Literatura

Gone: o mundo termina aqui, Michael Grant

Faz praticamente dois anos que esse livro estava na minha estante e só hoje eu me pergunto: POR QUE DEMOREI TANTO TEMPO PARA LER?

Pessoas apavoradas faziam coisas apavorantes; às vezes, até crianças. (…) O medo podia ser perigoso. O medo podia fazer as pessoas se machucarem.

Michael Grant cria um universo assustador. Todas as pessoas com mais de 14 anos desapareceram, ou pufaram, como diria o Quinn, da pequena cidade de Praia Perdida. Nenhum meio de comunicação funciona, telefone, internet, televisão… nada. Crianças choram chamando pelos pais, pequenos incêndios acontecem, devido aos fogões deixados acesos pelos adultos, e uma barreira impede a saída de qualquer um num raio de 16km. Essa barreira forma um círculo perfeito ao redor da cidade. É alta e profunda, e se tocada… bem, você irá se arrepender de ter feito isso. As crianças não fazem ideia de como irão sair dali, ou melhor, como irão sobreviver nesse mundo novo chamado LGAR.

LGAR é a abreviação de Lugar da Galera da Área Radioativa, e como se já não bastasse ter que viver num mundo sem adultos, as crianças terão que lidar com mutações que estão afetando animais e elas mesmas, que passaram a desenvolver poderes, alguns deles bem perigosos.

O poder corrompe, o poder absoluto corrompe absolutamente.

Os riquinhos da Academia Coates são valentões, todos que frequentam aquela escola são problemáticos ou possuem algum distúrbio psicológico e quando o líder dele decide governar o LGAR, o caos começa. Para Caine, de 14 anos, aquele mundo é perfeito. Sem pais, professores ou policiais. As crianças pequenas são intimidadas pelo seu poder e pelo seu comparsa Drake, que com seu sorriso de tubarão faz qualquer um correr. Qualquer um que tivesse um poder igual ou maior que o de Caine corria um grande perigo.

Sam não escolheu ser o líder de Praia Perdida, mas por ser um garoto corajoso e de atitude, as crianças passaram a seguir seus passos e vê-lo como um herói. Com seu melhor amigo, Quinn, Astrid, a garota inteligente que finalmente notou sua existência, Edilio e o pequeno Pete, irmão autista de Astrid eles se unem para com que haja o mínimo de justiça no LGAR. As crianças precisavam de esperança, não ver mais covas na praça pública. Sendo que isso não será fácil.

Gone virou meu favorito antes mesmo de eu terminar o livro. Narrado em 3ª pessoa, cada capítulo alterna o ponto de vista dos personagens para o leitor saber o que está acontecendo no LGAR. São vários personagens, Praia Perdida tem cerca de 300 crianças e pelo menos 10% delas tem alguma participação na história. E é incrível como você se apega e observa a evolução delas no decorrer das páginas.

Logo no primeiro capítulo você se depara com um “299 horas e 54 minutos” e percebe que se trata de uma contagem regressiva. John Green me traumatizou com essas coisas e eu estava apavorada com o que ia acontecer quando essa contagem zerasse. Pois gente, caso vocês ainda não tenham entendido, o LGAR não é um mundo divertido, é bastante assustador. Com coiotes do tamanho de ursos e que falam, com um monstro que fica dentro de uma caverna sussurrando coisas, e valentões que comentem atitudes desumanas, e o constante medo de desaparecer assim que completar 15 anos. Pra onde elas iriam? Para o mundo normal? Iriam morrer?

– Eu sempre quis saber quem eram meus pais de verdade.
– Deixe-me adivinhar: secretamente você é um mago que foi criado por trouxas.

Fora toda essa jogada de terror psicológico, há outras coisas que me conquistaram e quero citar para vocês, porque são pontos bastante positivos 1) referências à cultura pop: imagina que louco ver uma citação de Harry Potter e Guerra dos Mundos? 2) personagens fortes e reais: porque sim, mesmo sendo ficção, nos aproxima mais da história e 3) um romance inocente: porque eu ainda curto coisas mamão com açúcar.

– Não posso beijar você com seu irmão olhando – disse ele.
Astrid recuou, segurou o Pequeno Pete pelos ombros e virou-o para o outro lado.
– E agora?

