Textos

Mulheres e estereótipos

Antes de qualquer coisa: um bilhão de vezes obrigada pelo espaço que as lindas, maravilhosas e incrivelmente awesome das mulheres mais fantásticas dessa internet me deram na equipe que faz este site. Sempre que elas publicam posts com temática feminista, leio cada texto com bastante carinho, e quando o convite pra escrever veio, fiquei mais do que contente.

Enquanto eu brincava com ideias sobre o que escrever, eu me lembrei de uma conversa com a Raabe numa ocasião dessas sobre esta imagem:

Como boas fãs de ciências humanas, a reação foi identificar os problemas, discutir e prestar bastante atenção em quais mensagens tão aí.

A ideia na ilustração pode parecer até óbvia, mas não é. À primeira vista pode parecer até um “elogio” meio distorcido, e a sacada é que a palavra “Erro” na testa da menina do meio tem mais a ver com o que a sociedade – ou melhor, gente que compõe a nossa sociedade – parece valorizar e não com ela estar “errada” em ser do jeito que é. E uma reflexão importante: por que a moça com livro na mão, blusa de manga comprida, calça, cabelo curto e sem maquiagem às vezes é vista como “errada”? E por que aquelas com cabelão, maquiadas, de saia curta e blusa que destaca os peitões também são vistas como “erradas”? Se alguém não percebeu ainda, se você é mulher, não importa qual o seu perfil – e existem infinitos!, sempre vai ter alguém nos taxando de inadequadas.

Não que homens não sejam socialmente punidos por (alguns) comportamentos que não são socialmente aceitos (o que já é assunto pra outras conversas), mas o tipo de cobranças e o nível das mesmas não é NADA comparado ao que acontece com mulheres. Por exemplo, é só lembrar que o número de mulheres com transtornos de alimentação é absurdamente maior que o de homens, e que perguntas do tipo “Como você faz pra conciliar trabalho e vida familiar?”, “Quando você vai ter um bebê?” e “Você poderia me contar sobre a sua roupa?” são feitas praticamente só para mulheres, entre outras coisas.

Imagem que encontrei em algum lugar. Já pode parar, tá?

Especialmente entre as mulheres mais jovens, se você é pouco ligada com a aparência, ouvir coisas do tipo “você deveria se arrumar mais” parece quase uma regra. Já se você é das que adora maquiagem, roupa nova, sapato e tudo o que é ligado à beleza, ser taxada de fútil de vez em sempre também tá longe de ser raro. O problema é exatamente o “policiamento” por causa de coisas que deveriam ser só da conta da própria mulher.

Correndo o risco de quase repetir metade das coisas que outras integrantes da nossa equipe já disseram brilhantemente, muitas vezes quem promove essa imposição de padrões em geral são os homens, e um problema maior ainda é que tem muita mulher que ajuda a manter essa situação – tem muita mulher que hostiliza outras mulheres por não se encaixarem no jeito de se comportar que acham “certo” para uma mulher, pra dizer o mínimo. Atitudes inadequadas de homens diante de mulheres, não importa de que idade, também são um problema enorme – campanha #PrimeiroAssédio e outros exemplos que outras integrantes já comentaram aqui neste site mesmo demonstram que a coisa é bem generalizada.

A cultura estereotipa as mulheres para que se adequem ao mito nivelando o que é feminino em beleza-sem-inteligência ou inteligência-sem-beleza. É permitido às mulheres uma mente ou um corpo, mas não os dois ao mesmo tempo.
– Naomi Wolf, em “O Mito da Beleza”; o livro nem é tão recente assim mas não parece que a coisa mudou.

É difícil apontar “culpados” ou propor soluções que possam realmente consertar esse tipo de problema. Pensar um pouquinho antes de criticar alguém – especialmente uma mulher – por causa de algo que ela tá fazendo ou deixando de fazer é importante; vale investigar por que você acha determinada atitude “certa” ou “errada”. Pra não dizer que se perguntar às vezes “se fosse um homem que fizesse essa mesma coisa, minha opinião seria a mesma?” também pode apontar alguns preconceitos bem complicados. Muitas vezes é incrivelmente difícil, mas é muito importante fazer um esforço pra que todas as pessoas possam ter mais liberdade sem ter que se enquadrar em algum padrão, e todo mundo ganha com isso.

You Might Also Like

1 Comment

  • Reply
    Paloma
    October 17, 2017 at 12:42 pm

    Adorei a matéria, parabéns!

  • Leave a Reply

    CommentLuv badge