Televisão

Freaks and Geeks

Por Byzinha e Thayná

Começou quando a gente resolveu fazer aquele TopTop Abertura de Séries e a Thanyá falou “FREAKS AND GEEKS!”. Eu nunca tinha assistido, mal tinha ouvido falar, mas quando a Thanny achou o video da abertura (“Gostei da música”) e eu dei uma olhada no elenco, falei: “COMO. ASSIM. ESSA. SÉRIE. NÃO. ESTÁ. NA. MINHA. VIDA. OLHA. ESSE. ELENCO!”. Coloquei pra baixar no momento seguinte e assisti a série em tipo, três dias.

Freaks and Geeks é dessas séries que te fazem chorar de desgosto por não existirem até hoje. Faz um tempo que eu assisti, e faz um tempo que ela foi exibida na televisão pela primeira vez, mas ainda estou sofrendo com o cancelamento dessa que é uma das melhores séries da história da televisão (perde só para Community e Parks and Rec – tudo série da NBC, e tudo que vive sendo ameaçada de cancelamento, vai vendo). F&G é da NBC, aquele canal que todo mundo gosta só que não, e foi exibida em 1999. Você não leu errado, 1999. Com Linda Cardellini (ER, Scooby Doo – O Filme) no papel principal como Lindsay Weir, que faz parte do grupo de Freaks e John Francis Daley (Bones) como Sam Weir, o irmão mais novo de Lindsay que é considerado um Geek, a série ridiculamente realista mostra a rotina dessas duas vertentes tão comuns em escolas.

Situado em 1980, Lindsay está no Junior Year (segundo colegial, para nós aqui) e é uma das crianças mais inteligentes da escola; quando sua avó falece, deixa a vida da garota confusa. Ela então muda de roupas, larga os matematletas e faz amizade com um grupo de burnouts composto por Daniel (James Franco), Nick (Jason Segel), Ken (Seth Rogen) e Kim(Busy Phillips) – tenho certeza que você já ouviu o nome de cada um deles muitas vezes na última década, não? – e acaba se envolvendo nas maiores confusões, desde bater o carro do pai até questionar se deveria ou não matar um acampamento acadêmico para seguir a banda Grateful Dead em turnê.

Enquanto isso, o irmão dela, Sam, tem seus próprios problemas de ensino médio. Ele está no Freshman Year (nono ano para nós), ao lado de seus dois amigos de infância Neal (Samm Levine) e Bill(Martin Starr). Por ser muito pequeno para a idade (John Daley tinha 14 anos, um metro e meio e nas palavras dele “Eu nem tinha pêlos pubianos!”), ele sofre tudo quanto é bullying e passa por várias enrascadas, assim como a irmã (shout out para o episódio 6, “I’m With the Band”, no qual Sam se nega a tomar banho na escola após a educação física. Um dos episódios mais perturbadoramente engraçados da televisão).

 
(um pouco de John Daley 1999 – 2012 prazamiga)

A série foi dessas canceladas com apenas metade da temporada. Desde o inicio ela sofria com audiência e vivia sendo trocada de dia/horário (semelhança com Community, alguém?). Criada por Paul Feig e escrita e produzida por ele mesmo junto de seu amigo Judd Apatow (ambos fazem cameos durante a série), eles sabiam que estavam criando uma série diferente de tudo que já havia sido feito sobre o ensino médio e tinham ciência que Freaks and Geeks é o que chamamos de “ahead of its time”. Em 99 e 2000, a série foi incompreendida. Somente aqueles que viveram no ponto de vista de um freak ou um geek sem desejar que fossem os populares, ou os que compreenderam os protagonistas gostaram da série. Em 2000 isso não era tão comum. Não éramos garotos de tumblr, socialmente esquisitos com gostos diferentes. Quero dizer, não éramos tantos. Os que eram, se esforçavam para não demonstrar. Era tão difícil ser um freak ou um geek em 2000 quanto em 1980. Hoje em dia, a série que tem essa realidade – dos esquisitos e diferentes – retratada impecavelmente é Community. Vocês já nos viram falar dela muitas vezes, porque, como F&G, ela é inteligente, engraçada e relacionável (mesmo quando temos episódios sobre zumbis ou universos paralelos).

Se Freaks and Geeks fosse exibida hoje, não tenho certeza se sobreviveria mais de uma temporada ou não. Essa é uma série verdadeira de mais, crua de mais, que talvez deixe as pessoas desconfortáveis de mais. É perturbador, ver os Bill Haverchucks – crianças alérgicas a tudo ou com pai ausente – e Daniel Desarios – repetentes que nunca encontram algo em que sejam bons de verdade – da vida exibidos com tanta clareza na tela da TV. A maioria das pessoas não gosta disso. E por mais que nós, crianças de tumblr, sejamos em bom número… Eu levei duas temporadas e meia para começar a assistir Community. Quanto tempo iria levar para os garotos esquisitos e nerds de F&G ficarem populares o suficiente?