Todo o mistério sobre o que diabos aconteceu e está acontecendo me consumiu. Surgiram várias teorias, algumas boas outras ruins, assim como a das próprias crianças, mas a revelação nos últimos capítulos me deixou chocada. O gancho para o próximo livro é uma coisa que não te deixa instigado, te deixa com aquela necessidade absurda de “Preciso de Fome agora!”.

Michael Grant entrou para minha lista de autores preferidos, me apaixonei por sua narrativa e genialidade. É apenas isso que tenho a dizer. Leiam ou tentem a sorte no sorteio:

Informações

Autor: Michael Grant
Tradução: Alves Calado
Número de Páginas: 518
Edição: 1ª – 2010
Editora: Galera Record
Preço: R$44,90
Classificação: ★★★★★

 

 

You Might Also Like

9 Comments

  • Reply
    Felipe Santos
    29/11/2012 at 3:22 pm

    Oi Thanny!

    Eu havia lido o livro a um certo tempo atrás… Ok. Talvez um tempo longo demais, ainda nem tinham lançado Fome ainda. Mais foi uma experiência muito marcante acompanhar a história das crianças no LGAR. Descobrir o que acontece e o que acontecerá com elas é quase um caso de vida ou morte… Não larguei do livro e acabei de lê-lo rápido demais…

    Estou querendo comprar FOME, mais o livro não baixa… Nem no Black Friday teve desconto nele… /roll

    Ler sua resenha me deu uma vontade de voltar a ler Gone, ou então comprar de vez as continuações, por que sinto que vou acabar querendo ler MENTIRAS logo em seguida… Parabéns pela resenha. /smile

    • Reply
      thanny
      29/11/2012 at 3:26 pm

      Comprei o meu numa daquelas promoções de desconto progressivo, aí saiu bem em conta. Que bom que gostou da resenha, essa série é muito boa… qualquer coisa tenta a sorte na nossa promoção da Dominação Distópica.

  • Reply
    Byzinha
    29/11/2012 at 3:33 pm

    Quando eu trabalhava na Cultura, uma das meninas falou que Gone era super tenso, com uns assuntos pesados, deu até medinho de ler. Mas é bem escrito, né Thanny? Ele tá na minha lista “um dia eu leio”.

    • Reply
      thanny
      29/11/2012 at 3:59 pm

      Tenso demais! As imagens das coisas ruins ficaram na minha cabeça /gosh
      Muito bem escrito, me apaixonei pelo autor <3

  • Reply
    Mareska
    29/11/2012 at 3:38 pm

    Aiii, quero muito ler esse, até hoje não vi uma pessoa falando mal dele… sem contar que a história parece ótima!
    Mareska recently posted..A FADA (Carolina Munhóz)My Profile

  • Reply
    lilian
    29/11/2012 at 6:32 pm

    gostei da resenha eu vivo enrolando para ler esse livro
    lilian recently posted..Série Burn NoticeMy Profile

  • Reply
    Ceile
    30/11/2012 at 12:33 pm

    Thanny, SOCORRO!

    Juro que pela capa, achava que era um mundo divertidinho /gosh

    Ontem mesmo, vendo um bookshelf tour, a menina falou mesmo que a série é tensa: as coisas acontecem sem dó nem piedade.

    Mas, bem, eu como amo também o mamão com açúcar, vou torcer pelo romancezinho rs.

    Já fico me imaginando sofrendo com as crianças e pelas crianças D:

    Beijo!

  • Reply
    Patricia Gomes
    01/12/2012 at 6:25 pm

    estou louca para ler esse livro tenso, estou ainda mais curiosa agora /grin

  • Reply
    Ana Death Duarte
    01/12/2012 at 7:26 pm

    Gone é incrível, Fome é muito bom e Mentiras é ótimo!!! Estou no começo ainda, mas, pra variar, já estou virando as páginas, uma atrás da outra, sem parar =]

    E as capas nacionais são tão legais, né? As capas de lá de fora não dão muito a entender do que se trata… Ainda acho a capa de Fome a mais foda, mas a de Mentiras está bem perto xD

    Ana Death Duarte recently posted..Resenha de livro em inglês #2: Destroy Me – Tahereh Mafi (Shatter Me #1,5)My Profile

  • Leave a Reply

    CommentLuv badge