Literatura

Barba Ensopada de Sangue, Daniel Galera

Por Byzinha

Terminei de ler.

O corpo é sua própria cápsula do tempo e sua viagem é sempre um pouco pública, por mais que a tentemos esconder ou maquiar.

Barba Ensopada de Sangue, o mais recente livro de Daniel Galera – um dos poucos autores brasileiros que consegue fazer sucesso lá fora – é a história no ponto de vista do protagonista sem nome que é brigado com o irmão mais velho e sabe que o pai vai se matar, devido uma conversa que teve com o velho um dia antes do ocorrido. Ele é um gaúcho de 34 anos, é triatleta, professor de educação física e possui uma doença rara que o impede de gravar o rosto das pessoas, inclusive dele mesmo. Antes de morrer, seu pai lhe conta a história do avô, um homem duro na queda que foi dado como morto na pequena cidade litorânea de Garopaba na década de 60, mas que o pai acredita não ter morrido coisíssima nenhuma, dadas circunstâncias. Ele ouviu essa história porque o pai insiste em dizer que é parecido com o avô em aparência e, desde então, leva uma foto do avô na carteira, para se lembrar da semelhança e de si próprio.

Sem nenhum plano exatamente, ele vai para Garopaba com a velha cachorra do pai no encalço, aluga uma casinha na beira da praia, arranja emprego de instrutor de natação numa academia local e tenta saber o que exatamente aconteceu com o avô, apenas para descobrir que ninguém na cidade toca no assunto. Era como se seu avô – Gaudério – tivesse se tornado um mito, o que era meio verdade, e falar sobre o ocorrido dava azar.

Durante o livro, acompanhamos o desenvolvimento da história do protagonista entre casos de amor e amizades improváveis e conseguimos, inclusive, nos conectar com alguns personagens.

Tem essa amiga minha do Rio (Aguy, ta lendo isso?) que me falou faz um par de anos sobre os livros do Daniel Galera, sobre como ele era bom e talz, mas eu sou meio ~~preconceituosa~~ com livros em geral, principalmente nacionais. Quem me conhece sabe que eu só leio um livro (qualquer livro) se me der na telha, então eu nunca tinha tentado pegar algum dele, até porque os livros da Companhia das Letras são meio carinhos. Mas quando saiu Barba, nós já tínhamos a parceria com a editora e eu li uma review no jornal falando que o livro é mais ou menos. Fiquei curiosa.

Barba foi um livro difícil de engrenar. Acho que cheguei a ler uns 4 ou 5 livros no intervalo, porque ficava cansada da narração do Galera. As falas não são indicadas com nada – nem um travessão, nenhuma aspas -, o que me deixava confusa às vezes, os parágrafos são longos e a narração quase que Tolkien-detalhista.

Okay, nem tanto. Mas é uma narração bem peculiar, a dele.

Me levou um bocado de tempo para começar a achar a história interessante e só quando passei de 1/3 que comecei a gostar. A narração ganha velocidade mesmo com seus parágrafos desnecessariamente longos e os esforços do protagonista em descobrir a verdade sobre o avô, que meio que calha em encontrar sua própria verdade, aquele papo todo, prende o leitor.

Há apenas dos lugares possíveis para uma pessoa. A família é um deles. O outro é o mundo inteiro. Às vezes não é fácil saber em qual dos dois estamos.

A parte ruim é que, conforme você se aproxima do final, você cada vez mais se pergunta qual o objetivo de tudo aquilo, para onde o autor quer nos levar. É por isso que senti vontade de tacar o livro pela janela. Porque ele tem tanto potencial e acabou me levando para lugar nenhum. O final é simplesmente BLEH. Tava tão legal e de repente ficou ruim e acabou. Terminasse ele depois da briga, ia ser o suficiente. (quem ler vai saber de qual briga estou falando)

Truth be told, a melhor parte da história é o relacionamento do protagonista com a cachorra, Beta. É a cachorra que o faz chegar aos dois momentos de catarse que ele tem, ambos bem no finalzinho. É por ela que a gente chora um certo momento lá. É ela quem ganha o leitor, do jeito que ganhou os moradores de Garopaba que não queriam ter muito a ver com o neto do Gaudério.

Barba Ensopada de Sangue dá aquele feeling contraditório porque você acaba gostando e desgostando. Queria saber o nome do protagonista. Queria que o final fosse diferente, interessante. Queria saber mais ou pelo menos saber menos. Mas foi legal, a leitura. Cansativa, mas legal. SO MANY FEELINGS. Difícil de explicar.

Dificio~~.

informações

 

Título: Barba Ensopada de Sangue
Autor: Daniel Galera
Número de Páginas: 424
Edição: 1ª – 2012
Editora: Companhia das Letras
Preço: R$ 39,50
Classificação: ★★★☆☆

You Might Also Like

5 Comments

  • Reply
    Aline T.K.M.
    05/04/2013 at 1:28 am

    Sabe que achei Barba o máximo? Mesmo! Gostei demais da narrativa (gosto de descrições) e não achei o livro parado nem cansativo. Entendo o seu ponto sobre o final, e concordo que até poderia ser diferente. Mas, honestamente, eu não o mudaria. Gostei da maneira como terminou, até porque para mim o sentido de tudo estava nas “viagens” do protagonista, no que se passava dentro dele, dentro de sua solidão. Gostei tanto do livro que quero com certeza ler mais coisas do Galera.

    Bjoka, Livro Lab
    Aline T.K.M. recently posted..Chez le Libraire : Le vieux qui ne voulait pas fêter son anniversaire, de Jonas JonassonMy Profile

  • Reply
    Agatha Menezes
    09/04/2013 at 1:19 am

    Olhe, eu desisti do meu. Primeiro porque depois de conhecer o Galera eu fiquei tipo o avesso da fã que eu era. E segundo, porque eu não consigo sair do primeiro 1/3. Cheguei no circo (você sabe do que eu estou falando). Esse é o pior livro dele que eu li/tentei ler. De boa. Ele tem essa mania de fazer protagonistas sem nome e ter cachorros nos livros (Até O Dia Em Que O Cão Morreu), o que eu acho ótimo, faz a gente se referir a obra e aprender a gostar das insinuações psicológicas dos personagens. Mas cara, eu to com um ódio platônico dele agora (antes era amor), que a cada linha”hiperexplicada” dele eu reviro os olhos e o chamo de arrogante.E essa sua promessa de falta de fim ou fim satisfatório desanima mais. Não posso concluir o projeto agora. #cry

  • Reply
    Ceile
    20/04/2013 at 8:25 pm

    Falar pra vc que curti o livro só pq ele tem duas capas disponíveis – MAS É SÓ ISSO, SORRY!

  • Reply
    Douglas Marques
    28/04/2013 at 6:23 pm

    Você foi generosa. Esse livro é terrível. Mas parece que é feio expressar isso abertamente e ir contra a opinião geral – se é que essa é a opinião geral, e não uma covardia generalizada.

    • Reply
      Byzinha
      28/04/2013 at 7:54 pm

      Não achei o livro terrível, achei instável. É diferente.

    Leave a Reply

    CommentLuv badge