Cinema

Battleship: A Batalha dos Mares (2012)

Por Byzinha

Sabe aqueles filmes tão ruins que chegam a ser bons? (Sammy vai perguntar “By, você tá falando de Mercenários de novo?”) Quero dizer, Battleship não é ruim. De verdade. E não estou falando isso só porque a atuação da Rihanna está absolutamente boa e consistente.

Mas afinal, do que se trata esse filme?

Battleship, baseado no jogo de tabuleiro da Hasbro “Batalha Naval” (que todo mundo já jogou, pelo menos uma vez na vida), acontece em Pearl Harbor, numa competição entre Marinhas de várias partes do mundo. Sete anos antes, a NASA projetou um comunicador capaz de mandar uma mensagem para planetas fora do Sistema Solar, com a intenção de entrar em contato com aquele um planeta chamado G, com densidade e relação com o Sol parecido com a Terra. Enquanto isso, Alex Hopper (Taylor Kitsch) apronta tanto, que seu irmão Stone (Alexander Skarsgård) resolve que ele deve entrar na Marinha. Alex tem potencial, mas é descompromissado e indisciplinado. Mesmo assim, consegue se destacar rápido no batalhão.

No dia dessa competição, chamada RIMPAC, Alex tem a intenção de falar com o pai de Sam (Brooklyn Decker) – que coincide ser o comandante Shane (Liam Neeson) – para pedí-la em casamento. Ele acaba entrando numa briga com um outro marinheiro do Japão e sua falta de humildade pode custar seu lugar na Marinha Americana, as ordens são que ele seja expulso assim que o RIMPAC terminar.

Como o destino é muito do espertinho, os alienígenas do planeta G resolvem chegar BEM nesse dia e se instalam no oceano de Pearl Harbor. Três navios que estão no RIMPAC são mandados lá para verificar: o de Stone Hopper, o de Alex Hoper e um dos japoneses – daquele um marinheiro que entrou na briga com Alex, Capitão Nagata (Tadanobu Asano). Ao investigar o que é aquela coisa bizarra no meio do oceano, Hopper acaba “acionando” a nave alienígena, que monta uma barreira que envolve até as ilhas do Havaí.

Eu não sei o que estava esperando desse filme quando fui assistir. Eu queria que fosse bom, mas duvidava que seria. Eu pensava “Mas Transformers é MAJAH!” e então pensava “Mas vai saber.” No dia da estréia – 11/5 aqui no Brasil – eu quase cheguei cogitar voltar para casa, mas não. E ainda bem.

Battleship é engraçado. Numa escala de American Pie a Vingadores de risadas, ele é um Transformers. A ideia do jogo de tabuleiro em si também foi aplicada de forma interessante. O enredo não é nada profundo e da primeira vez eu nem cheguei a entender mesmo qual era o problema dos alienígenas e o que eles queriam. E então eu saquei: a mesma coisa que nós. Da mesma forma que nós, humanos, queremos um “novo planeta” porque a Terra está se esgotando, eles tinham a mesma intenção. Ideia interessante, pra ser sincero. Mas tudo foi aplicado de forma superficial. Não é um “A Origem” da vida que faz você ficar pensando uma semana (ou mais, to pensando até hoje).

Os efeitos especiais são ótimos. Tudo de muita qualidade, as naves dos alienígenas eram muito legais. E as explosões??? Explosão o filme inteiro, da hora de mais!!! Tudo indo pelos ares! Literalmente um Transformers meets Mercenários.

Outra coisa de destaque é a trilha sonora. Jablonsky, responsável por blockbusters como Transformers e A Ilha, conseguiu colocar um ar épico em todas as cenas de luta, sem contar o par de músicas do AC/DC e a participação de Tom Morello, guitarrista do Rage Against the Machine em algumas composições. Afinal, o que é filme de ação sem Rock ‘n Roll?

Não vá esperando um filme “OH, TÃO FANTÁSTICO, MEU DEUS, MUDOU MINHA VIDA.”. Vá esperando diversão. Se fosse ruim mesmo, eu não teria assistido mais de uma vez (repeti a dose fim de semana do dia 18, haters to the left). Garanto que o filme é surpreendentemente bom, naquele nível Mercenários de ser.

FICHA TÉCNICA


Título original: Battleship
Diretor: Peter Berg
Elenco: Taylor Kitsch, Alexander Skarsgård, Rihanna, Brooklyn Decker, Tadanobu Asano, Liam Neeson, Gregory D. Gadson
Produção: Peter Berg
Roteiro: Erich Hoeber, Jon Hoeber
Trilha Sonora: Steve Jablonsky
Duração: 131 min
Ano: 2012
País de Origem: Estados Unidos da América
Gênero: Ação
Classificação: ★★★★☆

You Might Also Like

6 Comments

  • Reply
    Ana Beatriz
    01/06/2012 at 8:52 pm

    Eu também fiquei super em dúvida com o filme. Não esperava muito dele, não após ler esta resenha. Como sempre, vocês mandam super bem nelas. Enfim, já garanti o meu ingressoe vou assistir Battleship. Eu não estava com muitas ideias positivas sobre ele (achava que ia ser aqueles filmes de ação boring sem história boa), mas pelo jeito, é muito bom! /smile
    Ana Beatriz recently posted..Música: Celeste BuckinghamMy Profile

  • Reply
    Ana Beatriz
    01/06/2012 at 8:52 pm

    Não esperava muito dele, não antes de ler esta resenha*
    Ana Beatriz recently posted..Música: Celeste BuckinghamMy Profile

  • Reply
    Hangover at 16
    01/06/2012 at 10:02 pm

    Acho que então pelo visto o filme é bem na medida que eu esperava, hahaha

    xx carol
    Hangover at 16 recently posted..Festa no CovilMy Profile

  • Reply
    Ane Reis
    04/06/2012 at 12:35 am

    Oie Bya!

    Sabe que quando vi o trailer deste filme a primeira vez pensei: ” Transformers 4?” depois que percebi que se tratava de outro filme.

    Pelas criticas que já li, ele realmente não é um filme que surpreenda muito, mas que tem seus pontos altos e acaba sendo bom na medida certa mesmo, sem grandes exageros rs…

    bjus

    anereis.

    mydearlibrary | bookreviews • music • culture
    @mydearlibrary
    Ane Reis recently posted..A Maldição do Tigre por Colleen Houck.My Profile

  • Reply
    Sam
    04/06/2012 at 5:50 pm

    Não consegui ver no cinema e agora vou ter que esperar sair download, CHATIADÍSSIMA CÁ VIDA ;_; Mas vou ver, pfv, TRANSFORMERS MEETS MERCENÁRIOS DEVE SER UMA MARAVILHA DA VIDA.

    • Reply
      Byzinha
      04/06/2012 at 7:12 pm

      Menina, saí do cinema até com dor de cabeça de tanta explosão, mas foi MARA.

    Leave a Reply

    CommentLuv badge