Literatura

Retalhos, Craig Thompson

Retalhos foi o primeiro grande trabalho do quadrinista Craig Thompson – que inclusive já foi resenhado por aqui. Diferentemente de Habibi, outro grande e excelente trabalho seu, em Retalhos Thompson meio que de uma forma às vezes bastante pesada e outras vezes permeada por uma certa leveza, escancara alguns problemas que fizeram parte da sua experiência na transição entre criança, adolescente e finalmente adulto.

retalhos

A sua relação com a família, que pelo que é apresentado nesta obra era bastante abusiva, e  a relação da sua família com a religião foram decisivas para Thompson tomar estes elementos como temas recorrentes de suas narrativas. O lar puritano – puritano no sentido religioso e consequentemente moral – regado a excesso de disciplina e o sempre presente espectro do pecado, da sujeira moral, fizeram com que Craig passasse por alguns maus bocados durante sua vida. A relação dele com os pais, um pai rigoroso em excesso e uma mãe que acaba “guiando” todos os seus passos pela fé e como essa relação acaba refletindo na dele com o irmão mais novo.  Inclusive ele narra que em alguns momentos de sua vida ele pensou em desistir de desenhar porque ele relacionava a ideia da liberdade que o desenho lhe proporcionava com o pecado. Todo esse emaranhado de sensações e sentimentos conflitantes, permeiam toda a obra, dando um certo ar de melancolia e ressentimento em algumas várias passagens. Craig não se encaixava muito bem aos valores defendidos pela cidade em que ele morava e parece que por isso de ser um “outsider” e de alguma forma tentar se adequar ao “fluxo”, um conflito interno muito pesado se estabeleceu e norteou boa parte de sua vida.

retalhos-craig-thompson

E tudo piora quando na adolescência Craig se apaixona. E piora ainda mais quando ele acaba se “desapaixonando”.  Apesar de todo o peso da narrativa, Thompson traz na narrativa visual uma leveza que beira um certo lirismo, com desenhos feito em nanquim que beiram uma certa organicidade fazendo com que as alegorias apresentadas pelo autor ganhem um sentido um pouco menos “miserável”. É como se Craig em momentos de muita angústia permitisse que o universo fantástico aparecesse como uma forma de fugir ou de reduzir os danos que essa realidade, para ele pelo menos como apresentado na obra bastante questionador desde jovem, fosse amortecida. “Retalhos” acaba sendo uma narrativa que traz consigo um caráter hermenêutico e você acaba identificando o porque do autor abordar os temas que ele aborda com alguma frequência. “Retalhos” são as as lembranças de Craig e a forma de como elas foram sendo “costuradas’ umas às outras.

retalhos-craig-thompson-resenha

Não é à toa que Thompson ganhou uma série de prêmios com essa obra, dando espaço para que seu trabalho ganhasse certa credibilidade e o olhar atento de editoras, dando aos adoradores de suas obras a chance de ter oportunidade de conhecer mais do seu trabalho. Craig Thompson, em 2005, ganhou 3 prêmios Harvey (melhor artista, melhor graphic novel original e melhor cartunista) e dois prêmios Harvey (melhor graphic novel, melhor artista) além do prêmio da associação francesa de críticos e jornalistas dos quadrinhos.  Foi lançado pelo Quadrinhos na Cia. que é um selo da Companhia das letras que tem trazido para o mercado nacional recorrentemente muita coisa bacana. Corram e aproveitem nessa obra que merece ser conhecida e “degustada”.

informações

Cortesia da editora para resenha.
Título: Retalhos
Autor: Craig Thompson
Tradução: Érico Assis
Número de Páginas: 592
Edição: edição 10, 2016
ISBN: 9788535914481
Editora: Quadrinhos na Cia.
Preço: R$ 62.90
Classificação: ★★★★☆

You Might Also Like

No Comments

Leave a Reply