Cinema

Tão Forte, Tão Perto (2011)

Tão Forte, Tão Perto (Extremely Loud and Incredibly Close) é mais um desses filmes que você assiste sem esperar nada e acaba se surpreendendo no final. Apesar de não agradar muito o público americano e receber várias críticas negativas, ele foi indicado ao Oscar de Melhor Filme, sem concorrer a nenhuma outra categoria importante, salve Max Von Sydow como Melhor Ator Coadjuvante. E isso é um fato curioso, será que há chances do longa levar a estatueta principal da Academia?
Dirigido por Stephen Daldry (Billy Elliot), o filme é uma adaptação da obra Extremamente Alto & Incrivelmente Perto, do autor Jonathan Safran Foer, publicado no Brasil pela editora Record. E apresenta a história do pequeno Oskar Schekk, interpretado por Thomas Horn, um garoto muito inteligente, inventor, pacifista e amador da cultura francesa que herdou toda essa sabedoria do pai, Thomas Schell Jr. (Tom Hanks).

Certo dia, explorando o armário do pai, que foi uma das vítimas do 11 de setembro no World Trade Center, ele encontra uma chave dentro de um envelope, com apenas uma palavra escrita nele: Black. Convencido de que deve encontrar a fechadura dessa chave, Oskar faz uma busca por toda cidade de Nova York, batendo na porta de todos os Black que encontrou na lista telefônica. Alguns são simpáticos, outros não. E ele fica nessa busca até encontrar a resposta, o que o seu pai queria que ele não parasse de procurar.

So many people enter and leave your life. Hundreds of thousands of people. You have to keep the door open so they can come in, but it also means you have to let them go.

Oskar é um personagem singular, não vou chamá-lo de pequeno gênio, mas o garoto é muito inteligente para a idade, 11 anos. Ele possui muitos medos, não acha seguro andar de ônibus, metrô e até mesmo brincar no balanço. Muitas vezes, tem uma atitude arrogante, o que irrita. Ele não é carismático e todo o filme gira em torno dele – não, o atentado ao World Trade Center não é o foco. Mas cá entre nós, Thomas Horn deu um show de atuação e consegue comover o telespectador com o seu sofrimento. Quem assistiu Billy Elliot, filme do mesmo diretor, poderá achar ambos os protagonistas parecidos fisicamente, até no jeito estranho de se vestir.

O resto do elenco ficou totalmente em segundo plano, Tom Hanks aparece apenas nos flashbacks para mostrar a relação próxima que tinha com o filho. Max Von Sydow (O Exorcista) interpreta um homem que não fala absolutamente nada, com um sim escrito na mão esquerda e um não na direita, e que lembra bastante o pai de Oskar. Ele deu um toque a mais de drama ao enredo, mas senti que sua história ficou incompleta. De uma forma indireta, ele ajuda Oskar a enfrentar seus medos.

Surpreendemente (ou não), Sandra Bullock (A Proposta) convence como a esposa que acabou de perder o marido e não consegue dialogar com o filho. Apesar de gostar da atriz, não estou acostumada com sua atuação em filmes que não sejam de comédia. Viola Davis, que está concorrendo ao Oscar de Melhor Atriz pelo seu papel em Histórias Cruzadas, tem uma participação especial e essencial para o desenvolvimento do enredo.

Por ser uma adaptação, não esperava que a história em si, conseguisse retratar toda a jornada de Oskar sem parecer que tudo aconteceu de forma rápida. Não li o livro, mas consigo ter uma vaga ideia de como ele é. O filme é longo, por vezes cansativo, mas no geral conseguiu contar uma boa história de uma forma bastante poética, com cenas em câmera lenta e fazendo jogo de imagens e efeitos sonoros.

A trilha sonora é muito bonita, daquelas que toca em sua mente quando você está com a cabeça encostada na janela do carro observando a chuva cair. Tão Forte, Tão Perto é um filme triste, que irá te fazer chorar, mas que recomendo mesmo assim. Não acredito que vá vencer alguma estatueta, porém não deixa de ser um bom filme.

Tão Forte, Tão Perto estreia nos cinemas no dia 24 de fevereiro.

