Literatura

Filha da Ilusão (Herdeiros da Magia #1), Teri Brown

Ah, a decepção. 🙁

bornof

Filha da Ilusão tem como protagonista Anna, uma jovem ilusionista que trabalha como assistente para sua mãe, por sua vez uma talentosa médium. Ganhar dinheiro com suas apresentações não é o suficiente para a sobrevivência das duas, então sessões particulares para falar com os mortos são o verdadeiro ganha-pão das Van Housen – o ato enganar pessoas impressionáveis para conseguir seu dinheiro apesar das dificuldades de tal trabalho é o jeito que elas vivem. Anna, entretanto, não segue os passos de sua mãe na falsa comunicação com os mortos: a garota tem poderes que não pode falar sobre e que não compreende. Seu complexo relacionamento com sua figura materna e o fato que Anna é a filha ilegítima de Harry Houdini também possuem espaço na trama do livro, mas é só quando um moço chamado Cole dá as caras que as coisas realmente começam a mudar na vida da garota.

Fazia tempo que não passava por uma montanha russa de impressões ao ler um livro. A obra de Teri Brown me chamou a atenção pelo cenário e envolvimento com mágica (Harry Houdini!!!!), e, apesar de ter poucas expectativas acerca da leitura, consegui me decepcionar assim mesmo. Durante 150 páginas, enfrentei uma montanha de tédio, querendo abandonar a história porque nada nela me descia. Tudo parecia forçado. Não existia conexão com os personagens, algo para se importar na história, aspectos legais para apreciar, nada além de amor instantâneo, o triângulo amoroso mais forçado que eu já vi na vida, e draminhas que não tinham substância.

Às vezes faço de conta que estou estrelando meu próprio show. Que as pessoas na plateia estão esperando ansiosamente apenas para me ver. Fico eletrizada com essa ideia, mas me pergunto que lugar ela teria na vida discreta e estável pela qual também anseio. Às vezes, não sei o que quero.

As coisas mudaram depois. Se tem uma coisa que posso elogiar em Filha da Ilusão foi conseguir mudar o jogo eventualmente. A leitura se tornou até agradável, o relacionamento entre mãe e filha criando tensões e as habilidades da protagonista sendo um pouco exploradas. O aspecto de mistério também foi agradável, e o cenário interessante o suficiente. O romance passou a ser aceitável, Anna deixou de ser uma menina chata e se perguntar “gente mas quem foi que fez isso? O:” foi um bom passatempo durante a narrativa. Por esses motivos, posso dizer que não odiei o livro por completo.

Entretanto, existiram mais pontos fracos do que fortes. Além dos já mencionados, a previsibilidade da trama precisa ser destacada: foi fácil DEMAIS adivinhar quem era o vilão ou o que estava acontecendo antes que a protagonista se ligasse. Para uma menina que se diz tão inteligente e que não confia em pessoas, Anna é bem otária, e eu quis jogar o livro pro alto com a burrice dos personagens diversas vezes. E, bem, digamos que o final foi bem anticlimático, do tipo que me fez perder a confiança na vida depois das coisas legais que a autora fez. TERI, EU ACHEI QUE FÓSSEMOS AMIGAS, NÃO ERA PRA FAZER AQUELE TRECO ENTEDIANTE, POSHA!

– É só uma garota dando uma olhada – ouço sua voz dizer.

Só uma garota. Embaralho uma única carta entre os dedos várias vezes, atiro-a para o alto e apanho na metade do baralho. Em seguida faço um corte de uma mão só, um flip back, e por fim, como floreio, uma longa cascata.

Só uma garota. Pois sim.

Sei que taquei mais pedras no negócio do que qualquer outra coisa, mas também sei que tem gente por aí que não desgostou do livro, então vai que é pra você? (eu sei, soa estranho eu falar mal de algo e depois soltar um “HEY, MAS LÊ TAMBÉM, VAI QUE”, mas minha opinião ainda não é unânime, então VAI QUE)

Filha da Ilusão teve um dos relacionamentos de mãe e filha mais interessantes e complexos que já li na vida, com um cenário bacana o suficiente e aspectos legais para tentar manter a atenção do leitor. É uma pena que a ideia desse livro tenha sido mais bacana do que sua execução, e que a autora não tenha se focado em outras partes dos poderes da protagonista ao invés de empurrar um romance desnecessário. Uma pena mesmo.

informações

capa

 

Cortesia para resenha.
Título: Filha da Ilusão
Autor: Teri Brown
Tradutor: Heloísa Leal
Número de Páginas: 288
Edição: 1ª – 2014
ISBN: 9788565859295
Editora: Valentina
Preço: R$34,90
Classificação: ★★½☆☆

Postagens Relacionadas:

You Might Also Like

No Comments

Leave a Reply