O elenco

Sejamos francos para não sermos estúpidos: que Freaks and Geeks possui um dos elencos mais flawless da galáxia, acho que todo mundo já percebeu de tanto By e eu ressaltarmos isso.Apesar alguns atores terem passado despercebidos do grande público, como por exemplo, Busy Phillips que você provavelmente conhece mas não lembra de onde, grande parte dos freaks despontou estrondosamente fora da série.

Linda Cardellini ou Velma, para os íntimos. A atriz de 37 anos começou sua carreira com pequenos papéis em séries de TV, como Clueless (quem lembra disso?) e Kenan e Kel. Após conseguir o papel de Lindsay Weir, seu rosto começou a ficar mais conhecido pelo público, com papéis em Legalmente Loira e em Scooby Doo. Linda, na série, é a recatada Lindsay, uma nerd que faz de tudo para ficar longe de problemas. Após a morte de sua avó, seu mundo inteiro gira e o pensamento de que estaria perdendo seu tempo, sempre fazendo as coisas do jeito que a ensinaram a fazer, a assusta. Ela resolve mudar de atitude e adentra ao espírito rebelde.

John Francis Daley é Sam Weir, o irmão mais novo de Lindsay. Meio sem jeito, deslocado, baixinho e fisicamente um garoto de 9 anos, ele sofre na mão dos bad boys da escola, incluindo alguns amigos da irmã. Junto com seus melhores amigos, Neal e Bill, divide a paixão por séries de tv e ficção cientíca. E é absurdamente apaixonadinho por Cindy, a líder de torcida que conhece desde o primário. Olhando assim para John DaleY, um garotinho, você não dá muito crédito à ele, não é? Apesar de sua aparência quase de menina, suas expressões faciais são o que há de melhor na série: muito verdadeiras e, de fato, expressivas. E suas pequenas covinhas fazem você ficar se derretendo de amores por ele.  Atualmente, John é Dr. Lance Sweets, na aclamada série Bones, e arranca suspiros da By e de mim por todo o seu, hum, talento.

James Franco é Daniel Desesario. Acredito que ele não precisa de apresentações porque, pfvr, James Franco é um dos atores mais renomados de hoje em dia. Depois de ser indicado ao Oscar por 127 Horas, não preciso me extender no assunto “ele é awesome e só por isso você DEVE assistir F&G”. Mas não. Daniel Desario é um dos personagens mais bem construídos da série. Apesar de seu jeito de super badass, burlar as regras e não estar nem aí se me pegam  fumando atrás dos muros da escola, ele representa muito bem o papel de muitos deslocados do ensino médio, que, além de não saber o que estão fazendo, não sabem o que querem fazer: só sabem que não querem continuar ali. De jeito nenhum.

Samm Levine é Neal Schweiber ou a versão Howard em miniatura. O ator, de 30 anos, já atuou em seriados consagrados, como Lost e NCIS e em filmes de destaque, como Bastardos Inglórios de Quentin Tarantino. Schweiber é o famoso geek metido a sabichão: manja de tudo, só que não. O personagem é viciado em séries de TV, quadrinhos e paga um pau tremendo para Bill Muray. Gosta de ser o centro das atenções e é, secretamente, apaixonadinho pela irmã de Sam, Lindsay.

Seth Rogen. Sim, aquele carinha estranho de Superbad e Besouro verde que absolutamente ninguém leva a sério. Ou não levava. Após assistir Tá Rindo do Que?, com Adam Sandler, comecei a respeitá-lo porque bem, ele levou o filme praticamente sozinho. Em F&G ele é Ken Miller, um cara que geralmente abre a boca para dizer coisas sarcásticas e sacanear todo mundo. Apesar de andar com “os perdedores” da escola, é muito inteligente, mesmo não admitindo. No episódio em que Lindsay resolve dar uma festa em sua casa porque seus pais estão viajando, ele é o único que percebe que a cerveja foi alterada, não contando pra ninguém e ganhando uns trocados com apostas.

 

Jason Segel é provavelmente o conhecidinho de muitos fãs da série How I Met Your Mother. Apesar de não ter mudado nadica ao longo dos anos, ser a versão mais velha do personagem Finn Hudson de Glee e conseguir o mesmo estilo bobão de personagem em quase tudo o que atua, Jason é um queridinho. Na série, interpreta Nick, um freak que tem por ambição ser um baterista de uma banda de rock muito famoso, mas que não toca lá essas coisas. Se apaixona por Lindsay, apesar de não ser correspondido. Nunca. Nick é bastante fofo e atencioso no começo, tentando conquistar Lindsay, mas depois torna-se o maior pé-no-saco.

