Evento

Anime Friends 2019

Nos dias 13 e 14 de julho, nós, Byzinha e Hypia, estivemos na edição deste ano do Anime Friends, pelo segundo ano seguido com convite de imprensa concedido pelo evento. E estamos aqui para contar um pouco da experiência dessa vez.

Fonte: Anhembi

Podemos adiantar que foi certamente diferente da do ano passado, começando pelo fato que participamos de dois dias ao invés de três, porque nós duas tínhamos que trabalhar na sexta. Infelizmente, as coletivas de imprensa costumam acontecer no primeiro dia de evento, então não pudemos participar dessa parte.

Sábado, 13

Entramos no evento por volta de 11:30 da manhã, e nosso primeiro ponto de parada foi a Artist’s Alley – onde, pra nossa surpresa, naquele sábado qualquer – encontramos um dos quadrinistas que tem alguns dos trabalhos que Hypia acha mais bacanas: Carlos Ruas. Ela recomenda fortemente TODO o conteúdo produzido por ele. Foi surpreendente porque a gente não tinha visto que ele estaria lá, e o fato de, ao menos na hora que a gente passou por lá, basicamente não haver fila para comprar material com o autor, conversar e pegar autógrafo nos chocou muito. Outra pessoa com um trabalho bacana que a gente encontrou por lá foi o roteirista Gabriel Sampaio, um dos autores de Exceção Hostil.

Fonte: Divulgação Anime Friends

Qualquer coisa que a gente fale sobre as Artist’s Alley de eventos de cultura pop é pouco pra descrever quanto material incrível de gente que faz trabalhos maravilhosos tem nesses lugares – e a maioria costuma ser gente que é bem legal com quem vai prestigiar, e a gente acha muito divertido conversar sobre as artes com quem trabalha para criá-las.

Outra aquisição na Artist’s Alley foi um livro chamado “Conto de Dragões”, escrito Fabi Zambelli, que basicamente é um new adult com dragões, e que se passa no Brasil. Ainda não terminei de ler, então não vou adiantar muita coisa – tudo o que vou dizer é que, até onde li, achei divertidíssimo.

Um dos melhores custos benefício da VIDA!

Duas da tarde foi hora do painel da JBC. Um dos principais anúncios foi o lançamento de Hokuto No Ken, além dos volumes 1 e 2 de Fire Punch, volume 5 de Rosa de Versalhes, volume 7 de Boa Noite Punpun, e o volume 1 da light novel de Overwatch, partes 4 e 5 de Akira – com a parte 6 quase totalmente aprovada para publicação também. Também anunciaram o lançamento de Hunter x Hunter para as plataformas digitais de 5 em 5 volmes, e que Edenzero e The Seven Deadly Sins terão publicação simultânea com a edição japonesa na versão digital. Também anunciaram que Fruits Basket está aprovado para lançamento em versão impressa, e informaram que vão lançar a versão brasileira da Eternal Edition de Sailor Moon – e Hypia ficou bastante empolgada, porque não imaginava que fossem trazer conteúdo novo desse mangá.

Uma informação bem interessante que compartilharam é que, assim como Hokuto No Ken tem vários elementos que aparecem depois em outros materiais chamados de shounen, que são os voltados principalmente para garotos, em Rosa de Versalhes temos várias características dos materiais que a gente chama de shoujo, que são os voltados principalmente para garotas. Vale destacar que as nomenclaturas como shounen e shoujo, entre outras segmentações, servem simplesmente para identificar público alvo, nada impede que uma pessoa consuma um conteúdo sem ser necessariamente o público para quem ele foi pensado.

Ainda no painel da JBC, anunciaram várias novidades sobre O Regresso de Jaspion, e mostraram algumas imagens do conteúdo que está em produção – tudo que estamos falando aqui foi postado no Instagram (whosthanny), e deixamos nos destaques, em “JBC no AnFr19”. A última grande notícia foi que a loja online da JBC está quase pronta para ir ao ar.

Ainda no sábado, depois de circular pelo evento mais um pouco, voltamos pro palco chamado Auditório 1, desta vez pra assistir ao painel da Panini, que teve anúncio, como de praxe, de vários quadrinhos – Zero Hora: Crise no Tempo, DC encontra Hanna Barbera, Mulher Maravilha: Ossos, Escalpo, 100 Balas, Capitão América: Branco, Capitão América: Sonhos Americanos, O Invencível Homem de Ferro, Fury, Os Novos Vingadores, e conteúdos da editora Sergio Bonelli: Deadwood Dick, Mister No – antes de falarem do que importa, que são os mangás, entre eles Game, de Mai Nishikata (para adultos), mais conteúdo de Re: Zero, Kuutei dragons – que vai ter anime pela Netflix – Bakemonogatari, e Jagan.

