Coluna

8 gols do Brasil que fizeram 2016 ser menos pior

A gente ta sabendo que 2016 foi o ano do DEMONHO, não é necessário nem discutir essa parte da realidade. Mas vamos ser sinceros, nem todo dia foi um 7×1. Mesmo que tenha sido difícil reunir essa pequena lista de sucessos, teve sim coisa boa acontecendo esse ano.

Como uma boa equipe alto astral, o WT vem por meio desta lembrar nossos leitores que o ano que agora termina não foi de todo ruim, e que ainda dá tempo de ter fé na brasilidade.

melhores do ano retrospectiva

Fica, querida!

Ninguém realmente entendia a expansão do problema quando dois anos atrás foi eleito o congresso mais conservador em muito, muito tempo de democracia. Na verdade, nós vimos essa democracia ser puxada de baixo dos nossos pés como um tapete de golpe. Entretanto, ninguém também tinha noção do impacto que Dilma teria entre as mulheres, mesmo com todos os seus defeitos administrativos. Esse primeiro tópico não é para defender o governo Dilma ou o PT, mas sim para lembrar de um dos momentos mais bonitos nas manifestações anti-golpe: a entrega de flores que aconteceu na frente do planalto, um movimento de mulheres para uma mulher que estava enfrentando algo muito pior do que merecia, como nós fazemos todos os dias.

Dilma Roussef

AQUI NÃO, NENÉM!!!!

Já dizia Rômulo Mendonça, NO NOSSO PUXADINHO NÃO!
Ah, as Olimpíadas. Vieram e deixaram saudades. A gente sabe que o pobre coitado do Rio de Janeiro ainda vai precisar de um tempo para se recuperar, sabe, financeiramente, mas o Caos carioca já vem de longa data. Aqui a gente vai falar de coisa boa, e não dá pra falar de coisa boa sem citar o futebol nos Jogos Olímpicos. Começou com as meninas dando show, porque né, isso mulher faz bem. As meninas do Brasil alcançaram seu ápice de glória no jogo contra a Austrália, que foi para os pênaltis, como se brasileiro já não sofresse o suficiente numa base diária. MAS TUDO BEM, porque mesmo com Marta errando, a gente tinha Santa Barbara para nos dar esse momento inesquecível:

Como se isso não fosse suficiente, o futebol masculino sempre tão desacreditado nas Olimpíadas conseguiu se reabilitar logo na grande final, no nosso cafofo do Maracanã (meu lindo e amado Maracanã *_*), graças a um herói inesperado, Weverton. Olha, eu sou toda contra ficar chamando jogador de futebol de herói, mas ceis tem que entender que ERA NO NOSSO OURO, NA NOSSA CASINHA e era um BRA x ALE que tava encarnado no Trauma.

aqui não Neymar

NO MEU PUXADINHO NÃO SUA LAMBISGÓIA!!!

Amarelões

Lembra quando o vôlei feminino nadava, nadava e morria na praia Olimpíada atrás de Olimpíada? Lembra como elas eram chamadas de amarelonas? Lembra como elas calaram a boca de todo mundo em 2008 com aquele ouro incontestável em cima dos Estados Unidos? (sdds) De um tempo pra cá parecia que quem tava merecendo o apelido de amarelão era o vôlei masculino.

Desde aquele ouro maravilhosamente inesquecível de Atenas em 2004, a seleção até que ia bem, mas morreu na praia em 2008 contra os EUA. Mas tudo bem, tinha Londres 2012 para se recuperar e caraca, os caras estavam arrasando! Isso até encontrarem uma velha conhecida: Russia. Nada foi tão doloroso quanto aquela virada da Russia quatro anos atrás. E esse ano, mano do céu, esse ano a sorte não estava ao nosso favor. Quando se tratava do vôlei, eu só tinha uma certeza: as meninas iam ganhar, porque nelas dá pra confiar. Até que elas tomaram a virada da China e caíram nas quartas de final, um jogo que eu estava lá no Maracanãzinho e não consegui assistir até o final porque foi um dia Inacreditável (eu tinha visto a Russia tomar um 9×22 da Sérvia naquela mesma tarde). Com o destino do ouro do Brasil nas mãos apenas dos nossos meninos erráticos, pavor foi a palavra de ordem a cada jogo. Aquelas quartas de final contra a Argentina quase me matou do coração, e o Maracanãzinho em pé de verde e amarelo, aos berros com a vitória é uma memória que vou levar pra sempre. Uma memória que em nada se compara ao domingo seguinte, quando eles ganharam de maneira incontestável contra a mesma Itália de Atenas. Uma vitória para restaurar nossa fé e pra mostrar que eles são amarelões sim: como a medalha posta no peito deles dia 21 de Agosto de 2016. O campeão voltou.

volei masculino brasil

Respeita meus mozões

 

Rio 2016

 

Maracanã Stadium. ? #Top10 #MostLiked2016 (10/10) A photo posted by The Olympic Games (@olympics) on

Já faz mais de 4 meses que as Olimpíadas terminaram, 3 que as Paralimpíadas terminaram, e se você acha que nós já nos recuperamos da ressaca e da saudade, você achou errado. Foi um suador pra todo mundo, envolvido ou não, mas como bons brasileiros, deu-se um jeito de entregar os jogos de maneira deslumbrante, desde o primeiro jogo de futebol, a abertura das Olimpíadas até o encerramento das Paralimpíadas.