Martin Starr é Bill Haverchuck, o característico loser-geek do trio, com seus óculos enormes, má postura e um gosto nerdístico absurdamente apurado. Por exemplo, um de seus seriados favoritos é Dallas, ao qual não perde nenhum episódio e chegou a se vestir de Mulher Biônica para o Halloween (peraí, você não sabe quem é a Mulher Biônica?). Apesar de sua aparência esquisita, é o mais bem humorado da turma dos geeks, com tiradas espertas e comentários nos momentos certos. Martin, o ator, já fez pontas em seriados como New boring Girl, Parks and Recreation, Community e no filme Ligeiramente Grávidos.

Busy Philip a atriz que mencionei lá em cima é Kim Kelly, a namorada de Daniel. Mais ou menos namorada. Uma baixinha de temperamento forte que não leva nenhum tipo de desaforo para casa, afinal de contas, seu lar é uma bagunça. Não aprova a inclusão de Lindsay no grupo a princípio, porém, ao longo da série,  um laço de amizade muito forte surge entre elas. Busy, que atualmente tem um personagem fixo em Cougar Town, fez uma pequena participação em Apartment 23, em Community e no filme Não Sei como Ela Consegue.

Alguns atores de background também devem ser mencionados aqui, como Dave Allen, como o Professor Rosso, um típico pós-hippie que ainda acredita estar em Woodstock, com sacadas geniais. Thomas F. Wilson (sim, o Biff de Back to the Future!), como o treinador super legal do Mckenley High. Kayla Ewell, a Vicki de Vampire Diares, faz uma pequena participação, também. Ela era tão criança! E  Lizzy Caplan, ou Janis Ian de Meninas Malvadas.

Você realmente quer perder um elenco absurdo desses trabalhando juntos?   Além do elenco espetacular, existe algo piscando na sua cara para você sair correndo e assistir essa série. E não, não é o roteiro genial, já falamos disso aqui. Esse outro motivo é a trilha sonora maravilhosa,  com a nata do rock dos anos 70 e 80. Bandas como Van Halen, Rush, The Who e Billy Idol aparecem de vez em quando e você pode ficar igual a mim, pensando que talvez não vá existir outra série melhor.

A reunião

Em 2011 o elenco se reuniu, junto ao de Undeclared, no evento da PaleyFest (ou Comic Con para nerds televisivos), causando grande comoção nos fãs e aquele sentimento de vazio eterno que nada sara. 


Ninguém percebeu que Johnny Boy recebeu as palmas mais calorosas, né?

Sendo o único não presente, James Franco gravou um video, ao lado de Anne Hathaway, se desculpando por não estar lá e dizendo que Amor e Outras Drogas já estava nas lojas. Foi um momento engraçado, já que aproveitaram a deixa para revelar um lado obscuro de James: “Lembro de bem antes de a série ir ao ar, comentar com o Judd ‘Será que estamos prester a arruinar a vida dessas crianças?‘ E Judd foi ótimo, naquele tempo ele já era um pai, então disse ‘Vamos só tratá-los como se fossem nossos filhos‘. Não houveram problemas. A intenção era de fazer atrás das câmeras, o que fazíamos na frente delas… Não haviam drama queens. Não havia gritaria. Exceto pelo Franco”

Há rumores, e esperanças imortais de milhares de fãs, de que um filme possa ser rodado. Porém, isso só depende das mentes geniais de Feig e Apatow. O apoio dos fãs, incluindo um bem famosinho, chamado Perez Hilton, eles já têm.

E se você leu até aqui e ainda não colocou a série pra baixar already, a gente nem sabe mais.

Postagens Relacionadas:

You Might Also Like

3 Comments

  • Reply
    Amanda Faustino
    November 22, 2012 at 7:52 pm

    1999? Não acredito! Nem parece…
    Eu gostei, mas não sei se vou assistir. Quem sabe?!

    Beijos,
    Mandi – Book and Cupcake.
    Amanda Faustino recently posted..O Círculo de PedraMy Profile

  • Reply
    Isa Pina
    November 22, 2012 at 8:59 pm

    Eu já tinha ouvido falar da série numa dessas listas de “Séries que não deveriam ter sido canceladas” (ou algo do gênero), mas a história nunca tinha me chamado a atenção, talvez porque eu não compreendia como era difícil ter uma série que a gente consiga se identificar de verdade (devo ter lido essa lista uns dois anos atrás!!!).
    Enfim. Ameeeei o elenco, James Franco é tudo de bom e etc, e com vocês elogiando o Johnny, também fiquei curiosa. Já tô procurando pra baixar o piloto!
    ÓTIMA DICA, hehehe (:
    Beijos!
    Isa ~ Portal dos livros

  • Reply
    Who's thanny? » Arquivo » O Teorema Katherine, John Green
    April 18, 2013 at 4:14 pm

    […] do Hassan? O cara, absolutamente hilário, me fez lembrar em vários momentos do Neal Schweiber, de Freaks and Geeks. Tem a Lindsey e sua mãe, Hollis, que provam que aparência ou primeira impressão podem muito bem […]

  • Leave a Reply

    CommentLuv badge