Televisão

Brooklyn Nine-Nine

Da série “séries de TV que fazem do mundo um lugar melhor”, eis que o universo nos presenteia com: Brooklyn Nine-Nine.

brooklyn nine-nine

Como não escrever uma resenha composta apenas de “ASSISTE QUE É MUITO BOM!!!!”? Eis a questão.

Quando Brooklyn Nine-Nine foi anunciada em 2013, muita gente ficou meio preocupada. Andy Samberg tinha acabado de sair de Saturday Night Live e ele até que era engraçado, mas será que isso ia dar certo? Bem, rapidinho ficamos sabendo que não apenas deu certo, como seu Jake Peralta lhe rendeu um merecido Golden Globe.

O procedural de meia hora da FOX foi rápido em conquistar o público. O humor rápido e inteligente da escrita é uma grata surpresa para fãs muito específicos. Se você gostou de Community, Arrested Development e CSI: Miami, fique sabendo que B99 é a mistura perfeita de todos esses shows.

Seguindo a rotina do 99º departamento de polícia de Nova York no Brooklyn (you don’t say), conhecemos o Nine-Nine no dia que o novo capitão, Ray Holt (Andre Braugher), é contratado para o cargo. Com o desafiador trabalho de colocar em ordem o precinto, além de lidar com o indisciplinadamente carismático Peralta (Samberg), a equipe é de uma mistura inesperada: Rosa Diaz (Stephanie Beatriz) é a policial má, Amy Santiago (Melissa Fumero) é a frenemy de Peralta, Charles Boyle (Joe Lo Truglio) é o melhor amigo e principal parceiro de Peralta, Gina Linetti (Chelsea Peretti) é a outspoken assistente e no meio de tudo isso está o sargento Terry Jeffords (ninguém menos do que Terry Crews).

Parece que é um monte de personagem para acompanhar, mas não se engane. Os roteiristas conseguiram a proeza de dar espaço para cada um dos policiais e até para a assistente (embora eles tenham dito que muito mais se saberá sobre a Gina na 4ª temporada). Quanto mais você assiste, mais surpreso você fica com como a história está sendo intrinsecamente conectada, sem perder sua essência em nenhum ponto, quase não deixando nada a desejar, e isso é lindo. Quer dizer, quando uma série prestou tanta atenção no que o público quer ver?

 
Embora, okay, haja um romance em desenvolvimento entre Jake e Amy, e a gente fica esperando ele acontecer desde o piloto, isso não realmente atrapalha, porque não é forçado e é muito bem desenvolvido. Esses policiais estão trabalhando juntos há pelo menos 8 anos quando a série começa, eles todos se conhecem muito bem e é muito legal entrar no meio desse mundinho deles e ir descobrindo aos poucos como as coisas chegaram a ser o que são agora.

Gente, Brooklyn Nine-Nine é tão boa! Sério. É engraçada de verdade, consegue não ser ofensiva, te suga rapidinho para dentro de sua bolha, e quando você menos espera, se vê investindo nesses personagens e universo. Não é à toa que ela está ganhando prêmios facilmente, destruindo os dias de TBBT (graçadeus finalmente). É porque ela é boa de verdade. E é tão difícil encontrar comédias boas de verdade que a gente meio que nem sabe o que fazer quando encontra uma.

E aí, quando elas aparecem, fica meio complicado não indicar sem falar um monte de coisa incoerente que nem essa resenha e terminar com “ASSISTE QUE É MUITO BOM!!!!”, vou te contar.

As duas primeiras temporadas de B99 já estão na Netflix e são do tamanho perfeito para você maratonar no próximo feriado prolongando, ignorando todo trabalho e estudo que você tem que fazer como aconteceu comigo no feriado de Tiradentes. Rosa, Holt e Gina são os melhores personagens. Também vou avisando que não é necessário entrar em pânico se você se vir estranhamente atraído/a por Andy Samberg no final do dia, é totalmente compreensível.

You Might Also Like

2 Comments

  • Reply
    Mareska
    18/05/2016 at 8:26 pm

    MELHOR SÉRIEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEE
    Mareska recently posted..Os sapos que eu não vou engolir porque são sapos de verdadeMy Profile

  • Leave a Reply

    CommentLuv badge