Televisão

Neon Genesis Evangelion, Hideki Anno

A 20 anos atrás ia ao ar pela primeira vez na televisão japonesa Neon Genesis Evangelion. Exatamente no ano de 1995, Hideki Anno, juntamente com os estúdios GAINAX e Tatsunoko, nos apresentava em “techno collor” uma das mais aclamadas distopias da animação mundial.

Neon-Genesis-Evangelion-Movies-011

A estória se desdobra no ano de 2015, em um Japão que tenta se reconstruir após um grande acontecimento catastrófico que dizima metade da humanidade: O SEGUNDO IMPACTO. A nova capital nipônica chama-se Tokyo-3 e foi projetada como uma espécie de fortaleza militar para aguentar as investidas cada vez mais recorrentes de seres monstruosos denominados de “Anjos”. A organização paramilitar NERV, é a incumbida da proteção dessa nova metrópole e para enfrentar estes seres abissais, constroem ciborgues gigantescos  chamados  de EVAS.

giphy

O que seria bastante comum para esse gênero de animação, se não fosse o fato dessa responsabilidade de defesa da Terra estar sob a tutela de pré-adolescentes. São eles o Shinji Ikari( um garoto solitário e triste), Rey Ainami(uma garota enigmática e indiferente a quase tudo) e Asuka Langley Soryu (uma garota egocêntrica e individualista). Juntamente com Gendo Ikari (pai omisso de Shinji e comandante da Nerv), Misato Katsuragi (integrante da NERV  e tutora de Shinji), Ritsuko Akagi (integrante da NERV e responsável pela manutenção dos Evas), Ryoji Kaji (uma incógnita). Apesar de toda a responsabilidade que eles, as três crianças pilotos dos EVA’s, são obrigadas à assumir, os personagens são envoltos em uma série de problemas de caráteres existenciais, pois os mesmos como humanos e particularmente como jovens que são, carregam uma série de conflitos e novos dilemas que surgem de experiências pessoais, familiares e etc. Cada personagem carrega consigo seu próprio inferno.

Neon-Genesis-1

Talvez esse seja o diferencial de Neon Genesis Evangelion: muito mais que um simples animê do gênero mecha (robôs gigantes controlados por pessoas, EX: Gundam), mas uma incursão nos “demônios” internos próprios à juventude atrelada as dificuldades de controlar esses tipos de sentimentos impulsivos e confusos. Sem contar obviamente com toda a riqueza gráfica da obra, que tem como característica a presença quase unânime de elementos bio orgânicos na composição tanto dos Anjos quanto dos próprios EVAS, juntamente com as referências religiosas que vão desde os Essênios, passando pelo Cristianismo, Xintoísmo e descarrilhando no Paganismo nosso de cada dia.. Evangelion seria considerado por alguns como o melhor animê já produzido. Pelo menos podemos afirmar que foi e é uma das franquias mais bem sucedidas das produções japonesas, visto que até os dias de hoje a indústria cultural continua a investir em itens relacionados ao universo da animação.

tumblr_msf4paZaZk1qcpqj7o1_500

Fora o animê que é composto por 26 episódios, existe o mangá (foi lançado aqui no Brasil pela JBC e encerrado recentemente e a adaptação foi feita por Yoshiyuki Sadamoto) e uma série de OVAS (longas metragens): “Death and Rebirth” (1997), “The end of Evangelion” (1997), “Rebuild of Evangelion 01: Jõ” (2007), “Rebuild of Evangelion 02: Há” (12008), “Rebuild of Evangelion 03: Kyü” (2012)”Rebuild of Evangelion 04: Epirõgu” (que estava previsto para ser lançado ano passado, mas ainda não foi).
neon-genesis-evangelion-2792597-713x1024

Merece uma boa conferida, agrada a todos os gostos e eu particularmente considero uma obra atemporal, que transpassa uma simples ficção científica ou uma simples narrativa pós-apocalíptica. Muito mais do que reerguer o mundo das ruínas do desastre, os personagens precisam reerguer seus próprios mundos, isso associado a conspirações de destruição global, luta com monstros, perdas traumáticas e afins. Assistam e tirem suas próprias conclusões.

https://www.youtube.com/watch?v=_MFuZsbx4u8

Informações


Título original: Neon Genesis Evangelion
Direção e Roteiro: Hideki Anno
Duração: . 26 Episódios
País: Japão
Gênero: Animê
Classificação: ★★★★★

You Might Also Like

No Comments

Leave a Reply