Literatura

Boy Meets Boy, David Levithan

Por Byzinha

I don’t believe in doing hugs halfway. I can’t stand people who try to hug without touching. A hug should be a full embrace.

Mais um da série “Livros que você nem ia ler, mas leu e WOA!”, porque Mareska sabe o que me indicar.

Boy Meets Boy (“Garoto Conhece Garoto” em tradução livre) é o romance de estréia de David Levithan e está entre os preferidos da população GLSEOQueMaisEntrarNessaSigla. Lançado em 2003, ele nunca veio para o Brasil em português, mas a sua leitura não é um bicho de sete cabeças não.

BMB conta a história de Paul, um garoto que sempre foi gay, mas que teve essa “condição” revelada aos cinco anos, quando leu as anotações de sua professora “PAUL IS DEFINITELY GAY AND HAS VERY GOOD SENSE OF SELF”. Ele vive numa cidade pequena dos Estados Unidos onde ser gay não é algo assombroso ou mal visto. Uma cidade sem problemas de aceitação. Em sua escola, existem desde os bullies homofóbicos até transsexuais estrelas do time de futebol americano (Infinity Darlene *inserir corações aqui*).

No dia que Paul conhece Noah, o garoto novo, ele sente a fagulha imediatamente, e com a ajuda de todos os seus amigos (Joni – a amiga de infância que o ajudou a se abrir como gay para a classe quando estavam na terceira série -, Tony – também gay, com pais religiosos radicais, que ele conheceu por acaso -, a própria Infinity Darlene e até Ted – ex-namorado de Joni – e seu irmão Jay) ele conquista e reconquista o coração de Noah, porque foi a primeira vez que conheceu alguém com quem ele poderia ver um futuro juntos.

They defy gravity, as good books should.

Boy Meets Boy não estava na minha lista de leituras, porque não. Sabe? Quando você fala “Nah, to de boa.” para um livro? Então. Mas Mareska leu e passou para mim, porque ela queria uma segunda opinião, eu acho, de mais uma entusiasta de David Levithan (lembram da minha resenha de Lover’s?). Comecei a ler plenamente consciente do 3.8 que o livro tem no GoodReads e logo me encantei com a narração descontraída de Paul.

O livro é contado ~~no presente~~, porque parece que todos os personagens hoje em dia andam com um caderninho por aí contando exatamente o que estão fazendo naquele exato momento, mas isso não é tanto problema, para ser sincera. A gente nem sempre se dá conta da narração quando lê em inglês, a gente simplesmente engole as palavras por causa de toda aquela questão “ler em blocos” etc, to desviando do assunto. Em todos os livros do Levithan, a música está muito presente (veja Nick & Norah, por exemplo. Ou Will Grayson, Will Grayson) e nesse não poderia ser diferente. Uma das cenas mais interessantes é quando Noah chama Paul para “pintar a música” – um momento que ele tira em seu ateliê com tintas, uma tela em branco e um cd, pintando conforme a música toca.

Essa é uma utopia gay. A cidade natal de Paul ainda não existe na vida real, o que é meio triste, se pensarmos no assunto. Ainda existe MUITA ignorância contra homossexuais pelo mundo, que está girando devagar nesse sentido. Infinity Darlene é uma das melhores personagens que David criou, só perdendo para Tiny Cooper, da parceria com John Green divo. Quem aí gosta de vôlei profissional? Na temporada 2011-2012 teve um caso semelhante ao de Infinity Darlene no Vôlei Futuro (time do Ricardinho-de-volta-à-seleção-todos-chora-divo-2): Michael é clara e abertamente gay e absolutamente comprometido e profissional. E respeitado. Eu mesma assisti um jogo do Futuro aqui na minha cidade e cara! A gente fica se perguntando o que a escolha sexual tem de tão importante assim na construção profissional e de caráter, viu.

E é basicamente essa a ideia que BMB nos traz e faz refletir: Será que veremos mais disso em breve em outros esportes e áreas da vida? Será que vai demorar muito para vermos cidades grandes como a pequena cidade de Paul? Será que o mundo é tão zuado que tantas pessoas alienadas vão esquecer que estamos falando de seres humanos iguais, de carne e osso; vão esquecer do respeito que tanto exigem?

Do you know when you cross against traffic? You look down the street and see a car coming, but you know you can get across before it gets to you. So even though there’s a DON’T WALK sign, you cross anyway. And there’s always a split second when you turn and see that car coming, and you know that if you don’t continue moving, it will all be over. That’s how I feel a lot of the time. I know I’ll make it across. I always make it across. But the car is always there, and I always stop to watch it coming.

E é claro que ele faz todas essas perguntas com uma dose boa de romance. Uma das minhas partes preferidas são os sete dias que Paul tem para MOSTRAR o quanto ele gosta de Noah e todos os presentes que ele prepara. Muito lindinho!

No fim das contas, gostei muito mais do que achei que gostaria e recomendo sim para todo mundo. O livro é fininho e foi uma estréia com o pé direito para Levithan.

