Literatura

A Ilha dos Dissidentes, Bárbara Morais

E o medo? De pegar um livro de uma pessoa que você gosta e conhece, um livro com uma capa linda e uma sinopse atrativa, morrendo de vontade de gostar e acabar não gostando? Como lidar?

logo

Foi conversando com a Bell, autora do livro, que consegui uma cópia do primeiro volume de Anômalos, jurei para ela que queria muito gostar do livro e me aventurei na leitura de olhos fechados. Que surpresa agradável.

Sybil passou despercebida até os 16 anos, quando sobreviveu a um grave acidente de navio que revelou até para ela mesma ser uma Anômala – alguém com DNA modificado, que possui um poderzinho no melhor estilo X-Men. Depois de passar por uma bateria de exames e muitos dias sem dormir, ela é mandada para Pandora, para morar com uma família de Anômalos como ela, numa cidade de Anômalos como ela, estudando numa escola de Anômalos como ela e fazendo uma matéria para Anômalos-não espera um pouco, nem tudo é tão obvio assim.

Quando o nome da matéria – Técnicas Especiais Avançadas, ou TecEsp – chamou a atenção de Sybil, ela não sabia que estava se envolvendo numa trama muito maior do que conseguia imaginar, algo que envolvia planos secretos, política e violência.

Conversando com a autora, nós falamos sobre a veia ética que o livro traz. Faz muito tempo que o mundo vive em estado constante de violência pelo que é diferente, o que torna esse assunto, digamos, “old but gold”. A segregação entre pessoas normais e anômalas fica mais evidente em zonas de conflito (onde Sybil passou a vida) e fora das cidades anômalas, existindo pessoas ao redor do mundo que, inclusive, chamam os anômalos de doentes. Escolas separadas, roupas diferentes, cargos políticos estratégicos num estilo Apartheid que fazem o leitor sentir raiva e se identificar, ao mesmo tempo que passa por uma leitura agradável, de uma menina tentando se adaptar a uma nova vida e sair de lá ileso.

Com personagens bem estruturados e apresentados, Bell encanta. Os fatos são apresentados com delicadeza, só a quantidade exata de informação para deixar o leitor ansioso para os próximos volumes – para saber mais sobre esse mundo distópico criado por ela.

Meu maior problema é que não consegui identificar geograficamente onde a história se passava e fiquei o tempo todo ansiando por um app ou algum material extra ou mapas no início ou final do livro que dessem uma dica de como é o país e a tal Ilha dos Dissidenes no mapa.

Mas, fora isso, fiquei feliz em ter as expectativas superadas. Peguei um livro querendo gostar e gostei mesmo. Sem romance, realista e bem medido. Mas, acima de tudo, uma boa diversão. É um livro para qualquer idade que merece ser lido.

Informações

Título: A Ilha dos Dissidentes (Anômalos #1)
Autor: Bárbara Morais
Páginas: 304
Ano de Edição: 2013
Selo/Editora: Gutemberg
Preço: R$ 34,90 (Compre aqui)
Classificação: ★★★★★

You Might Also Like

3 Comments

  • Reply
    Juli Azevedo
    17/10/2013 at 10:25 pm

    Gostei do “sem romance”<- THIS IS NEW

  • Reply
    A Ameaça Invisível, Barbara Morais
    16/06/2015 at 5:59 pm

    […] de anos atrás, eu resenhei o primeiro livro da trilogia Anômalos, da Barbara Morais, um banho de literatura juvenil nacional bem escrito, inteligente e intenso de […]

  • Leave a Reply

    CommentLuv badge