Cinema

A Pele que Habito (2011)

Creio eu que todo fã de cinema um dia já ouviu falar de Pedro Almodóvar, um renomado diretor espanhol, ou então já viu um de seus filmes sobre tramas bizarras e complexas com cores extravagantes, personagens profundos e ícones femininos fortíssimos. Eu, particularmente, adoro o cara. Com certeza não é qualquer um que me deixa acordada até as cinco horas da manhã, com o coração na mão, ansiosa pelo término do download e para eu poder ver o bendito e genial filme, então, para começar com pé direito minha saga de resenhas aqui no Who’s Thanny, venho com uma crítica sobre ‘A Pele que Habito’, a nova obra de Almodóvar.

A nova película, baseada no livro de Thierry Jonquet ‘Tarântula’, teve sua estréia mundial no dia 17 de agosto, passou por Cannes e só veio a chegar ao Brasil no dia 4 de novembro, porém, eu, Geo, habitante de uma cidade do interior de Goiás (aliás, eu falo muito ‘uai’ e ‘bom passado’, mas não gosto de pequi), só pude assisti-la esta semana e no computador, pois o querido cinema da minha cidade quer que vejamos Amanhecer por todo sempre. Eu estava esperando o dia em que veria esse filme na tela grande, infelizmente só pude ter a tela cheia, mas seu brilhantismo foi muito mais do que um consolo.

Vocês já devem ter percebido que estou pagando um pau enorme para esse filme e estou mesmo. Almodóvar voltou com um trabalho impecável que foi voando para o meu top 5 de filmes favoritos. Seus fãs tradicionais podem estranhar um pouco pela falta da dramaticidade que esteve presente em suas outras obras. A suavidade também esteve em falta, pois esse filme é pesado, crítico e um verdadeiro thriller. O personagem principal da fria trama, Robert Ledgard, vivido pelo ator Antonio Banderas, é um cirurgião plástico genial, inescrupuloso, frio e, principalmente, amargurado. Nem por um segundo desse filme parei de ligá-lo ao Dr. Frankenstein, pois é isso que Ledgard é: um médico louco. Presa em sua casa, ele mantém Vera, interpretada maravilhosamente pela nova musa de Almodóvar, Elena Anaya (ela me encantou do início ao fim, sem brincadeira), cuja história vai se desenrolando durante o filme, assim como as razões de Ledgard e seu passado com a mulher e filha falecidas. A reviravolta (para pessoas que não são idiotas como eu, que li spoilers no Filmow, de tão ansiosa que estava) é chocante e intrigante. Uns disseram que foi previsível, outros, por sua vez, ficaram de boca aberta com o enredo complexo e profundo do filme. Eu sou um desses últimos, por mais que eu tenha lido aqueles malditos spoilers.

O filme, embora um tanto diferente dos outros trabalhos de Almodóvar (o que está fazendo tantas pessoas condená-lo), é uma obra genial. A pegada dele é diferente, pois se volta para a frieza da ciência, e a tendência do diretor de misturar gêneros com certeza não está adormecida. A iluminação das cenas é maravilhosa, assim como a trilha sonora e, acreditem se quiserem, a atuação de Banderas. Depois de mais de duas décadas sem trabalhar com o diretor, o Zorro, digo, Antonio está melhor do que nunca, demonstrando um talento que, vou confessar, nunca esperei dele. O ator tirou todo aquele ar charmoso e conquistador que vemos em outros trabalhos e o substituiu por uma máscara fria, sem sentimentos ou escrúpulos. Enfim, Banderas mostrou verdadeiramente como o personagem retratado pelo diretor é: um psicopata em todas as suas células.

Eu respiro, eu respiro. Eu sei que respiro.

A excelência do filme é sem tamanhos e me deu uma vontade louca de rever os outros trabalhos do realizador. Vocês podem julgá-lo bizarro, esquisito, extremo e fantasioso, mas é assim que Almodóvar faz, nos joga e envolve em um mundo onde as coisas mais impossíveis podem acontecer e você aplaude de pé, porque tal complexidade e maestria não são atingidos por qualquer um. O modo como ele trata a trama e ainda se envolve com a psicologia humana dos personagens é incrível e admirável, mostrando-nos a ira e a insanidade que mora dentro de cada um. A mensagem dele também é clara: não se pode perder sua própria identidade, por mais que você mexa aqui e ali, dê uns retoques acolá… quem você é não vai mudar com as feições de seu rosto, sua história não vai se apagar com um simples bisturi mudando sua face. Há coisas que permanecem além da pele e da carne e estas não podem ser mudadas.

Escrevi esse texto enorme aqui e, se já não estivesse tão grande, eu escreveria mais porque, acreditem, eu tinha muito mais coisas para falar sobre esse filme excelente, mas vou parar por aqui. Agora que já leram, fiquem com o trailer e vão correndo para o cinema mais próximo ver se ainda estão exibindo ‘A Pele que Habito’ e, se não, dane-se a velocidade da internet, baixem, se divirtam, se choquem e se envolvam nessa trama.

