Cinema

No Limite do Amanhã (2014)

Por Sam e Ells

Só digo que sim. A resposta pra existência desse filme é SIM.

eot

Uma raça alienígena invadiu a terra e estamos em guerra contra os intrusos. O Major Bill Cage (Tom Cruise) é o homem da mídia do exército, fazendo tudo parecer lindo aos olhos do público. Isso até ser convocado para cobrir um front de batalha. Sem muita noção de sobrevivência em combate, Cage tenta se livrar da tarefa e acaba rebaixado, tendo que lutar contra os aliens de qualquer jeito. Por motivos óbvios, o homem acaba morrendo – apenas para acordar no dia anterior. Morre outra vez, acorda de novo. E de novo. E de novo. Com a inusitada ajuda de Rita (Emily Blunt), o soldado percebe que sua habilidade não só pode salvar vidas, como também pode acabar com a guerra.

Edge of Tomorrow é um dos milhares de exemplos de como o público americano não gosta de coisa boa. A bilheteria nos EUA pode ser considerada um fracasso, mas ao redor do mundo o povo está curtindo essa ficção científica sensacional. E eles não estão errados. Afinal, Edge É uma ficção científica sensacional, um blockbuster divertido, cheio de ação e com uma trama realmente interessante.

Remember, there is no courage without fear.

O conceito de morrer e voltar “no começo” não é novo, é verdade. Ainda assim, o filme o torna refrescante, e a forma que o usa é digna de palmas. Ironicamente, as repetições não tornam o longa repetitivo, e o roteiro faz questão de explorar a trama e como seus protagonistas lidam com ela. A ação é frenética e interessante, e, assim como a própria história, se assemelha a um vídeo game (Emily Blunt literalmente luta com uma espada gigante. Todo mundo usa armas de fogo, e ela com uma MOTHERFUCKING ESPADA. Como não amar, gente?). Os personagens são muito bem desenvolvidos, e é uma glória assistir Cage aprender errando e tomando vergonha na cara, e sua mudança ao longo do filme é incrível. Ah, e eles lutam contra aliens. Não sei se vocês sabem disso.

O filme foi muito criativo com as criaturas extraterrestres; sem entrar em território replicado como acontece muitas vezes, aproveitaram o material que tinham e o deixaram bem interessante, incluindo viagens no tempo e um sistema de poder entre eles. Além de terem formatos bonitos, os aliens mostraram sua habilidade no campo de batalha, sem deixá-los completamente indestrutíveis, mas oponentes perigosos o suficiente pela inteligência e o poder de seus líderes. Os efeitos especiais foram bem feitos, sem muitos exageros nos alienígenas e lindo nas cenas de batalha. Funcionou perfeitamente com a bela fotografia, tanto em cenas de ação, como o combate na praia, quanto em planos com pouco movimento.

Se em pleno 2014 alguém ainda acha que Tom Cruise é um ator ruim, eu desisto da vida. É verdade que o moço se tornou uma espécie de estereótipo com seus papéis no cinema, mas Bill Cage não é o típico papel de Tom Cruise. Bill Cage é um loser completo no começo. E Bill Cage vira um cara que precisa viver os mesmos dias de novo e de novo, ver as mesmas pessoas morrendo nas mesmas situações e tenta procurar uma forma de mudar o futuro. É fácil pensar que atuação não seria algo necessário num filme desses, certo? Pois é. A interpretação de Tom é cuidadosa e se aproveita do roteiro com maestria – se a trama não te avisa que Cage já viveu aquilo, algum gesto ou olhar de Cruise vai. Conforme o personagem cresce, fica difícil não sentir empatia e torcer pelo herói, e em determinados momentos dá até uma dorzinha no coração, porque Tom exala todos os sentimentos de um homem que já não aguenta mais a situação em que vive. É genial, de verdade. Ele chuta bundas e quase te faz chorar, como pode ser um ator ruim?

Emily Blunt, aquela anja, faz o favor de descer o cacete de todas as formas, ser a maior badass da vida e continuar incrivelmente linda enquanto chuta bundas. Pedindo por favor para Hollywood coloca-lá em mais filmes, sua personagem é tão amável e awesome quanto a atriz que a interpretou lindamente. FULL METAL BITCH AMOR ETERNO AMOR VERDADEIRO.

Prêmio de “Vaca do Ano” pra Emily Blunt, kd?

Não sei se deu pra entender, mas se No Limite do Amanhã estiver em cartaz em algum cinema perto de você, faça esse favor a si mesmo e vá assistir porque vale muito a pena. É um negócio divertidíssimo, entretenimento de primeira, com um final que vai fritar seu cérebro e badassery pura. E se você estiver lendo esse post muito tempo depois, faz favor de, sei lá, alugar ou assistir no Netflix, porque nenhum de nós faz download, obviamente (não quero ser processada por apologia, ok). Só assista porque vale a pena. De nada.

FICHA TÉCNICA

edge

 

Título original: Edge of Tomorrow
Direção: Doug Liman
Elenco: Tom Cruise, Emily Blunt, Bill Paxton, Brendan Gleeson, Noah Taylor
Roteiro: Christopher McQuarrie, Jez Butterworth e John-Henry Butterworth
Trilha sonora: Christophe Beck
Duração: 113 min.
País: EUA, Australia
Gênero: Ação, sci-fi
Trailer: (x)
Classificação: ★★★★½

You Might Also Like

1 Comment

  • Reply
    Kah!
    22/06/2014 at 4:20 pm

    Assisti ontem a noite e até comentei com minha irmã o quanto o filme é fodástico. Não tava pagando pau pra ver, mas logo nas primeiras vezes que o filme “reseta” pensei comigo o quanto a premissa era muito bem amarrada! Ótimo filme!! /cute /cute

  • Leave a Reply

    CommentLuv badge