Os anúncios da Panini também estão mais detalhados nos stories do nosso IG, basta checar os destaques “Panini no AnFr19”

Depois dos anúncios da Panini, tivemos uma entrevista com Ladybeard e Reika Saiki, também conhecidos como Deadlift Lolita. Esta foi a segunda vez que vieram ao evento, e pareceram ter gostado bastante do Brasil, e fizeram os comentários que a gente considera bem normais sobre recepção calorosa por parte do público, que nos parece ser regra geral quando artistas de outros locais do planeta chegam para fazer algum tipo de trabalho aqui. Outra pergunta que achamos interessante foi sobre quais artistas Ladybeard considera como influências dele, e citaram nomes como Rammstein, Marylin Manson e, entre nomes brasileiros, Ladybeard disse gostar da banda Sepultura.

Domingo, 14

Domingo foi dia de ir pro Anhembi um pouco mais tarde, porque a primeira apresentação que a gente queria ver era o painel da Crunchyroll. Eles comentaram um pouco sobre os números da plataforma, que atualmente pode ser considerada a maior distribuidora de animes do planeta, e fizeram alguns anúncios de novos conteúdos. O representante da Cruncyroll, na hora de abrir espaço para perguntas do público, basicamente pediu que as pessoas fossem criativas e fizessem perguntas que não fossem sobre “vai ter o anime tal, ou temporada nova daquele outro?”, e nem “tal conteúdo vai ser dublado?”, e distribuíram cupons para utilização de um mês de conta premium grátis pra todo mundo que fez perguntas criativas, e a verdade é que o pessoal caprichou nas perguntas com esse incentivo.

Para ver os detalhes sobre conteúdos divulgados no painel da Crunchyroll, basta checar nossos destaques do IG, em “Crunchyroll AnFr”.

Mais um pouco de caminhada pelo pavilhão do evento, e às cinco da tarde – número que Ladybeard pareceu ter gostado bastante em sua versão em português – teve o show do Deadlift Lolita. Não conseguimos enxergar muita coisa do palco de onde a gente estava, e o som deles pareceu bastante interessante; a gente não conhecia praticamente nada das músicas que esse grupo faz, mas achamos bastante interessante.

Por último, tivemos também uma roda de conversa com representantes de três das principais editoras que tinham loja no evento – NewPop, Panini e JBC. O diálogo foi principalmente sobre o mercado de quadrinhos e mangás; quando tivemos a oportunidade de fazer perguntas, Raabe muito bem lembrou sobre as feiras do livro promovidas em universidades, cuja JBC passou a participar, e perguntou se havia possibilidade das outras editoras participarem também. Conforme colocamos no twitter, JBC pareceu ter achado bem interessante participar, e é provável que continue a marcar presença; a NewPop tem interesse em participar, e gostaríamos bastante que isso acontecesse; Panini pareceu não estar tão interessada assim em participar, e o representante da editora afirmou que é possível encontrar material da editora à venda por outros lojistas nesses eventos, mas temos nossas dúvidas.

Em geral, esse ano foi bem mais tranquilo, embora no ano passado tivesse sido mais espaçado (se é que essa a palavra certa para descrever o evento). Talvez por termos ido um dia a menos, não sabemos dizer o que deu esse feeling. Também focamos em aspectos diferentes dessa vez. Não tentamos nenhuma coletiva de imprensa, embora estivéssemos lá na sala quando entrevistaram o Snowkel. Como a estrutura/estandes estava bem parecida com a do ano passado, também não focamos nisso (e caso você esteja curioso para saber como foi, basta olhar nosso post do ano passado que foi linkado lá em cima).

Devemos dizer que estranhamos o auditório principal ser aberto e com menos cadeiras comparado ao ano passado, e o auditório 2 era bem maior (onde estavam exibindo vários filmes/animes diferentes durante o evento), mas acabou que deu certo pra todo mundo. As poucas diferenças eram de posição dos estantes e, claro, conteúdo que eles trouxeram, mas em geral não foi nada de oh, que surpreendente.

Porque nossa credencial de imprensa foi confirmada tão em cima da hora, não tivemos muito tempo para programar grandes detalhes e apenas focamos nas coisas que mais gostamos – conteúdo de mangás, quadrinhos e música – e pra falar a verdade pareceu que aproveitamos muito mais do que no ano anterior, em que tentamos detalhar tudinho e acabamos meio exaustas, meio entediadas.

Desta vez, deu pra aproveitar bastante – e vocês podem ver bem se checarem nosso Instagram, o destaque “AnimeFriends ’19” tem tudinho que acompanhamos nesses dois dias de cultura pop asiática e alto astral.

Esperamos estar presentes em mais edições de novo, inclusive as Fests que acontecem no interior.

You Might Also Like

1 Comment

  • Reply
    AnimeDK
    04/09/2019 at 7:37 pm

    Amei todo o texto, pois tirou muitas dúvidas que eu tinha. Bem explicado.

  • Leave a Reply

    CommentLuv badge