Título: Boy Meets Boy
Autor: David Levithan
Número de Páginas: 185
Edição: 2ª – 2005
Editora: Random Housa
Preço: R$24,60
Classificação: ★★★★☆

You Might Also Like

16 Comments

  • Reply
    Juliana Pires
    14/05/2012 at 7:39 pm

    Eu já vi esse lvro no skoob e achei bem interessante, por que convenhamos quantos livro você já leu em que o casal protagonista é homoafetivo, eu nunca li nenhum. A J.R. Ward esta introduzindo na série IAN, uma história assim e eu já vi várias pessoas criticando.
    Um pena que eu não leia em inglês, adorei a proposta do livro.
    Lembro do caso que aconteceu com o Michael, muito lamentavel, eu já cansei de falar e de escrever por aí que sexualidade não define carater, as pessoas tendem a esquecer disso. Eu não entendo o pq as pessoas se preocupam tanto com a sexualidade das outras, em que esta te afetando se alguém decide ser gay ou não.

  • Reply
    Camila Costa
    15/05/2012 at 3:57 am

    eu nuncaaa li nenhum livro cujo protagonista fosse gay, tipo um cara gay.
    até lesbicas sao mais comuns (naquelas né)
    bom eu reaaalmente quero ler esse, eu já adoro a escrita do David e prefiroo muuito ler em inglês, fato.
    espero que suja uma oportunidade logo!
    Camila Costa recently posted..Resenha Especial: Amante Revelado – J.R. WardMy Profile

  • Reply
    Giovanna
    15/05/2012 at 1:20 pm

    Adorei seu blog! /love
    Fala sobre tudoque adoro, filmes, livro e animes! Sou apaixonada por animes!
    Adoraria fazer uma parceria com você :)
    Se quiser, me mande um e-mail ok?

    Xoxo,
    Gih

  • Reply
    Gabi
    15/05/2012 at 2:48 pm

    Povo fala tanto desse autor! Preciso pegar alguma coisa para ler dele!
    Já vi esse livro em vários blogs, parece ser uma gracinha *-*

    Beijitos
    Gabi recently posted..O Filho de Netuno (Os Heróis do Olimpo #2) – Rick RiordanMy Profile

  • Reply
    Mareska
    15/05/2012 at 4:44 pm

    Como eu sou foda *O* (só que não xD)
    Minha frustração com esse livro foi não ter conseguido simpatizar com o Paul. Gostei dos outros personagens ( INFINITE DARLENE <3 ), mas o Paul… não sei. Não me conectei com ele D:

    • Reply
      Byzinha
      17/05/2012 at 2:31 pm

      O que sempre me surpreende é a facilidade que eles se apaixonam. Tiny e Paul me deram essa impressão ‘-‘ Mas gostei bastante do livro.

  • Reply
    Bia
    17/05/2012 at 1:25 am

    Esse foi o primeiro livro do David Levithan que eu ouvi falar, mas o primeiro que eu li mesmo foi The Lover’s Dictionary, que eu achei bem bonitinho. Eu tava me perguntando qual livro devo ler agora, e daí encontro sua resenha pra me lembrar desse! :D

  • Reply
    Vitória Liz
    17/05/2012 at 1:54 pm

    By, me responda uma coisa, o nível de inglês é muito alto? Já faz uns tempos que venho querendo começar (uma amiga que me disse que no começo é um pouco complicado, mas quanto mais você lê, mais você quer ler em inglês rs) e eu me interessei bastante pela proposta/sinopse do livro. Beijos.

    • Reply
      Byzinha
      17/05/2012 at 2:19 pm

      Eu FIQUEI boa lendo. Talvez seja porque minha primeira aquisição de verdade foi Incarceron, que é difícil pra cacete, talvez as fanfics de Inception me ajudaram… A melhora da minha gramática eu devo ao Green e ao Levithan, que são os mais gostosos de ler. Eu sempre aconselho a pegar um Diário de um Banana antes para dar uma testada, porque é pra criança, mas é muito bem escrito. Se você passar por ele com facilidade, vai conseguir encarar esses autores aqui sem medo. Aprender inglês é como aprender português: quanto mais você lê (livros, revistas, embalagens de shampoo), mais você aprende. ;D

      • Reply
        Vitória Liz
        17/05/2012 at 2:42 pm

        Então é isso mesmo o que eu vou fazer porque tem um monte de títulos legais apenas em inglês, as continuações saem mais rápido e na Cultura tem vários preços bem mais em conta.

  • Reply
    Sam
    17/05/2012 at 2:37 pm

    Acho que depois de ver gay em tudo, vou achar super estranho ler um livro REALMENTE gay KKK sua resenha tá linda, afe, quero esse livro.

    • Reply
      Byzinha
      17/05/2012 at 2:43 pm

      NÉ NÃO? KKKKK Acho que você vai gostar mais de Will Grayson, heim? Mas BMB merece ser lido, porque é bem divertido e interessante. APROVEITA QUE É FININHO, OLHA O PREÇO DO HARDCOVER!!! Menos de trinta real, quando isso acontece???

  • Reply
    Gustavo
    10/07/2014 at 10:53 am

    Onde você comprou esse livro?

  • Reply
    curso gay dominante funciona
    12/03/2017 at 4:13 pm

    onde tem esses livros pra vender??
    pode falar o site?

    • Reply
      Byzinha
      12/03/2017 at 4:22 pm

      Qualquer site de livraria deve ter. Gosto de comprar importados pela Livraria Cultura.

    Leave a Reply

    CommentLuv badge