Cinema

Vampire Academy (2014) – Livro x Filme

O livro que é tão adorado pelos fãs pode ter causado uma grande decepção para a maioria. E eu estou aqui para dissecar ambos, comparando os dois.

va

Ainda não conhece sobre o que estamos falando? No Brasil o livro foi lançado com o nome O Beijo Das Sombras (você pode conferir nossa resenha aqui), pela Editora Agir. Não fala sobre vampiros que brilham, não fala sobre lobos, não fala sobre casamentos e gravidez… e o foco não é o romance. O foco de toda a saga é a amizade.

No início, são explicados as três raças de vampiros: Dhampir (Guardiões), Moroi (Vampiros do bem), e Strigoi (Vampiros do mal), para simplificar bem as coisas. Tanto o livro quanto o filme são narrados por Rosemarie Hathaway, que é uma guardiã. Ou aprendiz de guardiã, melhor falando. Sua protegida é Lissa Dragomir, uma Moroi. Após um acidente que matou os pais de Lissa e criou uma ligação mental entre guardiã e protegida, as duas fogem da Academia de Vampiros para viver no mundo dos humanos, e são capturadas um ano depois, pelo guardião Dimitri. A história se desenvolve a partir dessa volta para a academia, onde elas viram fofoca, sofrem acusações de alguns colegas, são aterrorizadas por um vilão (não existe história sem um vilão, certo?), e ambas se apaixonam. Agora que vocês já sabem um resumo da história, vamos para o que é importante:

O que teve de bom no filme?

Em primeiro lugar, Zoey Deutch como Rosemarie Hathaway. Após uma análise entre ambos, eu percebi que o humor nos dois meios é o mesmo, só mudam as frases. Zoey trouxe uma Rose engraçada, sarcástica, e extremamente protetora de sua melhor amiga. Em momento algum eu pensei “ela poderia ter atuado melhor” – se existiram problemas, foi com a edição. Sua atuação foi tão incrível que acabou ofuscando Lissa, o que se tornou uma boa coisa (menciono mais sobre isso no próximo tópico).


 
Uma das maiores reclamações que eu li foi sobre a Rose não ser tão engraçada no livro, no estilo Mean Girls: e é aí que vocês estão errados. No livro, Rose brinca até sobre religião e sobre precisar ler para ter informações sobre Espírito. Ela não é engraçada, ela é sarcástica – ela trata o mundo do jeito que acredita que o mundo a trata. Outra coisa muito mencionada foi sobre o corpo de Zoey Deutch, que “não é parecido com o da Rose” – e esse é um dos pontos em que eu mais discordo.

A atuação masculina no geral: Danila Kozlovsky é o Deus Russo Dimitri Belikov, e não há quem tente me dizer o contrário. Dominic Sherwood também atuou incrivelmente bem, e me surpreendeu nas quinhentas cenas de beijo, por conseguir mostrar toda a admiração que Christian sente por Lissa. E foi impossível não sentir dó de Mason (Cameron Monaghan) todas as vezes que este foi rejeitado.

O que teve de ruim no filme?

A edição. O texto corrido. Pessoas falando rápido demais. É mais fácil achar os erros do que os acertos no filme.

Mas a culpa pode não ser do roteirista ou do diretor: logo após o filme sair nos Estados Unidos, surgiram rumores de que a distribuidora do filme os obrigou a alterar cenas e regravar outras cenas. Quem sabe um dia apareça a versão pré-regravação, e assim saberemos se o filme estava destinado a falhar ou se a culpa foi da produtora.


O que deu errado, afinal de contas? O filme é tão rápido quanto um ataque de Strigoi. Desgrude o olhar da tela por 30 segundos para olhar o horário, e você provavelmente perdeu algo importante, ou até uma cena completa. O filme seria melhor se decorresse em um tempo maior. Existem personagens, como Natalie e Mia, que falam tão rápido que a vontade é de colocar o filme em modo lento, para conseguir fazer sentido das falas.

O filme é totalmente show-off: existem cenas que só faltam esfregarem na tua cara dizendo “isso aconteceu”, não deixando espaço para a reflexão, para a subjetividade. Até porque o filme não deixa tempo para pensamentos. Os próprios personagens falam coisas que estão sutis no livro, como a queda da Rose pelo Dimitri.


