Literatura

A coisa terrível que aconteceu com Barnaby Brocket, John Boyne

Mas, enfim, a questão é que, só porque sua versão de normal não é a mesma dos outros, não quer dizer que você tem algo de errado.

Numa época em que celebrar a diferença tem sido uma batalha e uma vitória a cada dia, John Boyne (conhecido especialmente por seu O Menino do Pijama Listrado) apareceu com A Coisa Terrível que Aconteceu com Barnaby Brocket.

A descrição da família Brocket nas primeiras páginas do livro publicado no Brasil pela Companhia das Letrinhas é muito semelhante à dos Dursley em Harry Potter e a Pedra Filosofal. Eles são extrema e absolutamente normais, muito obrigado. Seu status de família entediante de tão comum muda com o nascimento do terceiro filho, Barnaby, que tinha o péssimo hábito, veja bem, de flutuar. Eles até que tentam se habituar e fazer o menino reverter a situação, mas em oito anos, nada foi capaz de manter os pés de Barnaby no chão, a não ser que ele tivesse um grande estoque de sacos de areia na mochila.

Para piorar tudo, parecia que tudo condizia a fazer a criança chamar a atenção e – DEUS O LIVRE – aparecer nos jornais.

Tudo isso é demais para o Sr. e Sra. Brocket, levando-os à desesperada decisão de deixar o filho mais novo ao sabor do vento – literalmente.

Sem seus sacos de areia, Barnaby sai voando por Sydney até se deparar com um balão de ar quente onde duas senhorinhas estão viajando a caminho da fazenda de café que possuem no Brasil. Elas vêm a diferença de Barnaby e não ficam nem um pouco surpresas, já que elas mesmas foram expulsas de casa por suas próprias diferenças, mais de 40 anos antes.

É a partir dai que Barnaby passa a encontrar os mais diversos tipos de desajustados, enquanto tenta voltar para casa, para Sydney, embarcando em aventuras que nenhuma criança de 8 anos seria capaz de embarcar – e sobreviver!

We all are [normal]. Their idea of normal just happens to be different to some other people’s idea of normal. But this is the world we live in. Some people simply cannot accept something that is outside of their experience.

A primeira coisa que me chamou a atenção foi o titulo gigantesco, mas só o título não era suficiente, porque tenho plena certeza que a Cia tinha disponibilizado esse livro quando ele foi lançado. O efeito de vê-lo – realmente vê-lo em mãos, com essa capa linda – e ler a sinopse como quem não quer nada, porque meu Deus, olha esse título, foi o que me fez querer ler.

E a perspectiva de ver pelos olhos de uma criança que sempre se sentiu orfã e buscava consolo nos orfãos da literatura o quão injusta e maravilhosa a vida pode ser ao mesmo tempo é encantadora e emocionante.

A coisa terrível que aconteceu com Barnaby Brocket o fez crescer muito em pouco tempo e mudar a vida de muitas pessoas durante sua caminhada (ou avuada, se pensarmos melhor). É uma pequena mistura de Na Natureza Selvagem e Cósmico. Pequena, mas bem sucedida. Nós estamos dando uma olhada no amadurecimento de alguém que precisou rodar o mundo para abraçar sua identidade e, a partir disso, podemos chegar à conclusão de que nós mesmos não precisamos ir tão longe para alcançar tal feito.

informações


Livro cedido para resenha.
Título: A coisa terrível que aconteceu com Barnaby Brocket
Autor: John Boyne
Ilustrador: Oliver Jeffers
Tradutor: Érico Assis
Número de Páginas: 256
Edição: 1ª – 2013
ISBN: 9788574066011
Editora: Companhia das Letrinhas
Preço: R$34,00
Classificação: ★★★★★

You Might Also Like

2 Comments

  • Reply
    Tarsila Martins
    28/03/2014 at 11:54 pm

    Esse livro parece ser encantador! Me apaixonei pelo que você disse sobre a história, e o fato dele sempre flutuar me encheu de vontade de ler esse livro. Adoro quando livros citam o Brasil, mesmo que seja uma pequena citação, acho muito lindo e vejo que o mundo ama o meu país <3
    Vou anotar o nome desse livro, pois quero lê-lo com certeza.
    Beijos!

  • Reply
    Diego de França
    31/03/2014 at 12:36 pm

    Nossa que temática boa, o livro parece nos trazer uma história encantadora, daquelas que são leitura obrigatória.
    Valeu pela dica!
    Diego de França recently posted..{Recordar é Viver} – Green Card – Passaporte para o AmorMy Profile

  • Leave a Reply

    CommentLuv badge