Literatura

Dead Island, Mark Morris

Por Nichollas Jaques

Jogo videogame desde os 4 anos de idade e tenho uma paixão de morrer por ele, mas nunca na minha vida li algum livro sobre um jogo, tive a primeira oportunidade agora com o livro do Dead Island, do autor Mark Morris, e eu torço o nariz para estes tipos de adaptação com receios de perda de qualidade da obra original. É bem verdade que o game Dead Island não foi um lançamento bombástico no seu ano, já que em 2011 teve outros games mais relevantes como, Call of duty Modern Warfare 3, Batman Arkham City, Skyrim entre outros. Mesmo assim o jogo é divertido tem um bom final e deu uma nova roupagem a jogos de zumbis, o que gerou sequências a série e games semelhantes como Dying Light. De toda forma não estamos para falar do jogo e sim do livro.

dead-island-morris-whosthanny

Dead Island, assim como o jogo, retrata a história de quatro pessoas que foram unidas ao acaso, Purna, uma ex-policial meia aborígene meio australiana, Xian Mei, uma chinesa infiltrada como recepcionista de um hotel, Sam, um rapper com a carreira em decadência e Logan, um ex-jogador de futebol americano que teve sua carreira encerrada por uma grave lesão no joelho.

Com exceção de Xian Mei, todos eles vão a Banoi, uma ilha paradisíaca próximo a Papua Nova Guiné, com férias inteiramente pagas, porque foram selecionados num sorteio por terem doado sangue numa campanha. A ilha é rodeada por vegetação, porém é belíssima e todos ficam encantados com ela, menos com uma prisão que fica numa ilhota próximo a Banoi, onde se encontra os piores criminosos, desde psicopatas a terroristas.

Mesmo com toda esta paisagem magnífica, não foi impedido que surgissem zumbis devoradores de carne e sedentos por sangue de gente viva. Estes acontecimentos acabam juntando estes quatro sobreviventes por uma ligação realizada por Ryder White, um militar que se encontra na prisão com sua esposa que está infectada. A princípio os personagens não sabem o que se passa, mas Ryder trata de explicá-los a custo de que eles o ajudem com sua esposa, pois de acordo com a análise do sangue doado por eles, Xian Mei, Purna, Logan e Sam são imunes ao vírus zumbi e eles podem encontrar uma possível cura.

O livro consegue extrair mais dos caráteres dos personagens, coisa que o jogo faz muito por cima, porém a narrativa é muito mais rápida que do jogo. Há umas pequenas modificações na história para que tenha uma cara mais literária, nada muito gritante que possa incomodar puristas que acham mudanças em adaptações um desastre.

Da mesma forma que o jogo não foi extremamente marcante para mim, o livro também não foi. Não me levem a mal, mas são lançadas obras de zumbi a exaustão e achar um que se destaque é difícil para mim, aliás li um livro incrível de zumbis chamado A Menina que tinha dons que é uma obra de zumbi de destaque. Não digo isto como se o livro fosse ruim, ele é razoável, mas não é aquela história que lhe prende, porém pode ser útil praqueles que não querem jogar o game e simpatizam com a história dele ou até gamers mais casuais que se dão mais bem com livros do que com os jogos.

informações

Cortesia da editora para resenha.
Título: Dead Island
Autor: Mark Morris
Tradutor: Mariana Kohnert
Número de Páginas: 280
Edição: 1ª + 2015
ISBN: 9788501402349
Editora: Galera Record
Preço: R$ 36,90 (Compre com desconto aqui)
Classificação: ★★★½☆

You Might Also Like

No Comments

Leave a Reply

CommentLuv badge