A pior parte do filme, na minha opinião, foi a Lissa Dragomir. Foi uma mistura de uma atuação estranha da Lucy Fry (principalmente por conta do sotaque australiano), com uma personalidade completamente diferente do livro. No livro, Lissa é mostrada como uma menina tímida, que apenas é social porque é de uma das famílias reais. Ela se esforça muito para ser social entre seus colegas, mas nunca desafiou uma autoridade. No filme, ela desafia tanto a Kirova (a diretora da academia de vampiros), quanto a rainha. E a descoberta do Espírito foi uma coisa controlada no livro por conta da “fragilidade” mental que isso trazia. No filme, Lissa joga na cara de todos que possui todos os tipos de magia, e mais um tipo especial. Em nenhum momento pareceu real.

Quais as principais diferenças entre o livro e o filme? Arruinaram a adaptação?

É claro, é uma adaptação, não vai ser igual ao livro. Mas existiam coisas que poderiam ter sido trabalhadas de forma diferente. Nenhuma cena foi drasticamente modificada. Eram pequenos detalhes, falas diferentes, e MUITAS inserções de cultura popular – que não faziam conexão com o filme, apenas fazia propaganda para alguns produtos.

A principal diferença é a mudança de ordem das cenas. Não existiu nada que atrapalhasse o acompanhamento, mas tudo existiu em uma sucessão rápida, como ação e reação. Não existiu alguma cena no início que só foi explicada no final, deixando os espectadores ansiosos e esperando por uma resposta, tudo foi explicado no decorrer das cenas.

No livro, Rose ganha um gloss de Dimitri – é claro que isso não ia ter no filme. O que me deixou mais irritada com isso é que a lanterna poderia ter sido um presente do maravilhoso Deus Russo – seria uma forma sutil de perceber o interesse. Mas quem disse que eles curtem sutileza?

 

Minha opinião final é que a adaptação não foi arruinada. Os pequenos detalhes que adoramos continuam lá, só não estão tanto na superfície quanto gostaríamos. Se o filme não é levado à sério, como se precisasse ser o melhor filme de todos os tempos, mas sim como um filme sobre adolescentes, para adolescentes, e com um grande toque de Hollywood, acaba se tornando um filme muito bom. Bizarro em algumas partes, mas no final das contas, merece algumas risadas.

ficha técnica

Título original: Vampire Academy
Direção: Mark Waters
Elenco: Zoey Deutch, Lucy Fry, Danila Kozlovsky, Dominic Sherwood, Sami Gayle, Cameron Monaghan.
Roteiro: Daniel Waters
Duração: 104 min.
País: EUA
Gênero: Ação, fantasia, comédia.
Trailer: (x)
Classificação: ★★★½☆

You Might Also Like

2 Comments

  • Reply
    David Andrade
    23/05/2014 at 9:22 pm

    Concordo plenamente com você Juli. Acho q o povo fala demais. Em termos adaptações não tenho o que dizer e continuo afirmando que ficou muito melhor que Cidade dos Ossos. Mas ai ja citar atuações e parte tecnica, ai sim, podemos reclamar, pq sinceramente, alguns atores foram infelizes em seus personagens. E mais infelizes ainda foram as qualidades de efeito e imagem D: Mas em adaptação, ta show! Acho q eles poderiam arriscar o segundo, só q com melhorias!
    David Andrade recently posted..Resenha!My Profile

  • Reply
    blair_boo
    23/05/2014 at 9:56 pm

    O filme mais aguardado pela gente e o que mais rendeu sofrimento por conta dos cancelamentos. /cry
    Concordo com todos os pontos que você apontou, mas principalmente com o da Lissa. Não gostei da Lucy desde o começo, e mesmo me obrigando a assistir de ‘cabeça aberta’ não rolou. Achei ela descontextualizada demais.
    A questão do humor, as pessoas simplesmente esqueceram que no livro, a Rose é assim também. Acho que os fãs ficaram tão marcados pela dark Rose da metade da série em diante que esqueceram que no início, ela foi uma garota extremamente divertida e sim, adolescente /smile

    bjão!
    blair_boo recently posted..Os 13 estágios da depressão pós-livroMy Profile

  • Leave a Reply

    CommentLuv badge