Ficha Técnica

Título original: Extremely Loud and Incredibly Close
Diretor: Stephen Daldry
Elenco: Tom Hanks, Sandra Bullock, John Goodman, Max von Sydow, James Gandolfini, Jeffrey Wright, Thomas Horn, Adrian Martinez, Zoe Caldwell, Gina Varvaro
Produção: Scott Rudin
Roteiro: Eric Roth
Fotografia: Chris Menges
Trilha Sonora: Nico Muhly
Duração: 129 min
Ano: 2011
País de Origem: Estados Unidos da América
Gênero: Drama
Classificação: ★★★★☆

You Might Also Like

10 Comments

  • Reply
    Sam
    18/02/2012 at 7:13 pm

    PUTZ, QUE RESENHA AWESOME. Vou ali me jogar dum prédio e já volto, ok.
    Tá, agora você me deixou com vontade de ver o filme. A sinopse não tinha me animado muito, mas pela sua resenha dá pra ver que é pelo menos legal pra passar o tempo.
    p.s. essa foto do menino nessa máscara de gás me lembrou de Doctor Who e ARE YOU MY MOMMY?

    • Reply
      thanny
      19/02/2012 at 2:31 am

      AHAM, DONA SAM DAS RESENHAS FODÁSTICAS!
      Gente, quando vi essa cena quase morro! O guri devia assistir Doctor Who not

  • Reply
    Maíra Larissa
    18/02/2012 at 7:49 pm

    As pessoas tem que está no clima do filme, ou tentar entrar no clima do mesmo, por que inicialmente eu fiquei meio desanimada. Mas decidi me jogar no filme e simplesmente ADOREI. A Atuação Max Von Sydow tá incrível. Eu tava assistindo os comentário na TNT e não resisti, acabei baixando o filme antes de chegar aqui…

    Dei 5 estrelinhas *****
    Maíra Larissa recently posted..Cine&Paródia – A Garota da FotografiaMy Profile

  • Reply
    Breno Rodrigues
    18/02/2012 at 11:34 pm

    Hm… muito interessante! Você me fez olhar o filme com outros olhos.
    Parece ser uma história muito comovente, realmente tocante.
    Quero muito assistir! \o/
    Ótima resenha!

    Abraços ;)
    Breno Rodrigues recently posted..Resenha: Precisamos falar sobre o KevinMy Profile

  • Reply
    Byzinha
    19/02/2012 at 12:20 am

    Quando vi o trailer, achei interessante e resolvi que queria ver. Ta baixado aqui. Faz tempo que eu não vejo filme do Tom Hanks, hm/

  • Reply
    Anderson Vidal Branco
    19/02/2012 at 3:15 pm

    Cara, parece que este filme é demais, quero ver! O trailer é perfeito e tem uns quotes perfeitos só no trailer, imagine no filme. Quero muito ver, muito mesmo!

    Anderson /grin Hooked for Books
    Anderson Vidal Branco recently posted..Especial Clockwork Angel – Anjo MecânicoMy Profile

  • Reply
    Geo
    19/02/2012 at 4:00 pm

    Tenho ele aqui pra ver e juro que até o fim do feriado eu já vou poder dizer que assisti. Tua resenha me animou mais, sério. E A RESENHA TÁ LINDA OK. Ponto. /sigh

  • Reply
    Tharcila Lima
    19/02/2012 at 5:29 pm

    Adorei a história. Parece ser genial e adoro ver filmes com crianças precoces. São tão encantadoras.
    Já vi um filme com a Sandra, onde ela era mãe adotiva de um jogador negro. Puro drama e foi maravilhoso também. Acho que ela está tentando se desvencilhar da imagem de papéis cômicos. O que é bom.
    Belo post
    Beijo
    Tharcila Lima recently posted..Resenha #26 – Confissões de Um Turista ProfissionalMy Profile

  • Reply
    Ligia Paulino
    21/02/2012 at 4:39 pm

    Parabéns Tahnny!! adorei a resenha e por mais que seja um filme na qual eu choro eu sempre gosto de conferir, pois provavelmente ele tem alguma lição importante para passar!!

    Vi o trailer e gostei agora vou esperar ansiosa para conferir o filme, mais acho que vou assistir em casa porque se eu chorar fiquei com cara de choro em casa né?

    hahahahha

    Um xerão!
    Ligia Paulino recently posted..[ Promotions ] >> Promoção do Kit "Beijada por um Anjo" – Revelações da Novo Conceito pelo Facebook.My Profile

  • Reply
    Juh Claro
    27/02/2012 at 11:59 pm

    Ai, sei não, não acho que faz meu estilo… Não vi muitas críticas positivas e muita gente dizendo que nem merecia indicação mesmo, então não acho que vá me agradar tanto assim mesmo, sei lá UHSUHASAUHA
    ;*
    Juh Claro recently posted..Dando um UP! #011 + Spa Week #3My Profile

  • Leave a Reply

    CommentLuv badge