Os jogos da Rio 2016 foram sim o ápice de 2016, com protestos contra o governo golpista, com a zuera interminável da nossa torcida, com quebras de record incríveis. Simplesmente fizemos as melhores Olimpíadas e isso nunca será esquecido.

Mas aqueles 3% do Maralto………

Pela primeira vez, a Netflix fez uma série 100% brasileira. Quer dizer, 3%. Heh A história, idealizada muitos anos atrás por estudantes da USP sobre o sistema meritocrátrico num Brasil futurista e distópico consquistou não apenas a Netflix e os brasileiros, como também o mundo. Com estreia mundial dia 25 de novembro, a série fez burburinho lá fora mesmo que as distopias tenham deixado de cair nas graças do público. Olha só:

3% netflix

Rainha né mores

É muita malemolência brasileira pro resto do mundo aguentar.

Brasileiros na gringa

Inclusive, brasileiro na gringa foi o que não faltou durante esse ano. A segunda temporada de NARCOS, com Wagner Moura como protagonista, foi super bem recebida, Rodrigo Santoro em Westworld foi, tipo assim, um dos melhores personagens, Alice Braga continua arransando, assim como sua tia Sonia Braga, com um filme que deu o que falar… E isso é só entre atores! No esporte e na música também rola muito respeito lá fora, sejam nossos atletas olímpicos, sejam nosso amado e odiado sertanejo universitário. Ou seja no reconhecimento de heróis anônimos, como Luiz Carlos Ruas, que morreu fazendo o bem, o brasileiro esteve na boca dos povos, e isso é pra comemorar.

#ForçaChape

Poucas coisas repercutiram de maneira triste como a tragédia da Chapecoense no dia seguinte ao jogo que consagrou o Palmeiras campeão brasileiro, e dois antes do que seria o ponto mais alto da carreira de muitos daqueles atletas. Um time pequeno e organizado de Chapecó que subiu degrau por degrau no palco do futebol se viu no baixo da escada de novo da maneira mais terrível possível: um acidente quase que fatal de avião. Foi o pior baque do ano, um baque que muitos de nós não conseguiremos nunca compreender, especialmente para os sobreviventes.
Porque esse é um post sobre coisas boas e coisas boas aconteceram. 71 se foram, mas 6 ficaram. Entre os 6, 4 brasileiros. Alan Ruschel, Neto, Rafael Henzel e Jackson Follmann. Lembra quando eu falei ali em cima que não sou de chamar jogador de futebol de “herói”? Bom, aqui foi outra oportunidade pra usar essa palavra, pra 3 jogadores e 1 jornalista. Porque também tem aquela frase, né? Seja o herói da sua própria história. E eles estão sendo.

Não passarão!!

Quando a Ana Paula Padrão começou a falar as notas de cada um dos pratos dos finalistas do Masterchef Profissionais a gente logo falou “lá vem mais um da Alemanha” D; Exceto que não. Exceto que depois de muito sofrer e ser diminuída pelo machismo da cozinha – aquele que diz ser tudo bem um chef renomado ser homem, MAS AI DE MIM DAR UM KIT DE PANELA PRUM MENINO!!! – da Band, Dayse Paparoto terminou por cima e ganhou a coisa toda. Simpática e engraçada desde o começo, sua cozinha “tradicional” era constantemente mal vista pelos companheiros de competição e mesmo assim constantemente terminava entre os melhores. Dayse não ganhou porque sentiram peninha dela, ela ganhou porque foi melhor.<
dayse paparoto masterchef

E se esse não foi um dos melhores momentos de 2016, a gente não sabe o que foi.

Que gol do Brasil você não vai esquecer? Que vitória vai ficar pra sempre marcada no seu coração de um jeito bom? Conta pra gente nos comentários!

O ano acabou, mas o WT vai continuar com vocês em 2017. Já dizia menino Wolfgang:

Postagens Relacionadas:

You Might Also Like

1 Comment

  • Reply
    Marcia
    January 4, 2017 at 3:15 pm

    Curti muito essa vitória da Dayse no master chef aquele marcelo cozinha muito mas é um babaca

  • Leave a Reply

    CommentLuv badge