Ficha Técnica

Título original: La Piel que Habito
Diretor: Pedro Almodóvar
Elenco: Antonio Banderas, Elena Anaya, Marisa Paredes, Jan Cornet, Roberto Álamo, Eduard Fernández, Blanca Suárez
Produção: Pedro Almodóvar, Augustin Almodóvar
Roteiro: Pedro Almodóvar, Thierry Jonquet
Fotografia: José Luis Alcaine
Trilha Sonora: Alberto Iglesias
Duração: 115 minutos
Ano: 2011
País: Espanha
Gênero: Drama, thriller
Nota: ★★★★★

 

 

 

You Might Also Like

15 Comments

  • Reply
    Byzinha
    23/12/2011 at 12:45 pm

    Jovana escreveu tão lindamente que me fez ter vergonha das minhas resenhas ._.

    • Reply
      thanny
      23/12/2011 at 3:47 pm

      +1111111

    • Reply
      Sam
      23/12/2011 at 4:11 pm

      +6841681681
      Vou ali deletar tudo o que eu já escrevi na minha vida e já volto.

    • Reply
      Geo
      23/12/2011 at 6:39 pm

      Suas loucas dean/

  • Reply
    Katy
    23/12/2011 at 1:16 pm

    Resenha muuuuito boa mesmo!

    Mas Byzinha, também adoro as suas sobre livros que não foram lançados por aqui! Sempre quero ler todos! (ainda bem que também leio em inglês!) ^^

    Agora quero muuuuuito ver A pele que Habito!

    Beijos, meminas!
    /smile

    • Reply
      Byzinha
      23/12/2011 at 5:28 pm

      Oin, brigada *-* Que bom que eu convenço, mas sinceramente, Jovana escreveu linda de mais, socoorr

    • Reply
      Geo
      23/12/2011 at 6:40 pm

      Obrigada *-* Vá ver mesmo, o filme é muito bom. E, By, para que suas resenhas são lindas, plmdds.

  • Reply
    Jess
    23/12/2011 at 5:16 pm

    Fiquei com vergonha até comentar que estou com vergonha, tsc .-.

    • Reply
      Geo
      23/12/2011 at 6:45 pm

      Jess, nem tanto, plmdds /bored

  • Reply
    Aline T.K.M.
    23/12/2011 at 5:21 pm

    Parabéns pelo post! Sou fã incondicional dos filmes do Almodóvar, e este realmente é um trabalho genial. Apesar das críticas, gosto bastante dos filmes recentes, mas os filmes mais antigos têm algo de especial, aquela coisa super “kitsch” que eu adoro, além de ótimos enredos tb!

    Bj
    escrevendoloucamente.blogspot.com
    Aline T.K.M. recently posted..Balanço literário 2011My Profile

    • Reply
      Geo
      23/12/2011 at 6:48 pm

      Obrigada! Eu realmente gosto muito dos filmes do Almodóvar e estava ansiosíssima por A Pele que Habito e quando vi, pff, eu me encantei com a genialidade do filme. Tanto os antigos quanto os recentes são muito bons, acho que alguém com a maestria do Almodóvar não consegue fazer filme ruim DD: HAUAUHS Bjs :*

  • Reply
    Nathália
    24/12/2011 at 12:30 am

    Oie :)
    Parabéns pela resenha, ficou maravilhosamente bem escrita!
    Já baixei o filme (porque aqui nos cinemas da minha cidade ficou apenas uma semana em cartaz ¬¬), e estou louca para assisti-lo!
    Nunca assisti a um filme do diretor, e a trama parece genial!
    Ótimo post, com uma excelente dica de filme!
    Obrigada pela visita e pelo comentário!
    Tem post novo – Filme: Te Espero Eternamente. Passa lá!
    Beijos, Nathi
    @bookswonderland
    Books in Wonderland

    • Reply
      Geo
      24/12/2011 at 4:38 pm

      Obrigada pelos elogios :D Isso, assista, é muito bom, creio que não vá se arrepender :D Bjs :*

  • Reply
    Gisele
    24/12/2011 at 3:08 pm

    Fiquei um pouco confusa sobre a história do filme, mas pelas fotos e pelo trailer da para perceber que se trata de um filme muito bom….nem sabia da existência dele e agora quero ver!!!!!

    bjus

    • Reply
      Geo
      24/12/2011 at 4:42 pm

      Ficou confuso? :/ HUAUSUUAS É só ver o filme que você entende, tentei não revelar muita coisa na resenha, porque senão eu contaria o filme todo q Veja, sério. Bjs :*

    Leave a Reply

    CommentLuv badge