseada nos quadrinhos da DC. Com pitadas de Tim Burton e Christopher Nolan (é impossível não enxergar as semelhanças aqui e alí), o show – que é focado em Jim Gordom (Ben Mackenzie) é um prato cheio para quem curte o universo Batman, mesmo que seja sem Batman. As crianças (Camren e David) roubam a cena em muitos momentos e tem tanto elementos sendo apresentados que quase são de mais, mas, no melhor estilo Nolan, os roteiristas estão fazendo funcionar.
Gotham passa toda segunda às 22h30 na Warner Brasil.

How to get away with murder


Essa é a melhor estreia da fall season. E não é porque é produzida pela Shonda Rhimes. Não é porque temos Dino Thomas deixando a magia de lado e virando um boy-magia um ótimo protagonista. Não é porque as mulheres latinas estão sendo representadas de uma forma decente (sem supersexualiar personagens e etc), finalmente. Não é pura e simplesmente porque é só uma série sobre advogados. Não é porque temos uma protagonista que, alem de negra, é mulher. Não é só por nada disso. HTGAWM é a melhor série da fall season porque tem Viola Davis. E isso, já é motivo suficiente pra você ir correndo assistir (e se não for, eu não sei o que há de errado com você, mas fica os já citados motivos acima, capiche?).

The Flash


Se você, assim como eu, não manja nada de quadrinhos, a oportunidade de poder assistir na telinha uma adaptação dos heróis de mais prestígios é ótima. Especialmente se a série é tão bem feita quanto você espera que ela seja. O gracinha Grant Gustin se prova sendo um Barry Allen perfeito e tudo na série exala amor. Não que seja, sabe, romance, mas que faz você se apaixonar. É sério. Se tratando do canal CW, tudo é possível, mas por enquanto eles estão acertando a parada e olha, eu bem quero mais.
The Flash passa toda quinta na Warner Brasil.

Stalker

O thriller procedural estreante da CBS tem a maravilhosa Maggie Q e Dylan McDermott nos papéis principais, e segue detetives na divisão de Análise de Ameaças da polícia em Los Angeles, que investigam casos de *momento de choque* stalkers. É um caso novo a cada semana enquanto o espectador descobre podres das vidas dos personagens e fica extremamente paranoico com qualquer coisa, porque na série qualquer pessoa pode ser um potencial perseguidor. Demorou uns 3 episódios para que as coisas deslanchassem, mas os crimes são interessantes o suficiente e Maggie consegue ser linda e badass sempre que pode. Tem 8 episódios até o momento a emissora encomendou uma temporada completa. Stalker é exibida às quintas-feiras, 22hrs, no canal Universal.

Red Band Society


 
O que falar dessa série que envolve todas as coisas que eu amo, apesar de fugir do contexto “série médica”? Red Band Band Society fala sobre um grupo de adolescentes que estão internados em um hospital, cada um com uma doença, e é narrado por Charlie, um garoto que está em coma. Leo tem osteossarcoma, tendo feito cirurgia para retirada da perna(Oi Augustus Waters!), e costumava ser um jogador de futebol, sendo sempre o centro da atenção. Emma é uma adolescente que tem anorexia, e passa por muito preconceito por sua doença, se excluindo de grupos por isso. Dash é um adolescente com fibrose cística, que ama fugir das regras. Jordi é o novato, diagnosticado com sarcoma de Ewing, surpreendendo todos ao aparecer sozinho no hospital à procura de tratamento. Kara é uma cheerleader diagnosticada com um problema no coração, necessitando de um coração, o que é difícil para uma menina que nunca teve um coração(metafórico). Eles se juntam com um único objetivo: se divertir enquanto ainda podem. Nisso, eles se envolvem em várias aventuras, há romance, tratamentos, e a forma como pacientes de um hospital se relacionam, se apegando uns aos outros na busca da melhoria. Red Band Society me conquistou antes mesmo de estrear, e até o momento não tem data de estreia no Brasil, infelizmente.

Madam Secretary

Atualmente chamada de “a mozão” pela pessoa que vos fala, minha preferida da fall season até agora é um drama procedural da CBS que gira em torno de Elizabeth McCord, ex-agente da CIA que acaba se tornando a nova Secretária de Estado dos EUA. Enquanto Bess resolve conflitos internacionais, precisa balancear seu trabalho com a vida pessoal, dramas com os filhos e marido e todas essas coisas complicadas. Além de ter a ótima Téa Leoni como estrela e o belíssimo Tim Daly ao lado da moça, A Mozão tem uma das melhores personagens femininas dos últimos tempos comandando tudo, e desmistifica ideias estúpidas acerca de mulheres em posições de poder. Os casos da semana são bacanas em sua maioria, e envolvem uma quantidade séria de diplomacia e esperteza em suas resoluções. Me apaixonei no piloto e quase morri de felicidade quando a série ganhou a encomenda de temporada completa. Madam Secretary tem 10 episódios até agora, mas não tem estreia prevista em nossas bandas.

Forever

E “A Mozão #2” é nada menos do que a história de Henry Morgan, um cara que anda pela Terra há mais de 200 anos e procura uma forma de acabar com sua imortalidade. Enquanto faz suas pesquisas, o moço trabalha no IML de Nova York e usa sua inteligência e ~deduções para ajudar na resolução de casos. Outra fofa com uma trama nova toda semana, sim, mas nenhuma outra tem o belo e talentosíssimo Ioan Gruffudd no papel principal. Não tem como não se apaixonar pelo charmoso ator, mesmo com um personagem excêntrico como Henry. Você se importa com ele e com sua história com Abe, um amigo de longa data, e a química de Gruffudd com Judd Hirsch é a melhor coisa da série – se quisessem colocar um episódio só deles interagindo seria tão divertido quanto a fórmula normal. Quanto tempo demorou pra eu curtir? 5 minutos. Sério. Talvez tenha sido pelo sotaque majestoso de Ioan, talvez não. A ABC encomendou uma temporada completa, e Forever passa todas as terças às 22:30hrs no Warner Channel.

Jane the Virgin

 
Se você gostava de Ugly Betty/La Fea Más Bella, você irá amar Jane The Virgin. Em uma mistura de série mexicana com os clássicos americanos, Jane The Virgin fala sobre uma mulher que, mesmo sendo virgem, engravidou – por um erro médico. Virgem Maria dos dias atuais, ela tem que conciliar o trabalho, o noivo, a mãe louca, a avó que preza pela virgindade, e a volta de um amor antigo, Rafael Solano, dono do hotel em que ela trabalha – que é o pai da concepção imaculada. A história evolui muito rápido, e tem mais personagens que seria possível ter em uma série americana, incluindo o pai de Jane, que é um ator completamente exagerado que ainda ama a mãe de Jane; A esposa de Rafael tendo um caso amoroso com o melhor amigo de Rafael; E o noivo de Jane investigando o hotel. Se tornou uma das minhas séries preferidas da Fall Season logo no primeiro episódio, e ainda não tem previsão de estreia no Brasil.

A to Z

 
Lhes desafio a encontrar uma série mais amor do que A to Z. Preenchendo o lugar de série romântica da Fall Season, traz a história de Andrew e Zelda, com cada episódio sendo sobre uma letra do alfabeto. Andrew é o típico cara que acredita que o amor muda as pessoas para o melhor, e Zelda, apesar de romântica, perdeu muito dessa essência ao trabalhar como advogada. A série acompanha o avanço do relacionamento deles, com a ajuda(que muitas vezes atrapalha) dos melhores amigos de cada um deles. Zelda(interpretada pela Mother de HIMYM, digo, Cristin Milioti) tem muitas características que eu vejo em mim, e portando me chamou a atenção logo de cara. A série ainda não foi lançada no Brasil, e infelizmente já foi cancelada.

Selfie

Selfie é baseada levemente em Pigmaleão, e traz Eliza Dooley, uma webcelebridade que teve sua imagem suja quando passou mal em um avião. Com isso, procura a ajuda de Henry, um diretor de marketing, para melhorar sua imagem na internet. Henry aceita o desafio, porém muda Eliza para ser melhor na vida real, com algumas tarefas. Karen Gillan(Doctor Who) usou de sua beleza para interpretar Eliza, uma perfeita esnobe que ama a internet e a fama decorrente dela. Henry é um viciado em trabalho, que não sabe nada sobre o uso útil das mídias sociais na propaganda. Um acaba ajudando o outro, e surge um clima entre eles, pois são dois opostos chegando em um território comum. Selfie não foi lançada no Brasil ainda, e teve seu cancelamento pela ABC, que informou que os episódios restantes serão lançados na internet.

You Might Also Like

3 Comments

  • Reply
    Estela Gois
    November 24, 2014 at 8:24 pm

    Oie, tudo bem?
    Como não ser viciada em séries e assistir aquele monte por vez? Acho que essa Fall Season foi a que mais peguei séries para assistir. Comecei com Red Band Society, depois fui assistir Selfie (que quando estava ficando bom foi cancelada) e A to Z (que eu não sabia que tinha sido cancelada mas já suspeitava que seria). Também comecei a assistir Manhattan Love Story que não está na lista e que também foi cancelada quando estava ficando boa. Ah e tem também Happyland que acho que ainda não foi cancelada mas está correndo o risco de ser. Pretendo começar a assistir Gotham que todos estão falando que está muito bom e How to Get Away with Murder que está cheia de elogios. Beijos

  • Reply
    Priscila
    May 16, 2017 at 2:18 am

    Eu amo séries, pena que as minha preferidas não estão ai, mas essas são boa séries, a minha preferida é The 100, assistam vão amar.
    Parabéns pelo artigo, eu adorei…

    • Reply
      Byzinha
      May 22, 2017 at 5:16 pm

      The 100 foi indicada na primeira vez que publicamos essa coluna :D

    Leave a Reply

    CommentLuv badge